As redes sociais do Cabaré: Um recorte etnográfico acerca da prostituição feminina, gênero e sexualidade

Autores

  • Fábio Lopes Alves Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste

DOI:

https://doi.org/10.30681/rccs.v3i3.70

Palavras-chave:

Antropologia, Etnografia, Corpo, Prostituição, Interação.

Resumo

O presente texto tem o objetivo de apresentar, através de uma narrativa etnográfica, como o corpo das garotas de programa é utilizado durante a interação social com os clientes em situações rotineiras no interior de um cabaré brasileiro. Fundamentado em referenciais teóricos antropológicos, analiso como as mulheres pesquisadas constroem suas relações cotidianas no ambiente de prostituição, focalizando especificamente os usos sociais que elas fazem do próprio corpo. Com este texto pretendo contribuir para os estudos sobre corporalidades, interações sociais, gênero e sociabilidade ao descrever os principais eventos ocorrentes nessa trama. A discussão, que aqui se apresenta de forma condensada, se constitui numa espécie de moldura das outras categorias de análises investigadas e discutidas no livro: “Noites de cabaré: prostituição feminina, gênero e sociabilidade na zona de meretrício” (ALVES, 2010).

Biografia do Autor

Fábio Lopes Alves, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste

Doutor em Ciências Sociais e professor do Programa de Pós-Graduação (Nível Mestrado) em Sociedade, Cultura e Fronteiras da Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Referências

ALVES, F. L. (2010) Noites de cabaré: prostituição feminina, gênero e sociabilidade. São Paulo: Arte&Ciencia. BECKER, H. (1999) Métodos de pesquisa em Ciências Sociais. São Paulo: Hucitec. BECKER, H. (2007) Segredos e truques da pesquisa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. BOURDIEU: (1999) A dominação masculina. Tradução de Maria Helena Kühner. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. CARDOSO, R. (1986) As aventuras antropológicas em campo ou como escapar das armadilhas do método. In: CARDOSO, R. (org.) A aventura antropológica: teoria e pesquisa. Rio de Janeiro: Paz e Terra. FERREIRA, V. S. (2009) Elogio (sociológico) à carne: a partir da reedição do texto “as técnicas do corpo” de Marcel Mauss. Conferência para a sessão de lançamento da Coleção Arte e Sociedade, do Instituto de Sociologia, na Faculdade de Letras da Fundação Universidade do Porto, em 26 de novembro de 2009. Disponível em: < www.letras.up.pt/isociologia/uploads/files/Working37.pdf > Acesso realizado em 10/06/2011.

GASKEL, G. (2002) Entrevistas individuais e grupais. In: GASKEL, G. Pesquisa qualitativa com texto: imagem e som. Petropolis: Vozes. GEERTZ, C. (1978) A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Zahar.

GOFFMAN, E. (1985) A representação do eu na vida cotidiana. Tradução de Maria Célia Santos Raposo. Petrópolis: Vozes. HUGHES, E. (1971). O papel do trabalho de campo nas ciências sociais. In: JUNKER, B. A importância do trabalho de campo: uma introdução às ciências sociais. Rio de Janeiro: Lidador. KULICK, D. (2008) Travesti: prostituição, sexo, gênero e cultura no Brasil. Tradução de Cesar Gordon. Rio de Janeiro: EdFiocruz. MALINOWSKI, B. (1979) Os argonautas do Pacífico Ocidental. São Paulo: Abril Cultural. MILLER, M. S. (1999) Feridas invisíveis: abuso não-físico contra mulheres. Tradução Denise Maria Bolanho. São Paulo: Summus. PASINI, E. (2000) Limites simbólicos corporais na prostituição feminina. Cadernos Pagu (14) 2000: pp.181-200. PORTER, R. (1992) “História do corpo”. In: BURKE: A escrita da história: novas perspectivas. Trad. Magda Lopes. São Paulo: EdUnesp. WHITE, W. F. (1974) A sociedade das esquinas: a estrutura social de uma favela italiana. In: RILEY, M. W; NELSON, E. E. A observação sociológica: uma estratégia para um novo conhecimento social. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. WHITE, W. F. (1990) Treinando a observação participante. In: GUIMARÃES, A. Z. (org.) Desvendando as máscaras sociais. Rio de Janeiro: Francisco Alves. WINKIN, Y. (1998) A nova comunicação: da teoria ao trabalho de campo. São Paulo: Papirus.

Downloads

Publicado

2014-09-19

Como Citar

Alves, F. L. (2014). As redes sociais do Cabaré: Um recorte etnográfico acerca da prostituição feminina, gênero e sexualidade. Revista Comunicação, Cultura E Sociedade, 2(1). https://doi.org/10.30681/rccs.v3i3.70