Perspectivas sobre a pesquisa em Comunicação no Brasil

Mapeamento dos Programas de Pós-Graduação e suas linhas de pesquisa

Autores

  • Ana Paula Lopes da Silva Rodrigues Universidade Federal de Viçosa

Palavras-chave:

comunicação, Programas de Pós-graduação, Plataforma Sucupira, Avaliação da Pós-graduação, perspectivas de futuro

Resumo

Conhecer o passado nos guia na jornada de planejar o futuro, pois somente entendendo de onde viemos, podemos traçar com sabedoria o caminho que desejamos percorrer. Para mirar o futuro do campo da Comunicação no Brasil, é preciso conhecer a história dos programas de pós-graduação em Comunicação, que tanto contribuem para o ensino, pesquisa e formação de pesquisadores no Brasil. O objetivo deste estudo é analisar a evolução dos cursos de mestrado e doutorado em comunicação no Brasil, explorando essa transformação sob a perspectiva das linhas de pesquisas realizadas em programas de pós-graduação. Para tal, utilizou-se como procedimentos metodológicos a revisão da literatura acadêmica e a análise de dados quantitativos e qualitativos coletados na Plataforma Sucupira. Por fim, identificou-se que as perspectivas de futuro para os programas de pós-graduação em Comunicação no Brasil incluem a expansão planejada e a descentralização para regiões menos especializadas, com foco na qualidade e na competitividade.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Referências

KUNSCH, M. M. K. A produção científica em Comunicação Organizacional e Relações Públicas nos Cursos de Pós-Graduação em Comunicação no Brasil (1970 a 2000). In: Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2002, Salvador-BA. Anais [...]. Salvador: Intercom, 2002. p. 1-30. Disponível em: http://www.portcom.intercom.org.br/pdfs/fbb0aa136c820c4a204269a1f6818983.pdf. Acesso em: 26 out. 2023.

LOPES, M. I. V. O campo da comunicação: reflexões sobre seu estatuto disciplinar. Revista USP, v.1, n.48, p. 46-57, dezembro/fevereiro 2000-2001. São Paulo. Disponível em: http://www.usp.br/revistausp/48/04-immacolata.pdf

LOPES, M. I. V.; ROMANCINI, R.. A pós-graduação em comunicação no Brasil. In: KUNSCH, M. M. K.; MELO, J.M.de. (Org.). Comunicação Ibero-Americana: sistemas midiáticos, diversidade cultural, pesquisa e pós-graduação. 1 ed.São Paulo: Confibercom/ ECA-USP, 2012, v. 1, p. 189-209.

OTRE, M.A.C.. Quarenta Anos de Pesquisa Sobre Comunicação Popular, Alternativa e Comunitária no Brasil: análise da produção discente na pós-graduação stricto sensu em comunicação. Comunicação & Sociedade, [S.L.], v. 37, n. 3, p. 5-41, 30 dez. 2015. Instituto Metodista de Ensino Superior. http://dx.doi.org/10.15603/2175-7755/cs.v37n3p5-41.

ROMANCINI, R. O campo da Comunicação no Brasil: institucionalização e capital científico. 2006, 505 f. Tese (Doutorado em Comunicação Social) – Universidade de São Paulo.

RIBEIRO, R. J. Para que serve a avaliação da Capes. 2007. Disponível em: https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/Artigo_18_07_07.pdf. Acesso em: 26 out. 2023.

SODRÉ, M. Antropológica do espelho: uma teoria da comunicação linear e em rede. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

VENTURINI, A. C.; FERES JÚNIOR, J. Política de ação afirmativa na pós-graduação: o caso das universidades públicas. Cadernos de Pesquisa, [S.L.], v. 50, n. 177, p. 882-909, set. 2020. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/198053147491.

Downloads

Publicado

2024-05-02

Como Citar

Perspectivas sobre a pesquisa em Comunicação no Brasil: Mapeamento dos Programas de Pós-Graduação e suas linhas de pesquisa. (2024). Revista Comunicação, Cultura E Sociedade, 9(1). https://periodicos.unemat.br/index.php/ccs/article/view/11829

Artigos Semelhantes

1-10 de 154

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.