Semântica da Enunciação: um percurso teórico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/2594.9063.2021v5n1id5998

Palavras-chave:

Linguística, Teoria da Enunciação, Semântica da Enunciação

Resumo

Este artigo é o resultado de um dos capítulos desenvolvidos durante o curso no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Linguística da Universidade do Estado de Mato Grosso/Unemat e  tem como propósito apresentar os  estudos sobre enunciação desenvolvidos por Bally (1932), Benveniste (1966; 1974), Ducrot (1972; 1973; 1984), na França, e por Guimarães (1987; 1995; 2002; 2018) e Dias (2018), no Brasil.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Mara Lúcia Martins Rodrigues, Secretaria de Educação do Estado de Mato Grosso

    Possui graduação em Letras pela Universidade do Estado de Mato Grosso (2001) e Mestrado em Linguística pela Universidade do Estado de Mato Grosso (2012) e Doutorado em Linguística pela Universidade do Estado de Mato Grosso (2020). É professora efetiva na E. E. ´José Bejo´. Atuando nas disciplina de Língua Portuguesa e Literatura. Tem experiência como professora tutora nas disciplinas Fonética e fonologia, Linguística e Sociolinguística. Dedica-se aos estudos na área da Semântica da Enunciação.

  • Neuza Zattar, Universidade do Estado de Mato Grosso

    É licenciada em Letras pela Faculdade Dom Aquino de Filosofia Ciências e Letras (Campo Grande-MS, 1976), e possui Mestrado (2000) e Doutorado (2007) em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas. Atua como professora permanente no Programa de de Pós-Graduação em Linguística da Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT e orienta trabalhos de mestrado e doutorado no PPGL. Participa do projeto de pesquisa Significar e desenvolve estudos na área da Semântica da Enunciação, co m produção de textos que mobilizam os construtos teóricos como designação de nomes, argumentação enunciativa entre outros, como também a formação nominal. Publicou os livros "Do IESC à UNEMAT: uma história plural 1978-2008" e "Os sentidos de liberdade do escravo na constituição do sujeito de enunciação" e "Do sítio povoado à margem do Paraguai à cidade de Cáceres: 237 anos". 

Referências

BALLY, Charles. Linguistique générale et linguistique française. Seconde édition entièrement refondue. Berne: Éditions A. Francke S. A., Berne, 1944.

BARBISAN, Leci Borges & TEIXEIRA, Marlene. Polifonia: origem e evolução do conceito em Oswald Ducrot. In: Organon. Volume 16, Número 32/33, 2002 (Revista do Instituto de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul).

BENVENISTE, Émile. Problemas de linguística geral I. Trad. de M. G. Novak e M. L. Neri: revisão do prof. Isaac Nicolau Salum. 5. ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2005.

BENVENISTE, Émile. Problemas de linguística geral II. Tradução de Eduardo Guimarães et. al., revisão técnica de tradução Eduardo Guimarães. 2. ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2006.

BRÉAL, Michel. Ensaio de semântica: Ciência das significações (1897). Coordenação e revisão da tradução Eduardo Guimarães. 2. ed. Campinas, SP: Editora RG, 2008.

CAMARA Jr, Joaquim Mattoso. História da linguística. Tradução Maria do Amparo Barbosa de Azevedo. 2. ed. Petrópolis, Vozes, 1975.

CAREL, M. & SCHULZ, P. Genericidade, metáfora e descrição lexical: um estudo do provérbio não há rosa sem espinho. Tradução Leci Borges Barbisan. Revista Letras de Hoje, v. 39, nº 1, Porto Alegre, pp. 89 – 119, março/2004.

DIAS, L. F. Os sentidos do idioma nacional: as bases enunciativas do nacionalismo linguístico no Brasil. Campinas, SP: Pontes, 1996.

DIAS, L. F. (2013b). A “linguagem cidadã” em questão: uma abordagem enunciativa. In: BRESSANIN et. al. (orgs.). Linguagem e interpretação: a institucionalização dos dizeres na história. Campinas: RG Editora, 2013. pp.211-222.

DIAS, L. F. Enunciação e Relações linguísticas. Campinas, SP: Pontes Editores, 2018.

DIAS, L. F. Um olhar para as articulações linguísticas na constituição de uma Semântica da Enunciação. Traços de Linguagem. V.3, n.2, p. 8-15, 2019.

DUCROT, Oswald. O dizer e o dito. Ver. técnica da tradução Eduardo Guimarães. Campinas, SP: Pontes, 1987.

DUCROT, Oswald. Os internalizadores. Tradução Leci Borges Barbisan. Revista Letras de Hoje, v. 37, nº 3, Porto Alegre, pp 7 – 26, setembro/2002.

DUCROT, Oswald. Argumentação retórica e argumentação linguística. Revista Letras de Hoje, v. 44, nº 1, Porto Alegre, pp. 20 – 25, janeiro-março/2009.

FLORES, Valdir do Nascimento. Dicionário de linguística da enunciação [et al.]. São Paulo: Contexto, 2009.

GUIMARÃES, Eduardo. Os limites do sentido: Um estudo histórico e enunciativo da linguagem. Campinas, SP: Pontes, 1995b.

GUIMARÃES, Eduardo. Semântica do Acontecimento: Um estudo enunciativo da designação. 2 ed. Campinas, SP: Pontes, 2005

GUIMARÃES, Eduardo. (1987). Texto e Argumentação: Um estudo de conjunções do Português. 4 ed. revista e ampliada. Campinas, SP: Pontes, 2007.

GUIMARÃES, Eduardo. Semântica: Enunciação e sentido. Campinas, SP: Pontes Editores, 2018.

RODRIGUES, Mara Lúcia Martins. Os sentidos de família no acontecimento de enunciação. 2020. (Tese/Doutorado). Faculdade de Educação e Linguagem da Universidade do Estado de Mato Grosso, Cáceres, 2020.

SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de Linguística Geral. Organização Charles Bally e Albert Sechehaye. Colaboração de Albert Rieddinger. Tradução Antonio Chelini, José Paulo Paes, Izidoro Blikstein. 28. ed. São Paulo: Cultrix, 2012.

WEIL, Henri. Da ordem das palavras nas línguas antigas comparadas às línguas modernas: questão de gramática geral. Tradução de Sheila Elias de Oliveira. Campinas: Editora da Unicamp, 2015.

Publicado

2021-11-23

Como Citar

Semântica da Enunciação: um percurso teórico. (2021). Traços De Linguagem - Revista De Estudos Linguísticos, 5(1). https://doi.org/10.30681/2594.9063.2021v5n1id5998

Artigos Semelhantes

1-10 de 130

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.