Ecos emergentes do Cerrado brasileiro: Notas sobre a Colonização Cultural e o Pensamento Folkcomunicacional do/no interior de Mato Grosso

Autores

  • Lawrenberg Advincula da Silva Universidade do Estado de Mato Grosso

DOI:

https://doi.org/10.30681/rccs.v5i5.1645

Palavras-chave:

Folkcomunicação, dialética da colonização, pensamento folkcomunicacional unematiano.

Resumo

Ao refletir sobre a relação entre a condição dialética da colonização cultural no estado de Mato Grosso (Centro-Oeste brasileiro) e o perfil do imaginário (folk)comunicacional do campus universitário da pequena cidade de Alto Araguaia (pensamento folkcomunicacional unematiano), o presente texto tem como proposta desenvolver um balanço parcial acerca da experiência pedagógica em formação de Jornalismo em sua interface com questões prementes dos estudos da Antropologia brasileira (Alfredo Bosi) e da Folkcomunicação, no viés das Ciências Humanas. Busca-se, em certa medida, revelar as hibridações do que afirma e reafirma a produção bibliográfica em comunicação popular em contextos semirrurais de urbanização: como forma de resistência e ascensão emergente, no que tange as condições históricas de institucionalização do conhecimento científico no Brasil no século XX.  A pesquisa e o texto irão integrar o livro Cenários Comunicacionais, a ser publicado pela editora Media XXI e vinculado ao projeto de extensão da revista científica Comunicação, Cultura e Sociedade – RCCS, do curso de Jornalismo da Unemat.

Biografia do Autor

Lawrenberg Advincula da Silva, Universidade do Estado de Mato Grosso

Professor Assistente do Curso de Comunicação Social , habilitação Jornalismo, |  Jornalismo do campus Alto Araguaia da Universidade do Estado de Mato Grosso - Unemat. Coordenador da revista científica Comunicação, Cultura e Sociedade - RCCS (www.aia.unemat.br/revistaculturasociedade) e Coordenador do Projeto de Pesquisa Formação Profissional em Jornalismo em Mato Grosso - FPJMT.

Referências

ALVES, W. O desafio de um curso de Jornalismo. Portal Observatório da Imprensa. Edição 357, 28/11/005. Ver: www.observatoriodaimprensa.com.br

BELTRÃO, L. Folkcomunicação: A comunicação dos marginalizados. São Paulo: Cortez, 1980.

_________________. Folkcomunicação: teoria e metodologia. São Bernardo do Campo: Umesp, 2004.

_________________. Folkcomunicação: um estudo dos agentes e dos meios populares de informação de fatos e expressão de idéias. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2001.

BOSI, A. Dialética da colonização. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

BOSI, E. Cultura de massa e cultura popular: leituras de operárias. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1977.

CERTEAU, M. A invenção do cotidiano. Artes de fazer. Tradução Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis: Vozes, 1994.

COELHO, F. N. Memórias cronológicas da capitania de Mato Grosso. 1. ed. Cuiabá: editora UFMT, 1976.

GOBBI, M. C. Bibliografia de Folkcomunicação. In: BELTRÃO, Luiz – Folkcomunicação: teoria e metodologia. São Bernardo do Campo: UMESP, 2004.

GONZÁLEZ, J. A. Más (+) Cultura (s) Ensayos sobre realidades plurales. México, Pensar la Cultura, 1994. GUSHIKEN, Y. Folkcomunicação: interpretação de Luiz Beltrão sobre a modernização brasileira. UNAM (México): Revista Razón y Palavra. 77, 2011.

GRAMSCI, A. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1968.

GUSHIKEN, Y.; SILVA, L. A. Folkcomunicação nas relações políticas e sociais na contemporaneidade. Revista Internacional de Folkcomunicação, v. 01, p. 1-19, 2010.

MADUREIRA, E. Revivendo Mato Grosso. Secretaria de Educação de Mato Grosso, 1997.

MALINOWSKI, B. Argonautas do pacifico ocidental: Um relato do empreendimento e da aventura dos nativos nos arquipélagos da Nova Guiné melanesia. São Paulo: Abril Cultural, 1976.

MELO, J. M. Mídia e cultura popular. História, taxionomia e metodologia da folkcomunicação. São Paulo: Paulus, 2008.

MELO, J. M.; FERNANDES, G. M. (Orgs.). Metamorfose da folkcomunicação: antologia brasileira. São Paulo: Editae Cultural, 2013.

MENDONÇA, R. de. História da Literatura mato-grossense. Cáceres: Ed. UNEMAT, 2005.

MENDONÇA, R. de. História do Jornalismo em Mato Grosso. 2. ed. Cuiabá:1963

REDE FOLKCOM. Site: www. redefolkcom.org.br.

Revista Comunicações & Problemas. V.1, n. 1. Março: Recife, 1965.

SCHMIDT, C. (ORG). Folkcomunicação na Arena Global: avanços teóricos e metodológicos. São Paulo: Doctor, 2006.

SILVA, L. A. A cartografia dos atravessadores: novos mapas na cidade de Alto Araguaia-MT. In: VII Seminário de Linguagens. Cuiabá: Universidade Federal de Mato Grosso, 2010. Acessar em: www.ufmt.br/servicos/evento.

____________. Entre a sala de aula, a realidade profissional e a sociedade local: uma breve reflexão sobre a experiência de ensino no curso de jornalismo de Alto Araguaia, Mato Grosso. In: Liana Gottlieb. (Org.). Comunicação em cena. 1ed.São Paulo: Grupo Editorial Scortecci, 2012, v. 1, p. 125-145.

_______________. Folkcomunicação e um balanço parcial dos seus estudos no campus universitário de Alto Araguaia. In: SARDINHA, Antonio Carlos; Silva, Marli Barboza da; MORALIS, Edileusa Gimenes Moralis (orgs). Comunicação e regionalidades. Cáceres: UNEMAT Editora, 2013.

TRIGUEIRO, O. M. Folkcomunicação e ativismo midiático. João Pessoa: UFPB, 2007.

ZORAMELLA, S. Jornal de Mato Grosso: no começo de tudo, a participação popular. Anais do II Encontro Nacional da Rede Alfredo de Carvalho. GT História da Mídia Impressa. Florianópolis: Abril, 2004.

Downloads

Publicado

21/12/2016

Como Citar

Silva, L. A. da. (2016). Ecos emergentes do Cerrado brasileiro: Notas sobre a Colonização Cultural e o Pensamento Folkcomunicacional do/no interior de Mato Grosso. Revista Comunicação, Cultura E Sociedade, 3(1). https://doi.org/10.30681/rccs.v5i5.1645

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)