Atitude dos enfermeiros gestores face à morte: repercussões da pandemia por COVID-19/ Nursing managers' attitudes towards death: repercussions of the COVID-19 pandemic/ Actitudes de los gerentes de enfermería ante la muerte: repercusiones de la pandemia COVID-19

Autores

  • Maria Filomena Passos Teixeira Cardoso Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, Porto, Portugal Centro Hospitalar Universitário São João, Porto, Portugal Universidade Fernando Pessoa, Departamento de Enfermagem, Porto, Portugal https://orcid.org/0000-0001-5758-2310
  • Maria Manuela Ferreira Pereira da Silva Martins Escola Superior de Enfermagem do Porto, Portugal Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS), Porto, Portugal https://orcid.org/0000-0003-1527-9940
  • Olga Maria Pimenta Lopes Ribeiro Escola Superior de Enfermagem do Porto, Portugal Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS), Porto, Portugal https://orcid.org/0000-0001-9982-9537
  • Virgínia Lucinda Sousa Cruz Pereira Centro Hospitalar Universitário São João, Porto, Portugal https://orcid.org/0000-0002-4884-3627
  • Regina Maria Ferreira Pires Escola Superior de Enfermagem do Porto, Portugal Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS), Porto, Portugal https://orcid.org/0000-0003-1610-7091
  • Margarida Reis Santos Escola Superior de Enfermagem do Porto, Portugal Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS), Porto, Portugal https://orcid.org/0000-0002-7948-9317

Palavras-chave:

Atitude Frente a Morte, Enfermagem, Infeções por Coronavírus, Pandemias, Gestor de Saúde

Resumo

Objetivo: analisar as atitudes dos enfermeiros gestores face à morte, antes e após o período crítico da pandemia por COVID-19. Método: estudo quantitativo, transversal e comparativo, realizado em uma instituição hospitalar do Norte de Portugal. A coleta de dados ocorreu através de questionário, que integrava a Escala de Avaliação do Perfil de Atitudes acerca da Morte, em dois momentos. O primeiro ocorreu em 2018, com participação de 28 enfermeiros gestores, e o segundo, em 2020, com 21 enfermeiros gestores. Resultados: globalmente, os participantes manifestaram maior concordância com as atitudes “aceitação neutral/neutralidade” e “medo”. Embora algumas das cinco dimensões das atitudes não tenham apresentado diferenças significativas entre o primeiro e segundo momento, constatou-se que em relação à “aceitação como aproximação”, a média obtida no momento, após o período crítico da pandemia por COVID-19, foi superior. Conclusão: a partir dos resultados emerge a importância de se investir na preparação dos enfermeiros gestores para lidar com a morte e o processo de morrer, com uma dupla intencionalidade: minimizar o seu sofrimento e assegurar a otimização do acompanhamento e apoio aos enfermeiros da equipe que lidera.

Biografia do Autor

Maria Filomena Passos Teixeira Cardoso, Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, Porto, Portugal Centro Hospitalar Universitário São João, Porto, Portugal Universidade Fernando Pessoa, Departamento de Enfermagem, Porto, Portugal

Licenciada em Enfermagem, Doutoranda em Ciências de Enfermagem. Enfermeira Diretora do Centro Hospitalar Universitário São João, Porto Portugal. Docente na Universidade Fernando Pessoa, Departamento de Enfermagem, Porto, Portugal. 

Maria Manuela Ferreira Pereira da Silva Martins, Escola Superior de Enfermagem do Porto, Portugal Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS), Porto, Portugal

Licenciada em Enfermagem, Doutora em Ciências de Enfermagem. Professora Coordenadora na Escola Superior de Enfermagem do Porto, Porto, Portugal. Investigadora integrada no Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS), Porto, Portugal.

Olga Maria Pimenta Lopes Ribeiro, Escola Superior de Enfermagem do Porto, Portugal Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS), Porto, Portugal

Licenciada em Enfermagem, Doutora em Ciências de Enfermagem. Título de Especialista em Enfermagem.  Enfermeira Especialista em Enfermagem de Reabilitação. Professora Adjunta na Escola Superior de Enfermagem do Porto, Porto, Portugal. Investigadora integrada no Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS), Porto, Portugal.

Virgínia Lucinda Sousa Cruz Pereira, Centro Hospitalar Universitário São João, Porto, Portugal

Licenciada em Enfermagem, Mestre em Enfermagem de Reabilitação. Enfermeira em funções de gestão no Centro Hospitalar Universitário São João.

Regina Maria Ferreira Pires, Escola Superior de Enfermagem do Porto, Portugal Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS), Porto, Portugal

Licenciada em Enfermagem, Doutora em Ciências de Enfermagem. Professora Adjunta na Escola Superior de Enfermagem do Porto, Porto, Portugal.

Margarida Reis Santos, Escola Superior de Enfermagem do Porto, Portugal Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS), Porto, Portugal

Licenciada em Enfermagem, Doutora em Ciências de Enfermagem. Professora Coordenadora na Escola Superior de Enfermagem do Porto, Porto, Portugal. Investigadora integrada no Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS), Porto, Portugal.

Referências

Feiten A, Coelho TR. Quality management in service organizations: barriers and sucess factors. R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte. 2019; 18(3):56-71.

Ferrer, R. Pandemia por Covid-19: el mayor reto de la historia del intensivismo. Med Intensiva. 2020; 44(6):323-324.

Direção-Geral da Saúde. Plano Nacional de Preparação e Resposta à Doença por novo coronavírus (COVID-19) [Internet]. Lisboa: Direção-Geral da Saúde; 2020 [cited 2020 Jun 01]. Available from: https://covid19.minsaude.pt/wpcontent/uploads/2020/03/Plano-de-Conting%C3%AAncia-Novo-Coronavirus_Covid-19.pdf

Ventura-Silva JMA, Ribeiro OMPL, Santos MR, Faria ACA, Monteiro MAJ, Vandresen L. Planejamento organizacional no contexto de pandemia por COVID-19: implicações para a gestão em enfermagem. J Health NPEPS. 2020; 5(1):e4626.

Almeida JA. Internal Medicine in Centro Hospitalar Universitário S. João and the COVID-19 Pandemic. Med Intensiv. 2020; 1-6.

Nogueira PJ, Nobre MA, Nicola PJ, Furtado C, Carneiro AV. Excess Mortality Estimation During the COVID-19 Pandemic: Preliminary Data from Portugal. Acta Med Port. 2020, 33(6): 376-383.

Soares SSS, Almeida ASS, Jesus LS, Carvalho EC, Varella TC, Souza NVDO. Covid-19 pandemic and the death/dying process: reflections on nursing students. RSD. 2020; 9(9):e615997766.

Humerez DC, Ohl RIB, Silva MCN. Mental health of brazilian nursing professionals in the context of the COVID-19 pandemic: action of the nursing federal council. Cogitare enferm. 2020; 25: e74115.

Ordem dos Enfermeiros. Código Deontológico dos Enfermeiros [Internet]. Lisboa: Ordem dos Enfermeiros; 2012 [cited 2020 Sept 30]. Available from: https://www.ordemenfermeiros.pt/media/8889/codigodeontologicoenfermeiro_edicao2005.pdf

Machado RS, Oriá MOB, Fernandes MA, Gouveia MTO, & Silva GRF. Translation and cultural adaptation of death attitude profile Revised (DAP-R) for use in Brazil. Texto & contexto enferm. 2019; 28:e20180238.

Loureiro LMJ. Translation and adaptation of the Revised Death Attitude Profile (DAP-R). Rev Enf Ref. 2010; III(1):101-108.on

Cardoso MFPT, Martins MMFPS, Ribeiro OMPL, Fonseca EF. Nurses’ attitudes towards death in the hospital context: differentiation by care units. Esc Anna Nery. 2021; 25(1):e20200100.

Barbosa AGC, Massaroni L, Lima EFA. Significados do processo do morrer e da morte para a equipe multiprofissional. Rev. Pesqui. (Univ. Fed. Estado Rio J., Online). 2016; 8(2):4510-7.

Povedano-Jimenez M, Granados-Gamez G, Garcia-Caro MP. Work environment factors in coping with patient death among Spanish nurses: a cross-sectional survey. Rev. latinoam. enferm. 2020; 28:e3234.

Perboni JS, Zilli F, Griebeler Oliveira S. Health professionals and the patient death and die process: an integrating review. pers.bioét. 2018; 22(2):288-302.

Ordem dos Enfermeiros. Regulamento do Perfil de Competências do Enfermeiro Gestor [Internet]. Lisboa: Ordem dos Enfermeiros; 2015. Available from: https://dre.pt/application/conteudo/114599547

Souza MCS, Sousa JM, Lago DMSK, Borges MS, Ribeiro LM, Guilhem DB. Evaluation of the Death Attitude Profile-Revised: a study with health science undergraduate students. Texto & contexto enferm. 2017; 26(4): e3640016.

Tabar M. Investigating the status of life satisfation quality of life and death anxiety according to the personality traits of the old living at home and city of Kermanshah. Int Educ Res J. 2018; 4(4):91-95.

Pais NJ, Costeira CR, Silva AM, Moreira IM. Efetividade de um programa de formacao na gestao emocional dos enfermeiros perante a morte do doente. Rev. Enf. Ref. 2020; 5(3):e20023.

Silva MCQS, Vilela ABA, Silva RS, Boery RNSO. The dying process and death of patients with COVID-19: a reflection in the light of spirituality. Cogitare enferm. 2020; 25:e73571.

Gonçalves MJR, Simões JRS. The importance of the nursing team in preventing diabetic foot. Revista J`RG. 2019; 2(5): 166-182.

Lopes MFGL, Melo YST, Santos MWC, Oliveira DAL, Maciel AM. Vivências de enfermeiros no cuidado às pessoas em processo de finitude. Rev. Ciênc. Plur. 2020; 6(2):82-100.

Downloads

Publicado

26/10/2020

Como Citar

Cardoso, M. F. P. T., Martins, M. M. F. P. da S., Ribeiro, O. M. P. L., Pereira, V. L. S. C., Pires, R. M. F., & Santos, M. R. (2020). Atitude dos enfermeiros gestores face à morte: repercussões da pandemia por COVID-19/ Nursing managers’ attitudes towards death: repercussions of the COVID-19 pandemic/ Actitudes de los gerentes de enfermería ante la muerte: repercusiones de la pandemia COVID-19. Journal Health NPEPS, 5(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/jhnpeps/article/view/4960

Edição

Seção

Artigo Original/ Original Article/ Artículo Originale

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)