Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) e “Bem Viver”: diálogo, cultura e atualização de utopia

Autores

  • Gibran Luis Lachowski Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
  • Ana Paula Ramos Carnahiba Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

DOI:

https://doi.org/10.30681/rccs.v7i2.5218

Palavras-chave:

CEBs, Bem Viver, modo de vida, utopia, povos originários dos Andes.

Resumo

Com o intuito de entender o diálogo envolvendo as Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) da Igreja Católica no Brasil e o “Bem Viver”, acompanhamos atividades em nível nacional (Londrina-PR) e regional (Cuiabá e Rondonópolis-MT) entre 2018 e 2020 por meio da etnografia multissituada. As CEBs se apresentam como “um modo de ser Igreja” associado ao conceito de “Igreja-Povo de Deus”, e não ao centralismo do clero; seus participantes exercitam a fé no contexto do laicato engajado em causas sociais e produtor de um vasto conjunto de práticas culturais pelo menos desde os anos 1960. O “Bem Viver” é uma cosmologia dos indígenas ancestrais dos Andes, que se vale de uma amálgama humana-natural-cósmica-divina. Desde os anos 1990 este modo de viver a vida ganha visibilidade na América Latina a partir de uma ação de resgate do movimento indígena, seja como filosofia de vida ou alternativa de projeto de sociedade.

Biografia do Autor

Gibran Luis Lachowski, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Doutorando no Programa de Pós-graduação em Estudos de Cultura Contemporânea (PPGECCO) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), professor do Departamento de Jornalismo da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) e assessor de formação das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs)/Mato Grosso.

Ana Paula Ramos Carnahiba, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Graduada em Comunicação Social (habilitação Jornalismo) pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Graduanda em Psicologia pela mesma universidade. Formadora em Alfabetização Midiática, Democratização da Mídia, Comunicação Popular e Comunicação Alternativa. Assessora de formação das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs)/Mato Grosso.

Em Psicologia, realizou estágios básicos em Cuiabá, no Hospital Julio Muller, no Centro de Convivência de Idosos e na Secretaria de Estado de Fazenda. Fez parte da coordenação da VII Semana de Psicologia da UFMT e atua no Projeto de Extensão que faz o acompanhamento de egressos do curso de Psicologia (PROEPSI)/UFMT.

Referências

ACOSTA, A. O Bem Viver: uma oportunidade para imaginar outros mundos. Tradução de Tadeu Breda. São Paulo: Autonomia Literária/Elefante, 2016.

BEOZZO, J. O. As CEBs e seus desafios hoje: um olhar sobre a conjuntura e a história. In: F. Orofino, S. Coutinho, & S. Rodrigues (orgs.). CEBs e os desafios do mundo contemporâneo. São Paulo: Paulus, 2012, p. 11-30.

CAREY, J. Communication as Culture: Essays on Media and Society. New York: Routledge, 1992.

COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE - ARQUIDIOCESE DE CUIABÁ. Calendário Anual CEBs Cuiabá-2020. Cuiabá, dez/2019.

COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE - ARQUIDIOCESE DE CUIABÁ. Folheto de cantos – Encontro Juventude e a Cultura do Bem Viver: Conhecer e Construir. Cuiabá, maio/2019.

CUESTAS-CAZA, J. Sumak Kawsay is not Buen Vivir. Alternautas, v. 5, n. 1, p. 51-66, 2017. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/327209869_Sumak_Kawsay_is_not_Buen_Vivir>. Acesso em: 26 ago. 2017.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

HUANACUNI, F. 2009. Nosso modelo não é comunista, mas comunitário. Entrevista de Vinicius Mansur. Brasil de Fato, 13 jul. 2009. Disponível em: <https://www.alainet.org/pt/active/31648?language=en>. Acesso em: 25 jan. 2021.

LIMA, V. A. Mídia: teoria e política. São Paulo: Perseu Abramo, 2001.

LÖWY, M. Marxismo de Teologia da Libertação. São Paulo: Cortez, 1991.

MALINOWSKI, B. Argonautas do Pacífico Ocidental. São Paulo: Abril Cultural, 1976.

MALVEZZI, R. As CEBs no semiárido. In: OROFINO, Francisco; COUTINHO, Sergio; RODRIGUES, Solange (orgs.). CEBs e os desafios do mundo contemporâneo. São Paulo: Paulus, 2012, p. 147-162.

MARCUS, G. Ethnography in/of the World System: The Emergence of Multi-Sited Ethnography. In: Annual Review of Anthropology, v. 24, p. 95-117, 1995. Disponível em: < https://www.annualreviews.org/doi/abs/10.1146/annurev.an.24.100195.000523>. Acesso em: 20 jan. 2021.

MINAYO, M. C. S. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: M. C. S. Minayo (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2002, p. 9-29.

RIBEIRO, D. O Povo Brasileiro. A formação e o Sentido do Brasil. 1995. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

TEIXEIRA, F. A Gênese das Cebs no Brasil: Elementos Explicativos. São Paulo: Paulinas, 1988.

VIGIL, J. M. Sumak Kawsay e Reino de Deus: O que diz o “Sumak Kawsay” indígena ao “Reino de Deus” de Jesus de Nazaré? Livro-Agenda Latinoamericana 2012, 2012, p. 51-66.

Downloads

Publicado

03/06/2021

Como Citar

Lachowski, G. L., & Carnahiba, A. P. R. (2021). Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) e “Bem Viver”: diálogo, cultura e atualização de utopia. Revista Comunicação, Cultura E Sociedade, 7(2), 143–163. https://doi.org/10.30681/rccs.v7i2.5218