v. 1 n. 2 (2013): Comunicação, Cultura e Sociedade I

É com satisfação que apresentamos o primeiro número da Revista Comunicação, Cultura e Sociedade. 

A publicação do Grupo de Pesquisa Comunicação, Cultura e Sociedade (Unemat/CNPq) tem como proposta difundir a produção científica da área de comunicação, tornando-se espaço para debates e intercâmbio entre investigadores, grupos e redes de pesquisa, em especial das universidades e programas de pós- graduação do estado de Mato Grosso e da região Centro-Oeste. 

Nesta edição especial, reunimos sete artigos que apontam reflexões em torno do campo da comunicação e do jornalismo em suas respectivas interfaces com os campos culturais, políticos e sociais. 

Em O evangelho do jornalismo segundo o Supremo - Lições da inocuidade e do embaralhamento jurídico-conceitual na decisão do STF sobre o diploma para jornalista, o professor Edson Luiz Spenthof, da Universidade Federal de Goiás (UFG), reflete sob uma perspectiva teórica o debate sobre a necessidade de formação superior em jornalismo, a partir da decisão do Supremo Tribunal Federal sobre a obrigatoriedade do diploma para o exercício profissional.

A visibilidade da cultura popular na cobertura jornalística nas mídias digitais é discutida por Karina Janz Woitowicz, da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), no artigo A cultura popular na agenda midiática: Aspectos da produção jornalística no espaço cultural dos webjornais paranaense. 

O professor Rozinaldo Antonio Miani, da Universidade Estadual de Londrina (UEL) trata em O jornal “Tribuna dos Aposentados” e a luta sindical metalúrgica por uma Previdência Social decente da atuação da imprensa sindical na década de 1990, com estudo da publicação especializada. 

Em Estratégias e formação de repertório no jornalismo visual: um estudo da cor- informação, Tássia Caroline Zanini, da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), aponta reflexões conceituais sobre o conceito de cor- informação em produtos jornalísticos. 
O estudo de Babel, produção cinematográfica de Alejandro González Iñárritu é analisada no contexto da globalização e do multiculturalismo por Claudio Rodrigues Coração, da Universidade de São Paulo (USP) em Os sintomas da brutalidade e do multiculturalismo em Babel. 

Em Identidades e memória: um estudo da comédia Se eu fosse você, Vanessa Amin e Vânia Maria Lescano Guerra, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), tomam como referência as teorias discursivas e culturalistas para examinar o papel social do homem e da mulher no contexto familiar, a partir do estudo da comédia romântica ‘Se eu fosse você’.   

Em O corpo-signo em G Magazine, Gabriel Oliveira, da Faculdade Sumaré (SP), apresenta uma leitura acerca das fotografias publicadas pela Revista G Magazine na perspectiva de refletir sobre a estrutura da linguagem de corpos-signos do nu masculino. 

A sessão de resenhas conta com a colaboração de Lawremberg Advíncula, da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), com apontamentos sobre o livro Ergodesign e arquitetura de informação: trabalhando com o usuário de Luiz Agner. 

Danilo Persh, da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) comenta a obra Mudança estrutural da esfera pública - investigações quanto a uma categoria da sociedade burguesa de Jurgüen Habermas, obra que completou 50 anos em 2012.

O rádio na era digital também é tema de livro O novo rádio – cenários da radiodifusão na era do rádio digital resenhado por Eduardo Medeiros, da Universidade do Estado de Mato Grosso. 

Boa leitura!
Antonio Sardinha |   Lawrenberg Advíncula da SIlva
Editor Geral

Publicado: 19/09/2014