Find new causes: o ativismo de marca nas campanhas publicitárias da Chevrolet Brasil

Autores

  • Luciana Panke UFPR
  • Bruno Hecke Becher

Palavras-chave:

Comunicação Publicitária, Propaganda, Ativismo de Marcas, Posicionamento

Resumo

Para juntarem-se às conversas de seus públicos e aumentarem seu brand equity, empresas em todo o mundo têm recorrido às práticas de ativismo de marca. Nesse sentido, a polarização que toma conta do Brasil desde 2013 serve como trampolim para a nova linha de comunicação politizada da Chevrolet. O estudo se concentra nos filmes publicitários dos modelos Cruze e S10 veiculados entre 2017 e 2020, período em que a montadora passou a inserir temas políticos em suas campanhas. Valendo-se do método de análise fílmica – baseada na investigação semiológica de Eco (1984) –, este artigo explora a construção da mensagem política nas comunicações da Chevrolet Brasil, buscando compreender a intencionalidade no discurso da montadora, bem como os códigos de linguagem publicitária que demonstram enviesamento político da mensagem.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Referências

AAKER, David. Brand Equity: Gerenciando o valor da marca. 11. ed. São Paulo: Elsevier, 1998. p. 307.

AZEVEDO, Fernando. Ideologia e Hegemonia. In: RUBIM, Antonio (org.). Comunicação Política: Conceitos e abordagens. São Paulo: Editora da Universidade Federal da

Bahia-Edufba e Fundação Editora UNESP, 2004. p. 41-72.

DOMENACH, Jean-Marie. Propaganda política. São Paulo: Difel, 1945, p. 142.

DOMINGUES, Izabela. MIRANDA, Ana Paula. Consumo de ativismo. Barueri: Estação das Letras e Cores, 2018, p. 133.

ECO, Umberto. Apocalípticos e Integrados. 7. ed. São Paulo: Lumen, 1984, p. 363-385.

KOTLER, Philip; KARTAJAYA, Hiermawan; SETIAWAN, Iwan. Marketing 3.0: as forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser humano. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

KOTLER, Philip.; KELLER, Kevin. Administração de Marketing. 12. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006.

KOTLER, Philip; SARKAR, Christian. Brand Activism: From Purpose to Action. 2. ed. Austin: Idea Bite Press, 2020. E-book. Tradução nossa.

KARTAJAYA, Hermawan; KOTLER, Philip; SETIAWAN, Iwan. Marketing 4.0: Do Tradicional ao Digital. 1. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2017. 208 p.

LANDOR ASSOCIATES (São Francisco); WEALLEANS, Sarah. The Essentials of Branding. In: BENNETT, Anthony (ed.). The Big Book of Marketing: Lessons and Best Practices from the World's Greatest Companies. 1. ed. New York: McGraw-Hill, 2010, p. 57-58.

MUKHERJEE, Sourjo; ALTHUIZENB, Niek. Brand activism: Does courting controversy help or hurt a brand?. International Journal of Research in Marketing, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.ijresmar.2020.02.008. Acesso em: 9 nov. 2020.

PANKE, Luciana. Discurso e propaganda eleitoral: conceitos e técnicas. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 34., 2011, Recife. Anais eletrônicos...

Recife: Intercom.

PIMENTEL, Pedro. Ativismo de marcas: quando uma marca se posiciona politica e socialmente. In: Grupo de Pesquisa Comunicação Eleitoral UFPR. [S.l.], 16 abr. 2020. Disponível em:

http://www.comunicacaoeleitoral.ufpr.br/index.php/2020/04/16/ativismo-de-marcas-quando-u ma-marca-se-posiciona-politica-e-socialmente/. Acesso em: 10 nov. 2020.

SCHIFFMAN, Leon; KANUK, Leslie. Comportamento do Consumidor. 6. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2000. 476 p.

Publicado

2023-08-01

Como Citar

Find new causes: o ativismo de marca nas campanhas publicitárias da Chevrolet Brasil. (2023). Revista Comunicação, Cultura E Sociedade, 8(2). https://periodicos.unemat.br/index.php/ccs/article/view/10434

Artigos Semelhantes

1-10 de 151

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.