POSSÍVEIS DIÁLOGOS ENTRE AS PROPOSTAS DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA O ENSINO DE HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E AFRICANA E O PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO

Autores

  • Luana Elky Brito

Palavras-chave:

relações étnico-raciais, Programa Mais Educação, Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana.

Resumo

Apresentamos por meio deste artigo um estudo sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana investigando possíveis articulações entre suas sugestões, enquanto elemento para a discussão das relações étnico-raciais nas escolas com as propostas do Programa Mais Educação, enquanto um programa indutor da promoção da educação integral. A metodologia utilizada foi a análise de documento. Verificamos um terreno fértil para uma articulação sobre as discussões das relações étnico-raciais no macrocampo direitos humanos. Pretendemos, portanto, contribuir para a reflexão sobre a realização de possíveis conversas sobre as questões étnico-raciais no ambiente escolar.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Referências

AGUIAR, M. (et. al.). Educação e diversidade: estudos e pesquisas. Recife: Gráfica J. Luiz Vasconcelos, 2009.

ALBUQUERQUE, W. R. de; FILHO, W. F. F. Uma história do negro no Brasil. Salvador: Centro de Estudos Afro-Orientais; Brasília: Fundação Cultural Palmares, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro -Brasileira e Africana. Brasília: MEC/SECAD, 2004.

______. Ministério da Educação / Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade / Diretoria de Educação Integral, Direitos Humanos e Cidadania. Caderno de Subsídios Teórico-Metodológicos. Brasília: MEC/SECAD, 2009.

______. Ministério da Educação / Secretaria da Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade e Cultura. Orientações e Ações para a Educação das Relações Étnico-Raciais. Brasília: SECAD, 2006.

______. Ministério da Educação/SEB. Passo a Passo - Programa Mais Educação. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/passoapas- so_maiseducacao.pdf>. Acesso em: 20 jun. 2015.

______. Ministério da Educação. Série Mais Educação: Rede de Saberes Mais Educação – pressupostos para projetos pedagógicos de educação integral: caderno para professores e diretores de escolas. – Brasília: MEC – Secad, 2009.

______. Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 10 jan. 2003.

CASHMORE, Ellis. (et. al.). Dicionário de relações étnicas e raciais. São Paulo: Summus, 2000.

CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988. Disponível em: : <http://www.planalto. gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constitui%C3%A7ao.htm> . Acesso em: 21 jun. 2015.

FERNANDES, J. R. O. Ensino de história e diversidade cultural: desafios e possibilidades. Educação e Sociedade, Campinas, v.25, n.67, p. 378-388, set./dez. 2005. Disponível em < http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v25n67/a09v2567. pdf> Acesso em: 01 jul.2015.

GOMES, N. L. Cultura Negra e educação. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n.23, p.75-85, mai/jun/jul/. 2003.

MACIEL, M. A Eugenia no Brasil. Anos 90. Porto Alegre, n 11, julho de 1999.

MEDEIROS, P. M.; VIEIRA, P. A. dos S. Ensinamentos Diaspóricos: Dez Anos de Educação Para as Relações Étnico-Raciais no Brasil. Repositório do Instituto Universitário de Lisboa, Lisboa, CEI, 2014. 978-989-732-364-5. p. 1300-1330. 2013. Disponível em < https://repositorio.iscte-iul.pt/handle/10071/7568>. Acesso em 02 jul. 2015.

OLIVEIRA, I de. A formação de profissionais docentes para a educação das relações raciais nos planos nacionais da educação. Coordenação de Educação a Distância CEAD/UFPE. Educação e diversidade: estudos e pesquisas. Recife, v.1, p. 203-212. 2009. Disponível em < https://www.ufpe.br/cead/estudose- pesquisa/textos/artigos_vol_1.pdf>. Acesso em 05 jul. 2015.

PETEAN, A. C. L. O racismo universalista no Brasil: eugenia e higienização moral da sociedade. Revista Eletrônica Cadernos de História, Ouro Preto, n. 2, p. 35-47, dez. 2012. Disponível em < http://www.ichs.ufop.br/cadernosdehisto- ria/ojs/index.php/cadernosdehistoria/article/view/296>. Acesso em: 02 jul. 2015.

SILVÉRIO, V. R.; TRINIDAD, C. T. Há algo novo a se dizer sobre as relações raciais no Brasil contemporâneo? Educação e Sociedade, Campinas, v. 33, n. 120, p. 891-914, jul./set. 2012. Disponível em < http://www.scielo.br/pdf/es/ v33n120/13.pdf>. Acesso em: 01 jul.2015.

VEIGA, C. G. Escola pública para os negros e os pobres no Brasil: uma invenção imperial. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v.13, n.39, p. 502- 596, set/dez. 2008.

Downloads

Publicado

2019-09-27

Edição

Seção

ARTIGO

Como Citar

POSSÍVEIS DIÁLOGOS ENTRE AS PROPOSTAS DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA O ENSINO DE HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E AFRICANA E O PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO. Revista da Faculdade de Educação, [S. l.], v. 24, n. 2, p. 79–95, 2019. Disponível em: https://periodicos.unemat.br/index.php/ppgedu/article/view/3953.. Acesso em: 24 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

1-10 de 431

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.