TV arquivo

estratégias, experiências e efeitos do “ver televisão”

Autores

  • Jose Jullian Gomes de Souza Universidade Federal do Ceará

Palavras-chave:

Televisão; Globoplay; Plataforma digital.

Resumo

O objetivo deste estudo é compreender como os arquivos de antigas telenovelas disponibilizados no serviço de streaming Globoplay funcionam como estratégias e experiências do “ver televisão”, mediados pelas plataformas digitais, para as diversas (novas e antigas) audiências. Partimos de um estudo exploratório sobre a inserção das antigas telenovelas da Rede Globo no Globoplay com recorte temporal de 2020 e 2021. A partir deste estudo, propomos a construção, já existente, de uma televisão fragmentada, mas que (re)modela a experiência do ver televisão na contemporaneidade. Entende-se que há o desenvolvimento de uma TV arquivo a partir da lógica do streaming, que altera a lógica do fluxo televisivo para a criação do arquivo em grade, permitindo aos sujeitos apropriações e interações diversas com conteúdo sob as potencialidades da Era Digital.

Referências

ANTONIUTTI, Cleide Luciane. Globo play: um estudo sobre o plataforma de video on demand da Rede Globo. Paulus, São Paulo, v. 3, n. 6, jul./dez., 2019.

CÉSAR, Daniel. Como o Globoplay mudou a relação dos brasileiros como as novelas. 2021. Disponível em: https://natelinha.uol.com.br/mercado/2021/01/03/como-o-globoplay-mudou-a-relacao-do-brasileiro-com-as-novelas-156625.php. Acesso em: 20 jan. 2022.

CAJAZEIRA, Paulo Eduardo Silva Lins; SOUZA, José Jullian Gomes de. O arquivamento da memória televisiva em plataformas de aplicativos digitais. Rumores, São Paulo, v. 14, n. 28, p. 200-222, jul./dez., 2020.

CANNITO, Newton Guimarães. A TV 1.5 - a televisão na era digital. 2009. Tese (Doutorado) – Escola de Artes e Comunicação, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação, São Paulo, 2009.

CARDOSO, Jéferson Cristiano Cortes Zambom. Binge-watching como um novo modo de assistir televisão: uma análise comparativa entre o fenômeno em arquivo e em fluxo. 2017. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Comunicação Social, Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

COSTA, Fábio. Novelas antigas: saiba quais devem estar no catálogo do GloboPlay em breve. Observatório da TV, 2021. Disponível em: https://observatoriodatv.uol.com.br/noticias/saiba-as-novelas-que-devem-estar-no-catalogo-do-globoplay-em-breve. Acesso em: 21 fev. 2022.

DUARTE, Elizabeth Bastos. Televisão: ensaios metodológicos. Porto Alegre: Sulina, 2004.

JACKS, Nilda et al. Telenovela e memória: “vale a pena ver de novo”, reprises em tempos de pandemia. Rumores, São Paulo, v. 14, n. 28, p. 46-76, jul./dez., 2020.

KOGUT, Patrícia. Antigas novelas, novas forma de assistir. 2021. Disponível em: https://kogut.oglobo.globo.com/noticias-da-tv/critica/noticia/2021/05/antigas-novelas-novas-formas-de-assistir.html. Acesso em: 20 jan. 2022.

MUANIS, Felipe. MTV Brasil e o caso do fluxo. Novos Olhares, São Paulo, v. 3, n. 2, p. 59-69, 2014.

LIMA, Cecília Almeida; MOREIRA, Diego Gouveia; CALAZANS, Janaina Costa. Netflix e a manutenção de gêneros televisivos fora do fluxo. Matrizes, São Paulo, v. 9, n. 2, jul./dez., 2015.

SOUZA, Ítalo Cerqueira de. Fluxo em Raymond Williams: Apropriações, Contradições e Desdobramentos. 2018. Monografia (Graduação) - Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2018.

WILLIAMS, Raymond. Televisão: tecnologia e forma cultura. 1. ed. Belo Horizonte: PUCMinas, 2016.

Downloads

Publicado

08/09/2022

Como Citar

Gomes de Souza, J. J. (2022). TV arquivo: estratégias, experiências e efeitos do “ver televisão”. Revista Comunicação, Cultura E Sociedade, 8(1). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ccs/article/view/6119