A ordem metodológica do círculo de Bakhtin para o estudo da língua: uma análise do gênero poema

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/2594.9063.2020v4n2id4718

Resumo

Os estudos do Círculo de Bakhtin fornecem ancoragem para o trabalho com a língua concreta e viva na sala de aula. A partir dessas concepções teóricas, amparamo-nos na “[...] ordem metodológica para o estudo da língua” (BAKHTIN/VOLOCHÍNOV, 2009[1929]) e desenvolvemos um procedimento didático com o gênero do discurso poema. No presente artigo, refletimos sobre o resultado dessas ações, ou seja, o que os textos dos alunos revelam sobre essa forma de atuação didática. Destarte, o objetivo é analisar como os elementos constitutivos do gênero – conteúdo temático, estilo e construção composicional – se configuraram nas produções escritas. A metodologia consiste em um estudo de caso para a geração de dados, no qual o texto de um aluno é analisado representando as produções textuais de toda a turma. O aporte teórico sustenta-se em Bakhtin (2010[1979]), Bakhtin/Volochínov (2009[1929]) e Volochínov/Bakhtin (1926). Os resultados demonstram que ações didáticas embasadas na Concepção Dialógica da Linguagem podem ser vislumbradas, por meio dos elementos constitutivos, nas elaborações dos alunos.

Biografia do Autor

Leliane Regina Ortega, Rede Púbica de Ensino do Estado do Paraná

Doutoranda em Letras - Linguagem e Sociedade pelo PPGL - Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste, Mestra pelo mesmo programa, e professora da Rede Púbica de Ensino do Estado do Paraná.

Marcelo Nicomedes dos Reis Silva Filho, Universidade Federal do Maranhão - UFMA

Professor do Curso de Licenciatura em Linguagens e Códigos da Universidade Federal do Maranhão UFMA, Campus São Bernardo, bolsista na Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Maranhão - FAPEMA, doutorando em Letras - Linguagem e Sociedade pelo PPGL - Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste, Mestre em Educação - UCB, Graduado em Letras – Universidade Federal do Maranhão - UFMA. 

Referências

ABRAMOVICH, Fanny. Literatura infantil: gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione, 1987.

BAKHTIN, Mikhail.; VOLOCHÍNOV, Valentin Nikolaevich. (1929). Marxismo e filosofia da linguagem.Tradução do francês por Michel Lahud e Yara F. Vieira. 13. ed. São Paulo: Hucitec, 2009.

BAKHTIN, Mikhail. (1979). Estética da criação verbal. Tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

BARROS, Manoel. O menino que carregava água na peneira. In: LEITE, Maristela Pertrili de Almeida. Palavras de encantamento: antologia de poetas brasileiros. São Paulo: Moderna, 2001. (Literatura em minha casa; V. 1)

BRAIT, Beth. Estilo. In. BRAIT, Beth (org.). Bakhtin: conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2013, p. 79-102.

CEREJA, Willian. Significação e tema. In: BRAIT, Beth (Org.). Bakhtin: Conceitos-Chave. São Paulo: Contexto, 2013. p. 201-220.

COSTA-HÜBES, Terezinha da Conceição. Os gêneros discursivos como instrumentos para o ensino de Língua Portuguesa: perscrutando o método sociológico bakhtiniano como ancoragem para um encaminhamento didático-pedagógico. In: NASCIMENTO, Elvira Lopes do; ROJO, Roxane Helena Rodrigues. (Orgs.). Gêneros de Texto/Discurso e os desafios da contemporaneidade: São Paulo: Pontes Editora, 2014. p. 13-34.

GERALDI, João Wanderley. A aula como acontecimento. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010.

GRILLO, Sheila V. de Camargo. Dialogismo e construção composicional em reportagens de divulgação científica de Pesquisa Fapesp. In: Paula, L. de; STAFUZZA Grenissa (Orgs.). Círculo de Bakhtin: Diálogos in possíveis. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2010. p. 49-68.

GRILLO, Sheila V. de Camargo. Esfera e campo. In: BRAIT, B. (org.). Bakhtin: outros conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2014. p. 133 -160.

GOMES, Massillania Ferreira. Brincadeiras de meninos e meninas como “matéria de poesia” em Manoel de Barros. Disponível em: http:www.alb.com.br/anais14/Sem09/C09044.doc. Acesso em: 20 de jul. 2019.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E.D.A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2. ed. Rio de Janeiro: E.P.U., 2014.

ROJO, Roxane. Materiais didáticos no ensino de língua. In: MOITA LOPES, Luiz Paulo da (Orgs.). Linguística Aplicada na modernidade recente. São Paulo: Parábola, 2013. p. 163-196.

MEDVIÉDEV, Pável Nikoláievitch. (1928). O método formal nos estudos literários: Introdução crítica a uma poética sociológica. Tradução: Ekaterina Vólkova Américo e Sheila Camargo Grillo. São Paulo: Contexto, 2012.

SOBRAL, Adail. Do dialogismo ao gênero: as bases do pensamento do Círculo de Bakhtin. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2009.

VOLOCHÍNOV, Valentin Nikolaevich; BAKHTIN, Mikhail. Discurso na Vida e Discurso na Arte (sobre a poética sociológica).Trad. De Carlos Alberto Faraco & Cristóvão Tezza [para fins didáticos]. Versão da língua inglesa de I. R. Titunik a partir do original russo, 1926.

VOLOCHÍNOV, Valentin Nikolaevich. (1930). A construção da enunciação e outros ensaios. Tradução de João Wanderley Geraldi. Supervisão da tradução: Valdemir Miotello. São Carlos: Pedro & João Editores, 2013.

Publicado

14/05/2021

Como Citar

Ortega, L. R., & Silva Filho, M. N. dos R. (2021). A ordem metodológica do círculo de Bakhtin para o estudo da língua: uma análise do gênero poema. TRAÇOS DE LINGUAGEM - REVISTA DE ESTUDOS LINGUÍSTICOS, 4(2). https://doi.org/10.30681/2594.9063.2020v4n2id4718