A dinâmica do significado do enunciado pela lente da teoria enunciativa de Culioli

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/2594.9063.2021v5n1id5994

Palavras-chave:

Enunciação, Significado, Noção, Engraçado

Resumo

Este artigo defende que, entre uma ocorrência abstrata de uma unidade linguística e outra, constroem-se sentidos parcialmente identificáveis e sentidos inidentificáveis ao redor de um sentido privilegiado, geralmente extraído de uma ocorrência modelo. Para sustentar nossa hipótese, elegemos a (i) Teoria das Operações Predicativas Enunciativas – TOPE, que coloca o conceito de ‘noção’ em relevo, bem como de sua orientação e funcionamento em relação a um domínio e (ii) a análise das ocorrências do adjetivo “engraçado” em seis enunciados colhidos de nativos da cidade de Cáceres - MT (Brasil).

Biografia do Autor

Fernanda de Souza Pedroso Campelo, Universidade do Estado de Mato Grosso

Doutoranda em Linguística pelo Programa de Pós Graduação Stricto Sensu da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) - Campus de Cáceres. Especialista em Linguística Aplicada ao ensino de Língua Portuguesa e Inglesa pela UNEMAT - Campus de Sinop (2012). Graduada em Licenciatura Plena em Letras pela mesma instituição (2010).

Marcos Luiz Cumpri, Universidade do Estado de Mato Grosso

Possui graduação em Letras/Bacharelado e Licenciatura Português - Inglês (2001) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, mestrado (2008) e doutorado (2012) em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho . Atualmente é professor visitante na Universidade do Estado de Mato Grosso. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística. É membro do Grupo de Pesquisa Variação e invariantes na linguagem, cadastrado no CNPq e, desde 2015, é docente e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Linguística da UNEMAT/Campus de Cáceres

Referências

CULIOLI, A. Pour une linguistique de l’énonciation: opérations et représentations. Paris: Ophrys, 1990. Tomo 1

_______. Pour une linguistique de l’énonciation: formalization et opérations de repérage. Paris: Ophrys, 1999a. Tomo 2.

_______. Pour une linguistique de l’énonciation: domaine notionnel. Paris: Ophrys, 1999b. Tomo 3.

FRANCKEL, Jean-Jacques. PAILLARD, Denis. Aspectos da teoria de Culioli. Organon, Porto Alegre, n. 40/41, jan. – dez., 2006, p. 257-272.

FREGE, Gottlob. Lógica e Filosofia da Linguagem. Editora Cultrix. São Paulo, 1978.

FUCHS, C. La paraphrase. Paris: PUF, 1982.

GOMES, Antônio Carlos. As operações de linguagem com a marca “quando”. Tese. Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2007.

LE GOFFIC, P. Ambiguïté linguistique et activité de langage.1981. 654 pages. These (Doctorat d’ Etat) – Département de Recherches Linguistiques, Universite de Paris VII, Paris, 1981.

LYONS, John. Linguagem e Linguística: uma introdução. Tradução de Marilda Winkler Averbug e Clarisse Sieckenius de Souza. Rio de Janeiro: LTC, 2009.

MULLER, Ana Lúcia de Paula. VIOTTI, Evani de Carvalho. IN: FIORIN, J. L. (org). Introdução à linguística II. Princípios de análise. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2010.

NETO, José Borges. Adjetivos: predicados extensionais e predicados intensionais.Unicamp. 1979.

OLIVEIRA, Roberta Pires de. Semântica formal: uma breve introdução. Campinas: Mercado de Letras, 2001.

PRIA, ALBANO DALLA. Para um redimensionamento do estudo do “adjetivo”: os processos enunciativos de variação semântica de “falso”. Tese. Faculdade de Ciências e Letras – Unesp/Araraquara, 2009.

RAVIN, Yael.; LEACOCK, Claudia. Polysemy. Theoretical and Computational Approaches. Oxford: Oxford edit impress, 2000.

REZENDE, Letícia Marcondes; ONOFRE, Marília Blundi. Linguagem e línguas naturais – Clivagem entre enunciado e enunciação. São Carlos: São Pedro & João Editores, 2009.

ROMERO, Márcia Cristina. Processos enunciativos de variação semântica e identidade lexical: a polissemia redimensionada Estudo dos verbos JOUER e CHANGER. Tese. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. São Paulo. 2000.

SILVA, Ana Cristina Saviato. A marca porque nos textos escolares: uma proposta para atividades epilinguísticas. Tese. Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista. Araraquara, 2007.

ZAVAGLIA, Adriana. Da invariância da linguagem à variância das línguas: contribuição para elaboração de uma teoria enunciativa da tradução como um caso particular de paráfrase. Tese. Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista. Araraquara, 2002.

___. A observação de alguns aspectos enunciativos em traduções de aprendizes de francês: o caso de des. Intercâmbio, vol. XIII, 2004. Acesso em: 26 de março de 2020.

___. Pequena introdução à teoria das operações enunciativas. São Paulo: Humanistas, 2010.

Publicado

23/11/2021

Como Citar

Campelo, F. de S. P., & Cumpri, M. L. (2021). A dinâmica do significado do enunciado pela lente da teoria enunciativa de Culioli. Traços De Linguagem - Revista De Estudos Linguísticos, 5(1). https://doi.org/10.30681/2594.9063.2021v5n1id5994