Descortinando sentidos: caminhos para uma análise semântica

Autores

  • Waldemar Duarte de Alencar Neto Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí
  • Joana Darc Rodrigues da Costa Universidade Estadual do Maranhão

DOI:

https://doi.org/10.30681/2594.9063.2021v5n1id5997

Palavras-chave:

Enunciação, referenciais históricos, pertinência enunciativa, significação

Resumo

Considerando os pressupostos segundo os quais a enunciação é o acontecimento da produção do enunciado (Guimarães, 2002), este artigo visa apresentar uma análise semântica de construções nominais, isto é, de como os nomes evocam referência na medida em que se agregam a referenciais discursivamente constituídos. Nesse sentido, a significação é concebida, aqui, entre o já significado, que o acionamento da língua evoca, e o que se apresenta no presente da enunciação para significar (Dias, 2013;2015).

Biografia do Autor

Waldemar Duarte de Alencar Neto, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí

Possui graduação em Direito pela Universidade Estadual do Piauí (2004) e em Letras/Português pela Universidade Federal do Piauí (2005), especialização em Ensino pela Universidade Federal do Piauí (2007), mestrado em Letras (Estudos de Linguagem) pela Universidade Federal do Piauí (2011) e doutorado em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). É professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí - IFPI. Atualmente desenvolve projeto de pós-doutorado em Estudos Linguísticos na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). 

Joana Darc Rodrigues da Costa, Universidade Estadual do Maranhão

Pós doutora em estudos da Linguagem pela Universidade Federal do Piauí. Doutora em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) com área de atuação em Linguística Teórica e Descritiva (Linguística da Enunciação ou Semântica da Enunciação). Mestre em Letras pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), área de concentração: Estudos de Linguagem, período de 2010-2012. Especialização em Linguística da Libras pela FAEMA. Formada em Letras/Português pela Universidade Federal do Piauí, concluído em 2009. Atualmente atua como professora na Uninassau-Teresina e Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). 

Referências

DIAS, Luiz Francisco. Enunciação e forma linguística. Revista de Estudos da Linguagem. Belo Horizonte, v. 21, n.1, jan-jun, p. 223-238, 2013a.

__________. Pertinência enunciativa e sustentação referencial: nos limites do sintático e do semântico. In: Desenredo. Passo Fundo, v. 9, n. 2, 2013g.

__________. Acontecimento enunciativo e formação sintática. Línguas e instrumentos linguísticos, Campinas, n. 35, p. 99-138, 2015c.

DUCROT, Osvald. Princípios de Semântica Linguística. São Paulo, Cultrix, 1977.

__________. Argumentação retórica e argumentação linguística. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 44, n. 1, p. 20-25. 2009.

FLORES, Valdir Nascimento. Introdução à Linguística da Enunciação. São Paulo: Contexto, 2005.

GUIMARÃES, Eduardo. Análise de texto: procedimentos, análises, ensino. Campinas: Editora RG, 2011.

___________. Texto e Argumentação: um estudo de conjunções do português. 4. ed. Campinas: Pontes, 2007.

___________. Semântica do Acontecimento. Campinas: Pontes, 2002.

___________. Os limites do sentido: um estudo histórico e enunciativo da linguagem. 4. ed. Campinas: Editora RG, 2010.

OLIVEIRA, Roberta Pires de. Semântica. In: MUSSALIN, Fernanda, BENTES, Ana Christina (orgs.). Introdução à Linguística. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2009. V. 02.

PALMER, F. (1976, 1981), Semantics. Cambridge: Cambridge University Press.

SAUSSURE, F. (1916). Curso de Linguística Geral. São Paulo, Cultrix, 1970.

TAMBA-MECZ, Irène. A semântica. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

Publicado

23/11/2021

Como Citar

Alencar Neto, W. D. de, & Costa, J. D. R. da. (2021). Descortinando sentidos: caminhos para uma análise semântica. Traços De Linguagem - Revista De Estudos Linguísticos, 5(1). https://doi.org/10.30681/2594.9063.2021v5n1id5997