Professores ou influenciadores digitais? Refletindo sobre o uso das mídias digitais como complemento do ensino durante a pandemia de Covid-19.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/rccs.v7i1.5085

Palavras-chave:

Influenciadores digitais. Cultura digital. Professores. Midiatização. Covid-19.

Resumo

O presente trabalho visa apresentar conceituações sobre a figura do influenciador digital, importante ator social dentro da comunicação no ambiente digital. Além disso, conectamos o conceito à prática docente, traçando alguns desafios para os educadores no atual contexto de pandemia da Covid-19. Para tanto, buscamos no referencial teórico sobre formadores de opinião e preferências, bem como no termo curador, as bases para entender este indivíduo. Recorremos também à teoria da Midiatização para compreensão de como operam os influenciadores digitais na contemporaneidade.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Vitor Lopes Resende, Instituto Federal do Amapá (IFAP) / Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
    Professor do Instituto Federal do Amapá, Doutorando em Comunicação na Universidade Federal de Pernambuco, Mestre em Comunicação pela Universidade Federal de Juiz de Fora.

Referências

ANDERSON, Chris. A cauda longa do mercado de massa para o mercado de nicho. Rio de Janeiro: Campus, 2006.

BOURDIEU, Pierre. A opinião pública não existe. In: THIOLLENTE, Michel. Crítica metodológica, investigação social e enquete operária. São Paulo: Polis, 1980.

BRAGA, José Luis. Constituição do campo da comunicação. In FAUSTO NETO, Antônio et al. Campo da comunicação; caracterização, problematizações e perspectivas. João Pessoa: E. Universitária, 2001.

CASTELLS, Manuel. A Galáxia da Internet: Reflexões sobre a Internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2003.

CORTELLA, Mario Sergio; DIMENSTEIN, Gilberto. A era da curadoria: o que importa é saber o que importa! Campinas: Papirus 7 Mares, 2015.

COULDRY, N.; HEPP, A. Conceptualizing mediatization: contexts, traditions, arguments. Communication Theory, v. 23, n. 3, p. 191-201, 2013.

ENGEN, Bård-Ketil. Understanding social and cultural aspects of teachers’ digital competencies. [Comprendiendo los aspectos culturales y sociales de las competencias digitales docentes]. Comunicar, 61, 9-19. https://doi.org/10.3916/C61-2019-01. 2019.

FIGUEIREDO, Rubens. O marketing político: entre a ciência e a falta de razão. São Paulo: Fundação Konrad Adenauer, 2000.

HARVEY, David. A Condição Pós-moderna – uma Pesquisa sobre as Origens da Mudança Cultural. São Paulo, Edições Loyola, 1992.

HELOANI, Roberto. Vivendo no limite: quem são os nossos formadores de opinião? Revista USP, 65, 148-168. 2005.

HEPP, A. As configurações comunicativas de mundos midiatizados: pesquisa da midiatização na era da “mediação de tudo”. Matrizes, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 21-44, jan./jun. 2014.

HJARVARD, Stig. A midiatização da cultura e da sociedade. São Leopoldo: Ed. UNISINOS, 2014.

JAMESON, Fredric. Pós-modernismo. A lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Editora Ática, 1996.

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. São Paulo: Aleph, 2008.

JENKINS, Henry; FORD, Sam e GREEN, Joshua. Spreadable Media. Creating value and meaning in a networked culture. Nova York: New York University Press, 2013.

JIMENÉZ, Blás. La formación permanente que se realiza en los centros de apoyo al profesorado. Educación XX1, 10, 159-178. https://doi.org/10.5944/educxx1.1.10.301. 2007.

KOTLER, Philip; KARTAJAYA, Hemawan; SETIAWAN, Iwan. Marketing 3.0: as forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser humano. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

MORIN, E. Cultura de massa no século XX: o espírito do tempo 1. Neurose. RJ: Forense Universitária, 1984.

SHIRKY, Clay. A cultura da participação: criatividade e generosidade no mundo conectado. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

THOMÉ, Felipe. Influenciadores x defensores da marca: principais diferenças. 2015. Disponível em:

<http://www.vocatu.com.br/influenciadores-x-defensores-da-marcaprincipais-diferencas> Acesso em: 16 jul.2016.

VERGARA, Sylvia Constant; FERREIRA, Victor Claudio Paradela. A representação social de ONGs segundo formadores de opiniões no município do Rio de Janeiro. Revista de Administração Pública (RAP), p. 1137-1159, set./out. 2005.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

Professores ou influenciadores digitais? Refletindo sobre o uso das mídias digitais como complemento do ensino durante a pandemia de Covid-19. (2020). Revista Comunicação, Cultura E Sociedade, 7(1), 024-041. https://doi.org/10.30681/rccs.v7i1.5085

Artigos Semelhantes

1-10 de 93

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.