Teleducação em linguagem infantil na instrumentalização do profissional da educação e saúde/ Teleducation in child language in the instrumentalization of the education and health professional/ Teleducación en lenguaje infantil en la instrumentalización de los profesionales de la educación y la salud

Autores

  • Taisa Cristina de Souza Hospital Estadual Américo Brasiliense
  • Camila de Castro Corrêa Universidade de Brasília, UNB e do Centro Universitário Planalto do Distrito Federal, UNIPLAN, Brasília, DF
  • Aline Martins Centro Integrado em Autismo – Dynami
  • Luciana Paula Maximino Faculdade de Odontologia de Bauru-USP, pesquisadora Associada do Setor de Genética Clínica do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da USP

Palavras-chave:

Desenvolvimento da Linguagem, Ensino, Pediatria, Fonoaudiologia, Educação a Distância

Resumo

Objetivo: verificar o conhecimento adquirido por pedagogos e médicos pediatras sobre a linguagem infantil, além de verificar a qualidade do conteúdo do ambiente virtual de aprendizagem. Método: participaram 54 profissionais, sendo divididos em grupo de médicos (gm) (n=27) com a participação à distância e grupo de pedagogos (gp) (n=27) com a participação presencial, preencheram três questionários: a ficha do perfil profissional, questionário de investigação do conhecimento, e o questionário Emory. Resultados: o gp apresentou a média de acertos maior que o gm, porém a média em porcentagem do gm foi superior quando comparado com gp (gp 77,78%±18,70 versus gm 80,60%±12,55). Quanto à avaliação da qualidade e dos recursos tecnológicos, ambos os grupos classificaram todas as escalas no nível de excelência. Conclusão: os profissionais adquiriram conhecimento sobre a aquisição e o desenvolvimento da linguagem infantil e os fatores de risco. Além disso, consideraram o ambiente virtual de aprendizagem uma importante ferramenta, evidenciando assim, o benefício da teleducação.

Biografia do Autor

Taisa Cristina de Souza, Hospital Estadual Américo Brasiliense

Fonoaudióloga, Mestre

Camila de Castro Corrêa, Universidade de Brasília, UNB e do Centro Universitário Planalto do Distrito Federal, UNIPLAN, Brasília, DF

Fonoaudióloga, Professora Doutora

Aline Martins, Centro Integrado em Autismo – Dynami

Fonoaudióloga, Doutoranda em Ciência pela Faculdade de Odontologia de Bauru-USP

Luciana Paula Maximino, Faculdade de Odontologia de Bauru-USP, pesquisadora Associada do Setor de Genética Clínica do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da USP

Fonoaudióloga, Professora Livre Docente Associada 

Referências

Silva NS, Crenitte PA. Performance of children at risk for reading difficulties submitted to an intervention program. CoDAS. 2016; 28(5):517-525.

Yogman M, Garner A, Hutchinson J, Hirsh-Pasek K, Golinkoff RM; COMMITTEE ON PSYCHOSOCIAL ASPECTS OF CHILD AND FAMILY HEALTH; COUNCIL ON COMMUNICATIONS AND MEDIA. The Power of Play: A Pediatric Role in Enhancing Development in Young Children. Pediatrics. 2018; 142(3):e20182058.

Silva LK, Labanca L, Melo EMC, Costa-Guarisco LP. Identificação dos distúrbios de linguagem na escola. Rev CEFAC. 2014; 16(6):1972-9.

Lipkin PH, Macias MM, Baer Chen B, Coury D, Gottschlich EA, Hyman SL et al. Trends in Pediatricians' Developmental Screening: 2002-2016. Pediatrics. 2020; 145(4):e20190851.

Maximino LP, Ferreira MV, Oliveira DT, Lamônica DAC, Feniman MR, Spinardi ACP, et al. Conhecimentos, atitudes e práticas dos médicos pediatras quanto ao desenvolvimento da comunicação oral. Rev CEFAC. 2009; 11(2):267-74.

McCallum C, Bayliss J, Becker E, Nixon-Cave K, Colgrove Y, Kucharski-Howard J et al. The Integrated Clinical Education Strategic Initiatives Project-Development of Parameters to Guide Harmonization in Clinical Education: A Scoping Review. Phys Ther. 2019; 99(2):147-172.

Fonsêca RO, Brazorotto JS, Balen SA. Telessaúde em fonoaudiologia no Brasil: revisão sistemática. Rev CEFAC. 2015; 17(6):2033-43.

Martins A, Franco EC, Caldana ML. Elaboração e avaliação de um website sobre o desenvolvimento da linguagem infantil: portal dos bebês - desenvolvimento da linguagem. Rev CEFAC. 2015; 17(1):159-68.

Martins A. Telessaúde: Ambiente Virtual de Aprendizagem em aquisição e desenvolvimento da linguagem infantil. 2013. 158 f. Dissertação (Mestrado em Ciência) - Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo.

Marson LMD. Ambiente virtual de aprendizagem em linguagem infantil e o profissional do design: uma atuação interdisciplinar. 2014. 166 f. Dissertação (Mestrado em Ciência) - Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo.

Rudolph JM. Case History Risk Factors for Specific Language Impairment: A Systematic Review and Meta-Analysis. Am J Speech Lang Pathol. 2017; 26(3):991-1010.

Gurgel LG, Vidor DC, Joly MC, Reppold CT. Risk factors for proper oral language development in children: a systematic literature review. CoDAS. 2014; 26(5):350-6.

University Rollins School of Public Health. Emory. Health-Related Web Site Evaluation Form. Disponível em: http://www.sph.emory.edu/WELLNESS/instrument.html. Acesso em: 10 março 2020.

Maximino LP, Zambonato TCF, Picolini-Pereira MM, Castro Corrêa C, Feniman MR, Blasca WQ. Development and Evaluation of a Blog about Cleft Lip and Cleft Palate and Hearing. Int Arch Otorhinolaryngol. 2018; 22(1):60-67.

Costa ARA, Mariano TCB, Oliveira AN, Crenitte PAP. Conhecimento de professores sobre estimulação da linguagem via narração de histórias. Distúrb comum. 2017; 29(2):330-341.

Góes NM, Alliprandini PMZ. Estratégias de aprendizagem de alunos de um curso de pedagogia a distância. Psicol Educ. 2017; 45:57-66.

Ávila RC. Formação das mulheres nas escolas de medicina. Rev bras educ med. 2014; 38(1):142-9.

Gordia AP, Quadros TMB, Silva LR, Santos GM. Conhecimento de pediatras sobre a atividade física na infância e adolescência. Rev paul pediatr. 2015; 33(4):400-406.

Farquharson K, Hogan TP, Hoffman L, Wang J, Green KF, Green JR. A longitudinal study of infants' early speech production and later letter identification. PLoS One. 2018; 13(10):e0204006.

Yelland J, Riggs E, Szwarc J, Casey S, Duell-Piening P, Chesters D, et al. Compromised communication: a qualitative study exploring Afghan families and health professionals' experience of interpreting support in Australian maternity care. BMJ Qual Saf. 2016; 25(4):e1.

Nascimento CMB, Lima MLLT, Sousa FOS, Novaes MA, Galdino DR, Silva ECH et al. Telefonoaudiologia como estratégia de educação permanente na atenção primária à saúde no Estado de Pernambuco. Rev CEFAC. 2017; 19(3):371-380.

Molini-Avejonas DR, Rondon-Melo S, Amato CA, Samelli AG. A systematic review of the use of telehealth in speech, language and hearing sciences. J Telemed Telecare. 2015; 21(7):367-76.

van Viersen S, de Bree EH, Kroesbergen EH, Slot EM, de Jong PF. Risk and protective factors in gifted children with dyslexia. Ann Dyslexia. 2015; 65(3):178-98.

Ribeiro DG, Perosa GB, Padovani FHP. Fatores de risco para o desenvolvimento de crianças atendidas em Unidades de Saúde da Família, ao final do primeiro ano de vida: aspectos sociodemográficos e de saúde mental materna. Ciênc saúde coletiva. 2014; 19(1):215-26.

Panes ACS, Corrêa CC, Weber SAT, Maximino LP. Fatores de risco para o desenvolvimento da linguagem: atitudes dos profissionais da saúde e educação. J Health NPEPS. 2018; 3(1):185-97.

Spinardi ACP, Corrêa CC, Maximino LP. Checklist para identificação de crianças de risco para alterações de linguagem oral: nova proposta. Distúrb Comum. 2018; 30(2):278-287.

Favoretto NC, Carleto NG, Arakawa AM, Alcade MP, Bastos JRM, Caldana ML. Portal dos idosos: desenvolvimento e avaliação de um website com informações sobre o processo de envelhecimento e as principais alterações fonoaudiológicas que acometem os idosos. CoDAS. 2017; 29(5):1-6.

Downloads

Publicado

04/12/2020

Como Citar

de Souza, T. C., Corrêa, C. de C., Martins, A., & Maximino, L. P. (2020). Teleducação em linguagem infantil na instrumentalização do profissional da educação e saúde/ Teleducation in child language in the instrumentalization of the education and health professional/ Teleducación en lenguaje infantil en la instrumentalización de los profesionales de la educación y la salud. Journal Health NPEPS, 5(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/jhnpeps/article/view/4454

Edição

Seção

Artigo Original/ Original Article/ Artículo Originale