Alguns problemas de consciência fonológica ditongal do professor brasileiro de língua inglesa como L2

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/2594.9063.2021v5n1id5999

Palavras-chave:

Consciência Fonológica, Professores de Inglês como L2, Pronúncia, Ditongos

Resumo

Este trabalho levanta problemas na consciência fonológica de professores de inglês como L2, que é um dos maiores obstáculos para o ensino eficiente. Como foco de pesquisa, contornamos os aspectos ditongais no nível segmental da pronúncia. O método utilizado é o indutivo e a aplicação consistiu na coleta, via gravação de áudio, da fala de cinco professores de língua inglesa como L2 em universidades e cursos de idioma. Após a análise das pronúncias, por meio de comparação com o General American Accent, pudemos identificar que há uma discrepância considerável em relação ao nível de consciência fonológica de professores brasileiros de língua inglesa.

Biografia do Autor

Priscila Rossa, Universidade de Santa Cruz do Sul

Possui graduação em English pela Concordia University of Edmonton(2015) e ensino-medio-segundo-graupela ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO VERA CRUZ(2009). Atualmente é Instrutor de Inglês da Symbol Idiomas. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Línguas Estrangeiras Modernas.

Carlos Renê Ayres, Universidade de Santa Cruz do Sul

Possui graduação em Letras Português/Inglês e Respectivas Literaturas pela Universidade de Santa Cruz do Sul (1987), Mestrado em Letras pela Universidade Federal de Santa Maria (1995) e Doutorado em Letras pela Universidade Federal de Santa Maria (2007). Especialização em Metodologia do ensino de Língua Portuguesa e Literatura - FISC. Atualmente é professor adjunto da Universidade de Santa Cruz do Sul. Exerce também a Coordenação do Curso de Letras da Unisc e Coordena o Centro de Línguas e Culturas da Unisc. Atua no curso de Graduação em Letras e no Programa de Pós-Graduação em Letras - Mestrado e Doutorado da Unisc. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Análise do Discurso e Estudos Cognitivos, atuando principalmente nos seguintes temas: texto, discurso, sentido, sujeito, leitura, cognição, letramento e ensino de Língua Inglesa. Coordena o Projeto de Pesquisa Gestos de leitura - discurso, cognição e sentido. Tem ainda sob sua Coordenação dois projetos de Pibid - Português e Língua Inglesa. Coordena ainda os exames de Língua Estrangeira aplicados para o Stricto Sensu e para a graduação. É responsável também pela coordenação da redação nos processos seletivos da universidade.

Marcos Luiz Cumpri, Universidade do Estado de Mato Grosso

Possui graduação em Letras/Bacharelado e Licenciatura Português - Inglês (2001) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, mestrado (2008) e doutorado (2012) em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho . Atualmente é professor visitante na Universidade do Estado de Mato Grosso. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística. É membro do Grupo de Pesquisa Variação e invariantes na linguagem, cadastrado no CNPq e, desde 2015, é docente e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Linguística da UNEMAT/Campus de Cáceres.

Referências

ADAMS, Marilyn Jaeger et al. Consciência fonológica em crianças pequenas. Porto Alegre: Artmed, 2006.

BYRNE, Donn. Teaching oral English. [S.l.]: Longman, 1976.

FIGUEIREDO, Maria Flávia. Uma proposta de ensino da pronúncia da língua inglesa com ênfase nos processos rítmicos de redução vocálica. Araraquara, 2002. 380 p. Tese (Doutorado), Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, 2002. Disponível em: http://mariaflaviafigueiredo.com.br/tese/Tese.pdf. Acesso em: 20 out. 2021.

FOREL, Claire A.; PUSKÁS, Genoveva. Phonetics and phonology: Reader for first year English linguistics, 2005.

LAMPRECHT, Regina Ritter. Consciência dos sons da língua: subsídios teóricos e práticos para alfabetizadores, fonoaudiólogos e professores de língua inglesa. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2009.

PAIVA, Vera Lúcia Menezes de Oliveira e. A língua inglesa no Brasil e no mundo. In: PAIVA, V. L. M. (Org.). Ensino de língua inglesa: reflexões e experiências. Campinas: Pontes Editores, 1996. p. 9-27.

RIGATTI-SCHERER, Ana Paula. Conversa Inicial. In: LAMPRECHT, Regina Ritter (Org.). Consciência dos sons da língua. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2009.

ROACH, Peter. English phonetics and phonology: a practical course. 4. ed. São Paulo: Cambridge University Press, 2009. Disponível em: http://www.jasabiza.ir/file/file-13798764132.pdf. Acesso em: 20 out. 2021.

STEINBERG, Martha. Pronúncia do inglês norte-americano. São Paulo: Ática, 1985. (Série Princípios)

SZIGETVÁRI, Péter. Two more, three less: diphthongs in British English. The even yearbook, n. 11, p. 57-66, 2014. Disponível em: http://seas3.elte.hu/even/2014/14sz.pdf. Acesso em: 20 out. 2021.

Publicado

23/11/2021

Como Citar

Rossa, P., Ayres, C. R., & Cumpri, M. L. (2021). Alguns problemas de consciência fonológica ditongal do professor brasileiro de língua inglesa como L2 . Traços De Linguagem - Revista De Estudos Linguísticos, 5(1). https://doi.org/10.30681/2594.9063.2021v5n1id5999