Operações enunciativas na interpretação textual: reflexões sobre a noção AMAR

Autores

  • Lidiany Pereira dos Santos Universidade Federal do Piauí https://orcid.org/0000-0002-2445-1397
  • Marlene Aparecida Viscardi Mantovani Universidade Federal de São Carlos
  • Solange Christiane Gonzalez Barros Secretaria de Educação do Estado de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.30681/2594.9063.2021v5n1id5996

Palavras-chave:

operações enunciativas, noção, interpretação textual, léxico

Resumo

Este artigo tem por objetivo refletir sobre o trabalho de interpretação textual e linguagem realizada em sala de aula a partir da noção amar. As noções são captadas por meio de palavras, mas não correspondem a um léxico em uma determinada língua, porém apreendemos graças a linguagens específicas e, portanto, sempre através de léxicos, ou seja, por meio de operações enunciativas. Como se trata de atividades que envolvem questões de ensino, cabe ressaltar a importância de refletir sobre alguns fundamentos da Teoria das Operações Predicativas e Enunciativas – TOPE – do linguista Antoine Culioli. Embora o modelo teórico culioliano não esteja voltado exclusivamente para o ensino, contribui para o desenvolvimento da atividade de linguagem proporcionando o desenvolvimento linguístico-cognitivo do aluno, que constrói o domínio nocional e com sua criatividade reflete sobre a própria língua. A opção por esta Teoria Enunciativa justifica-se pelo fato de a considerarmos um referencial teórico fundamental para o desenvolvimento do ensino-aprendizagem de língua e, consequentemente, o desenvolvimento linguístico-cognitivo do estudante.

Biografia do Autor

Lidiany Pereira dos Santos, Universidade Federal do Piauí

Possui Doutorado em Linguística pela Universidade Federal de São Carlos (2020) com a linha de pesquisa Ensino de Língua Materna na perspectiva da enunciativa do teórico francês Antoine Culioli, Mestrado em Letras pela Universidade Federal do Piauí (2013), Especialização em Linguística e Ensino pela Universidade Estadual do Piauí (2009) e Graduação em LETRAS-PORTUGUÊS pela Universidade Federal do Piauí (2007). Atualmente é Professora Adjunta, Dedicação Exclusiva (DE) na Universidade Federal do Piauí (UFPI), Campus Picos. Foi Professora Substituta 20h na Universidade Estadual do Piauí entre 2011 e 2012; trabalhou nessa mesma IES como Professora Formadora II no PARFOR/UESPI com os Cursos de Pedagogia, Letras Português e Letras Espanhol; trabalhou também como Supervisora de Estágio Supervisionado I e II em 2014 e como Coordenadora do Estágio Supervisionado III em 2015 no Curso de Letras Português na modalidade Educação a Distância e ministrou a disciplina Fonética e Fonologia. Foi Professora Substituta 40h na UFPI entre 2014 e 2016 e atuou também como Professora Formadora II no PARFOR/UFPI em janeiro de 2016. Foi Professora de Língua Portuguesa Classe C 20h na Prefeitura Municipal de Teresina. Foi também Coordenadora do Curso de Letras Português no Campus de Picos no período de junho de 2017 a março de 2018.

Marlene Aparecida Viscardi Mantovani, Universidade Federal de São Carlos

Possui graduação em PEDAGOGIA pela UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS (1985), graduação em LETRAS pela UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA (1999), Mestrado em LÍNGUA PORTUGUESA E LINGÜÍSTICA pela UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA (2002) e Doutorado em LINGUA PORTUGUESA E LINGUÍSTICA pela UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA (2007). Pós-doutorado pela UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS.

Solange Christiane Gonzalez Barros, Secretaria de Educação do Estado de São Paulo

É formada (2003) em Letras - Português/Inglês pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), mestre (2011) e doutora (2017) em Linguística, na área de Ensino e Aprendizagem de Línguas pela mesma universidade. Com o apoio da agência de fomento CAPES, realizou seu doutorado sanduíche no Centro de Linguística da Universidade Nova de Lisboa, Portugal. É professora efetiva (PEBII) da rede pública de ensino do Estado de São Paulo desde 2005. Tem se dedicado ao ensino de língua estrangeira moderna (Inglês) e materna. Em relação à língua portuguesa, tem desenvolvido o seu trabalho principalmente na análise linguística, produção e interpretação de textos. Possui experiência na área de Linguística, com ênfase em Enunciação e Análise Linguística. 

Referências

CULIOLI, A. Notes du Seminaire de D.E.A. Université de Paris 7 – 1983-1984. Départament de recherches linguistiques (D.R.L), 1985. P.1-46.

___________. Pour une linguistique de l’ énonciation. Tome 1, Paris: Ophrys, 1990.

___________. Pour une linguistique de l’ énonciation. Tome 2, Paris: Ophrys, 1999a.

___________. Pour une linguistique de l’ énonciation. Tome 3, Paris: Ophrys, 1999b.

___________. Pour une linguistique de l’énonciation. Tome IV – Tours e Détours. Édition préparée por Rémi Camus – Limoges, Lambert-Lucas, 2018.

DANZA, H. C; DA SILVA, M. A. M. Projeto de vida: construindo o futuro. São Paulo: Editora Ática, 2020.

DE VOGÜE, S. Calcul des valeurs d’un énoncé au présent. Travaux de linguistique 40. Bruxelles, Duculot, p. 1-54, 2000.

DE VOGUÉ, S.; FRANCKEL, J-J; PAILLARD, D (org.). Linguagem e enunciação: representação, referenciação e regulação. São Paulo: Contexto, 2011.

SILVA, R. P. Programa paulista inova educação (2020): o mercado adentrando a escola. Brazilian Journal of Development, v. 7, n.3, p. 23348-23367, 2021.

VALENTIM, H. T. Predicação de existência e operações enunciativas. Lisboa: Edições Colibri, 1998.

VIGNAUX, G. Le discours acteur du monde: énonciation, argumentation et cognition. Paris: Ophrys, 1988.

Publicado

23/11/2021

Como Citar

Santos, L. P. dos, Mantovani, M. A. V., & Barros, S. C. G. (2021). Operações enunciativas na interpretação textual: reflexões sobre a noção AMAR. Traços De Linguagem - Revista De Estudos Linguísticos, 5(1). https://doi.org/10.30681/2594.9063.2021v5n1id5996