GÊNEROS TEXTUAIS DA E NA LÍNGUA INDÍGENA CHIQUITANO E A PRÁTICA DA ORALIDADE NA LÍNGUA ÉTNICA

Autores

  • Maria Síria RUPE
  • Lucimar Luisa FERREIRA

Resumo

Este trabalho de pesquisa, com abordagem principalmente qualitativa MARTINS, 2004) e pesquisa de campo, tem por objetivo principal documentar os gêneros textuais, entre eles cantos e histórias orais que estão na memória coletiva do povo Chiquitano. Para isso, será feita uma pesquisa em linguística aplicada (CAVALCANTE, 1986), com o uso da pesquisa-ação (THIOLENT, 1988) em que a pesquisadora/professora e estudantes da EEI Chiquitano farão o registro desses textos para serem utilizados nas práticas de oralidade tanto na escola como em outros espaços das comunidades.

Palavras chaves: gêneros textuais, povo chiquitano, memória coletiva.

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Tradução: Maria Ermantina Galvão G. Pereira. 3. ed. São Paulo: Marins Fontes, 2000.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso: organização, tradução, posfácio e notas de Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2016 (1º edição).

CAVALCANTI, M.C. A propósito de Lingüística Aplicada. In: Trabalhos em

Lingüística Aplicada, vol. 07, 1986.

COSTA, José Eduardo Fernandes Moreira. A coroa do mundo: religião, território e territorialidade Chiquitano. Cuiabá, MT: Ed. UFMT, 2006.

DUNCK-CINTRA, Ema Marta. Do silêncio à vitalidade sociocultural dos

Chiquitano do Porta do Encantado -Mato Grosso –Brasil. 2016. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Letras, 2016.

DUNCK-CINTRA, Ema Marta. Vozes silenciadas: situação sociolingüística dos Chiquitano no Brasil – Acorizal e Fazendinha, MT. 2005. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Letras, 2005.

GRUPIONI, Luís Donisete Benzi. Do nacional ao local, do federal ao estadual: as leis e a educação escolar indígena. In: MARFAN, Marilda Almeida (Org.). Congresso Brasileiro de qualidade na Educação: formação de professores: educação escolar indígena. Brasília: n.11-2018. MEC/SEF, 2001. p. 130-136. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/vol4c.pdf>. Acesso em: 10 ago. de 2019.

LUCIANO, Gersen Baniwa dos Santos. O índio brasileiro: o que você precisa saber sobre os povos indígenas no Brasil de hoje. Brasília: Ministério da Educação/Secad; Museu Nacional, 2006.

MARTINS, Joel. A pesquisa qualitativa. In: FAZENDA, Ivani (Org.). Metodologia da pesquisa educacional. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2004. p. 47-58. (Biblioteca da Educação, Série I, Escola; v.11).

SANTANA, Áurea Cavalcante. Línguas cruzadas, histórias que se mesclam:

ações de documentação, valorização e fortalecimento da língua Chiquitano no Brasil. 2012. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Letras, 2012.

SANTANA, Áurea Cavalcante. Transnacionalidade lingüística: a língua Chiquitano no Brasil. 2005. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Letras, 2005.

SILVA, Joana Aparecida Fernandes. Território e fronteiras Brasil-Bolívia no país dos Chiquitano. In Revista do Museu Antropológico, Goiânia, v. 5/6, n. 1, p. 179-212, jan.-dez. 2001-2002.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. 4 ed. São Paulo: Cortez,

Recebido: 13/09/2020

Aprovado: 30/12/2020

Publicado: 30/01/2021

Downloads

Publicado

2021-04-12

Como Citar

RUPE, M. S., & FERREIRA, L. L. (2021). GÊNEROS TEXTUAIS DA E NA LÍNGUA INDÍGENA CHIQUITANO E A PRÁTICA DA ORALIDADE NA LÍNGUA ÉTNICA. Revista De Comunicação Científica, 7(1), 141–149. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/rcc/article/view/5424

Edição

Seção

Artigos