AVALIAÇÃO COGNITIVA E CRIATIVIDADE: ESTUDOS DE CASO DE CRIANCAS COM DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM

Autores

  • Tatiane Lebre Dias UNEMAT
  • Sônia Regina Fiorim Enumo UNEMAT
  • Claudia Patrocínio Pedroza Canal UNEMAT

Palavras-chave:

Criatividade, Dificuldade de Aprendizagem, Avaliação.

Resumo

Há  baixas  expectativas  de desempenho  cognitivo e criativo em alunos com dificuldade de aprendizagem (DA), situação  esta agravada pelos problemas de definição e avaliação dessas áreas. Nesse sentido  analisou-se a contribuição de dois procedimentos de avaliação cognitiva – tradicional  e assistida, em 4 alunos das séries iniciais de uma escola publica de Vitória/ES, sendo que dois alunos  foram submetidos a um programa de promoção da criatividade. As diferenças entre os alunos mostraram  o efeito do programa e a adequação desses procedimentos na avaliação e intervenção nas áreas cognitiva e da criatividade nesses alunos.

Referências

ALENCAR, E. M. L. S. Efeitos de um programa de criatividade em alunos de 4ª e 5ª séries. Arquivos Brasileiros de Psicologia. V. 27, n. 4, 1975, p. 3-15.

_______. Criatividade. Brasília: Ed. Universidade de Brasília, 1995.

_______. A medida da criatividade. In: L. PASQUALI (Org.). Teoria e Métodos de Medidas em Ciências do Comportamento. Brasília: MEC/INEP, 1996. p. 305-318

______. O processo da criatividade: Produção de idéias e técnicas criativas. São Paulo: Makron Books, 2000.

ALMEIDA, L. S. Considerações em torno da medida da inteligência. In: L. PASQUALI (Org.). Teoria e Métodos de Medida em Ciências do Comportamento. Brasília: Laboratório de Pesquisa em Avaliação e Medida/Instituto de Psicologia/UnB:INEP, 1996, p. 199-223.

ANGELINI at al. Manual Matrizes Progressivas Coloridas de Raven – Escala Especial. São Paulo: Centro Editor de Testes e Pesquisas em Psicologia, 1999.

BATISTA, M.W.; ENUMO, S.R.F. Inclusão escolar e Deficiência Mental: análise da interação social entre companheiros. Estudos de Psicologia. V. 9, n.1, 2004, p. 101- 111.

BROWNELL, M. T., MELLARD, D. F., DESHLER, D. D. Differences in the learning and transfer performance between students with learning disabilities and other low-achieving students on problem-solving tasks. Learning Disability Quartel., v. 16, 1993, p. 138-156.

CUNHA, R. M. Criatividade e processos cognitivos. Petrópolis: Vozes, 1977.

DIAS, T.L.; ENUMO, S.R.F. Avaliação dinâmica: uma proposta alternativa e complementar de avaliação cognitiva em crianças com indicação de dificuldade de aprendizagem. In: Anais da ANPED, Caxambu/MG, 2004. Cd-Room, 17 p.

ENUMO, S. R. F. Avaliação de crianças com necessidades educativas especiais em situação de pesquisa-intervenção: dificuldades e algumas soluções. In: H. GUIHARDI; N.C. AGUIRRE (Org.). Sobre comportamento e cognição: expondo a variabilidade. Santo André: ESETec, v. 16, 2005, p. 310-330.

ESCOLANO, A. C. M. Avaliação cognitiva assistida em situação de resolução de problema na predição do desempenho escolar de crianças de primeira série do primeiro grau. Dissertação (Mestrado), Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2000.

EYSENK, H. J. As formas de medir a criatividade. In: M. A. BODEN (Org.). Dimensões da Criatividade. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999. p. 203-244.

FERRIOLLI, S.H.T. Indicadores de potencial cognitivo de crianças com queixa de dificuldade de aprendizagem obtidos através da avaliação assistida. 2000. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP, 2000.

FERRIOLLI et al. Indicadores de potencial de aprendizagem obtidos através da avaliação assistida. Psicologia: Reflexão e Crítica. v. 14, n. 1, 2001, p. 35-43.

FONSECA, V. Introdução às dificuldades de aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

_________ V. Aprender a aprender: A educabilidade cognitiva. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

FONSECA, V.; CUNHA, A.C.B.; ENUMO, S.R.F. O desenvolvimento cognitivo da criança com deficiência visual e suas perspectivas de avaliação: da abordagem padronizada à avaliação dinâmica. Revista de Educação Especial e Reabilitação. v. 9, n. 1-2, 2002, p. 75-91.

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Retratos da deficiência no Brasil. Disponível em: . Acesso em 18/10/2003. GARCÍA, J. N. Manual de dificuldades de aprendizagem: Linguagem, leitura, escrita e matemática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

GARCÍA, J. N. Manual de dificuldades de aprendizagem: Linguagem, leitura, escrita e matemática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

GERA, A. Estratégias de pergunta de busca de informações na resolução e problemas em situação de avaliação assistida de crianças com queixa de dificuldade de aprendizagem. Dissertação (Mestrado em Psicologia) Programa de PósGraduação em Psicologia, USP, Ribeirão Preto, SP, 2001.

GERA, A., LINHARES, M. B. M. Estratégias de perguntas de busca de informações na resolução de problemas de crianças com e sem queixa de dificuldade de aprendizagem. Programas e Resumos da 28ª Reunião Anual de Psicologia. Ribeirão Preto, 1998, p. 126.

GRAHAM, S., HARRIS, K. R. The relevance of IQ in the determination of learning disabilities: Abandoning scores as decision makers. Journal of Learning Disabilities. 22 (8), 1989. p. 500-512.

HAYWOOD, H. C., TZURIEL, D. Applications and challenges in dynamic assessment. Peabody Journal of Education. v. 77, n. 2, 2002. p. 40-63.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS. Avaliação internacional mostra desempenho de alunos de 41 países. Disponível em: Acesso em 27/10/2003.

KING, A. Effects of trainig in strategic questioning on children´s problem-solving performance. Journal of Educational Psychology. v. 83, n. 3, 1991, p. 307-317.

KNELLER, G. F. Arte e ciência da criatividade. São Paulo: Ibrasa, 1998.

LICHT, B. G. Basic research and the treatment of learning disabilities. Journal of Learning Disabilities. v. 2, n. 5, 1988, p. 260-263.

LINHARES, M. B. M. Avaliação assistida: Um procedimento de observação e análise do desempenho em situação de resolução de problema. Programa e Resumos da 21ª Reunião Anual de Psicologia. Ribeirão Preto, 1991. p. 77.

________. Avaliação Assistida: fundamentos, definição, características e implicações para a avaliação psicológica. Psicologia: Teoria e Pesquisa. v. 11, n. 1, 1995. p. 23-31.

________ . Avaliação assistida em crianças com queixa de dificuldade de aprendizagem. Temas em Psicologia. v. 4, n. 1, 1996. p.17-32.

________. Avaliação psicológica de aspectos cognitivos de crianças com queixa de dificuldades de aprendizagem. In C. A. R. FUNAYAMA (Org.). Problemas de aprendizagem: enfoque multidisciplinar. Ribeirão Preto: Legis Summa, 1998, p. 41-59.

LINHARES et al. Avaliação assistida: uma abordagem promissora na avaliação cognitiva de crianças. Temas em Psicologia. v. 6, n. 3, 1998. p. 231-254.

LUNT, I. A prática da avaliação. In: H. DANIELS (Org.). Vygotsky em foco: pressupostos e desdobramentos. Campinas, SP: Papirus, 1994. p. 219-252.

MARTURANO, E. M. A criança, o insucesso escolar precoce e a família: Condições de resiliência e vulnerabilidade. In: FUNAYAMA, C.A. R. (Org.). Estudos em Saúde Mental. Comissão de Pós-Graduação em Saúde Mental – Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, USP, 1997. p. 132-151.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial. Brasília: a Secretaria, 1994.

MOSHER, F. P. A., HORNSBY, J. P. R. On asking questions. In: J. P. BRUNER, R. OLIVER, E. P. GREENFIELDS (Eds.). Studies in cognitive growth. New York: Wiley, 1966. p. 86-102.

NOVAES, M.H. Psicologia da criatividade. Petrópolis: Vozes, 1972.

PEREIRA, M. S. N. Efeitos de um treinamento de criatividade no desempenho escolar e nas habilidades criativas de crianças com dificuldades de aprendizagem. Dissertação (Mestrado). UNB, Brasília, 1996.

RUTTER, M. Family and school influences on cognitive development. Journal Child Psychology Psychiatry. v. 26, 1985. p. 683-704.

SANTA MARIA, M. R., LINHARES, M. B. M. Avaliação cognitiva assistida de crianças com indicações de dificuldade de aprendizagem escolar e deficiência mental leve. Psicologia: Reflexão e Crítica. v. 12, n. 2, 1999, p. 395-417.

SIEGEL, L. S. Why we do not need intelligence test scores in the definition and analyses of learning disabilities. Journal of Learning Disabilitie. v. 22. n. 8, 1989, p. 514-518.

STEIN, L. M. TDE – Teste de Desempenho Escolar: manual para aplicação e interpretação. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1994.

STERNBERG, R.J.; GRIGORENKO, E.L. Dynamic testing: the nature and measurement of learning potential. New York: Cambridge University Press, 2002.

TORGESEN, J. K. Why IQ is relevant to the definition of learning disabilities. Journal of Learning Disabilities. v. 22, n. 8, 1989 p. 484-486.

TORRANCE, E. P. Guiding creative talent. New Jersey: Prentice Hall, Inc. Englewood Cliffs, 1962. _______. Tests of creative thinking: Streamlined scoring guide figural and verbal A and B. Scholastic Testing Service, Inc., Bensenville, IL, 1990.

TZURIEL, D. The seria-think instrument: Development of a dynamic test for young children. School Psychology International. v. 21, n. 2, 2000, p. 177-194.

_______. Dynamic assessment of young children. New York: Kluwer Academic/Plenum Publishers, 2001.

VIRGOLIM, A. M., FLEITH, D. S., PEREIRA, M. S. N. Toc, Toc... Plim, Plim!: lidando com as emoções, brincando com o pensamento através da criatividade. Campinas: Papirus, 1999.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

WECHSLER, D. Escala de inteligência para crianças WISC - manual de aplicação e cotação. Rio de Janeiro: CEPA, Tradução de Ana Maria Poppovic, 1964.

WECHSLER, S. Efeitos do treinamento em criatividade em crianças bem-dotadas e regulares. Arquivos Brasileiros de Psicologia. v. 4, 1987, p. 95-110.

WECHSLER, S. M. Criatividade: descobrindo e encorajando. Campinas: Ed. Psy, 1998.

Downloads

Publicado

23/04/2019

Como Citar

Dias, T. L., Enumo, S. R. F., & Canal, C. P. P. (2019). AVALIAÇÃO COGNITIVA E CRIATIVIDADE: ESTUDOS DE CASO DE CRIANCAS COM DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM. Revista Da Faculdade De Educação, 4(2), 202–228. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ppgedu/article/view/3564

Edição

Seção

ARTIGO

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)