A Pedagogia Rikbaktsa em diálogo permanente com seus espaços socioeducativos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/zeiki.v2i1.5316

Palavras-chave:

Educação Indígena, Aprendizagem, Ensino, Educação Etnomatemática

Resumo

Este trabalho é um recorte da pesquisa de mestrado realizada com o povo Rikbaktsa nas aldeias Primavera, Segunda, Segurança e Beira Rio, pertencentes à Terra Indígena Erikpaktsa localizadas no município de Brasnorte, no Estado de Mato Grosso. Esse trabalho traz a configuração dos resultados do diálogo estabelecido entre a Pedagogia Rikbaktsa e os espaços socioeducativos do povo. Neste propósito, o objetivo deste artigo é evidenciar a estrutura pedagógica que se configura a partir das relações entre seres, saberes e fazeres Rikbaktsa em seus espaços de produção do conhecimento original e, a partir da Etnomatemática do grupo destacar o modo próprio de organizar o pensamento, sistematizar os conhecimentos e difundir entre as gerações mais novas os saberes e fazeres que especificam a cultura e singularizam esses seres que habitam a bacia do Juruena. O contexto da escrita apresenta a postura etnográfica adotada como procedimento metodológico que direcionou o caminho percorrido na pesquisa, para a produção dos dados que foram discutidos sob as perspectivas dos autores que versam sobre a temática em pauta. Como resultado, apresentamos a configuração da Pedagogia Rikbaktsa a partir de uma necessidade de natureza individual ou coletiva, centrada no interesse do aprendiz e não de quem ensina

Biografia do Autor

Elani dos Anjos Lobato, Unemat/Barra do Bugres - MT

Doutorado em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Brasil(2013)
Professor Titular da Universidade do Estado de Mato Grosso , Brasil

Adailton Alves da Silva, Unemat/Barra do Bugres - MT

Doutorado em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Brasil(2013)
Professor Titular da Universidade do Estado de Mato Grosso , Brasil

Referências

ARRUDA, R. S. V. Os Rikbaktsa: Mudança e Tradição. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo, 1992.

_________, R. S. V. Rikbaktsa, os canoeiros do Rio Juruena. Margem (PUC-SP). São Paulo: nº17, p. 99-102, 2003a.

_________, R. S. V. Representação e participação indígena nos processos de gestão do “campo indigenista”: Que democracia? Revista Anthropológicas. v. 14, n. (1+2), p. 35-45, 2003b.

ATHILA, A. R. “Arriscando corpos”: Permeabilidade, alteridade e as formas de socialidade entre os Rikbaktsa (Macro-Jê) do sudoeste Amazônico. 2006. 509f. Tese (Doutorado em Sociologia e Antropologia). Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

CASTRO, E. V. Araweté: Os Deuses Canibais. 1986. Rio de Janeiro: Zahar/ANPOCS, 744

D’AMBROSIO, U. Etnomatemática: Elo entre as tradições e a modernidade. 5ª ed.; 2. Reimp. Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora, 2017.

_________, U. Transdisciplinaridade. 2ª ed., São Paulo, SP: Palas Athena, 2009a.

_________, U. A etnomatemática no processo de construção de uma escola indígena. Revista: Em Aberto, Brasília, ano 14, n.63, jul./set. 1994.

DORNSTAUDER, J. E. Como pacifiquei os Rikbaktsa. Pesquisas, v. 1, n. 17, p. 1193, 1975.

ECKERT, C.; ROCHA, A. L. C. Etnografia: saberes e práticas. Revista Iluminuras: Publicação eletrônica do Banco de Imagens e Efeitos Visuais, v. 9, n. 21, 2008.

FANTINATO, M. C. Reflexões sobre o processo de pesquisa em etnomatemática: análise de uma experiência em contexto urbano. Horizontes, Bragança Paulista, v. 22, n. 1, p. 43-51, 2004.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro. Paz e terra, 42 ed. 2005.

_________, P. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro, 1967. 157 p.

HAHN, R. A. Categorias Rikbaktsa de Relações Sociais: uma análise epidemiológica. 1976. Tese (Doutorado em filosofia), 1976b. Tradução para o português de autor desconhecido e publicação autônoma.

LOBATO, E. A. A Etnomatemática como elo entre a Pedagogia Rikbaktsa e o Espaço Escolar. 2020. 182f. Dissertação (Mestrado em e Ensino de Ciências e Matemática) – Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT - Campus Dep. Est. Renê Barbour de Barra do Bugres/MT

MELIÀ, B. Educação indígena e alfabetização. São Paulo: edições Loyola, 1979.

NICOLESCU, B. O manifesto da transdisciplinaridade. São Paulo: Triom, 1999.

PIRES, P. W. L. Rikbaktsa: Um estudo de parentesco e organização social. São Paulo: Humanitas, 2012.

RODRIGUES, A. D. Línguas indígenas brasileiras. Brasília, DF: Laboratório de Línguas Indígenas da UnB, 2013. 29p. Disponível em: <http://www.laliunb.com.br> Acesso em: 25 mai. 2018.

SILVA, A. A. Os artefatos e mentefatos nos ritos e cerimônias do Danhono: por dentro do Octógono Sociocultural A’uw?/Xavante. 2013. 346f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita Filho”. Rio Claro – SP.

VERGANI, T. Educação Etnomatemática: o que é? Ed. Flecha do Tempo. Natal, 2007.

Downloads

Publicado

09/07/2021

Como Citar

Lobato, E. dos A., & da Silva, A. A. (2021). A Pedagogia Rikbaktsa em diálogo permanente com seus espaços socioeducativos. Zeiki - Revista Interdisciplinar Da Unemat Barra Do Bugres, 2(1), 66–82. https://doi.org/10.30681/zeiki.v2i1.5316