AUTOGESTÃO COMO FORMA DE RESOLUÇÃO DOS CONFLITOS E DOS ATOS DE VIOLÊNCIA: UM ESTUDO DE CASO

Autores

  • Guilherme Angerames Rodrigues Vargas
  • Maria do Horto Salles Tiellet

Palavras-chave:

autogestão, Makarenko, violência, juventude, políticas públicas socioeducativas

Resumo

Devido à grande incidência de conflitos e violência, em 2004, na Escola de Aplicação da Unemat, foi proposto e executado o projeto de construção do código de conduta, alicerçado na obra de Makarenko intitulada Poema Pedagógico. O artigo em pauta apresenta resultados parciais do projeto “Vamos construir nosso Código de Conduta”. Trata-se de um estudo de caso, que teve por escopo compreender a criação das normas de conduta resultantes de formas participativas de gestão e de ações coletivas dessa escola. Foram utilizadas as técnicas da investigação qualitativa na escolha dos instrumentos de pesquisa, optando-se por fontes documentais. Através da análise foi possível perceber a autogestão como forma de resolução dos conflitos e dos atos de violência.

Referências

BECKER, Howard S. Outsiders: estudo de sociologia do desvio. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

BOLEIZ JUNIOR, Flávio. Pistrak e Makarenko: pedagogia social e educação do trabalho. 2008. 168f. Dissertação (Mestrado em Educação. Área de Concentração: Estado, Sociedade, Educação) Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação. Universidade do Estado de São Paulo. São Paulo: USP, 2008.

BRASIL. Decreto-Lei nº 9.053, de 12 de março de 1946. Cria um ginásio de aplicação nas Faculdades de Filosofia do País. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 1946.

______. Lei Nº 8.069 de 13 de julho 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo Brasília, DF, 1990.

______. Lei Nº 12.852 de 5 de agosto de 2013. Institui o Estatuto da Juventude e dispõe sobre os direitos dos jovens, os princípios e diretrizes das políticas públicas de juventude e o Sistema Nacional de Juventude - SINAJUVE. Brasília, DF, 5 de agosto de 2013. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Lei/L12852.htm>; Acesso em: 18 out.,2013.

______. LDBEN. Lei de Diretrizes de Bases da Educação Nacional. Lei n 9394/96, Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394. htm> . Acesso em: 27 out. 2013.

CAPRILES. René. Makarenko: o nascimento da pedagogia socialista. São Paulo: Scipione, 2007.

CONSTANTINO, Graciela. As articulações sociopsicopedagógicas entre as culturas da criança pantaneira e da escola: um estudo de caso. Revista da Faculdade de Educação. Cáceres, vol. 1, p. 155-161, set/dez, 2003.

GOMES, Gregório R.; FLORES, Javier; JIMÉNEZ, Eduardo. Metodologia de la investigacion cualitativa.Malaga: Ediciones Aljibe. 1996.

http://grupo4te.com.sapo.pt/mie2.html. Acesso em: 28 set., 2013.

LESCHER, Auro Danny e outros. Criança em situação de risco social: limites e necessidades da atuação do profissional de saúde. Projeto Quixote: São Paulo, 2004.

LUEDEMANN, Cecília da Silveira. Anton Makarenko: vida e obra – a pedagogia na revolução. São Paulo: Expressão Popular, 2002.

MAKARENKO, A. S. Poema Pedagógico. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1987.

ORTEGA, Aparecida Nátia, (et. al.). Relatório das atividades desenvolvidas pela Escola de Aplicação e Valorização Humana Lázara Falqueiro de Aquino no período de 1994-1996. Texto digitado. Cáceres: Unemat, 1996.

PAOLI, Maria Célia. O mundo do indistinto: sobre gestão, violência e política. In: OLIVEIRA, F.; RIZEK, C.S. (Orgs.). A era da indeterminação. São Paulo: Boitempo, 2007, p. 221-256.

POTTER, Raccis. A figura do empreendedor moral da Teoria do Etiquetamento e sua aproximação no caso da campanha “Crack nem pensar” do Grupo RBS. Postado em: 24 set., 2010 no Blog de Raccius. Disponível em: Acesso em: 22/08/2013.

SILVA, Leandro Oliveira. O conceito de desvio no pensamento sociológico de Becker e sua contribuição para uma na teoria finalista de Hans Welzel. Disponível em: <http://www.direitopenalvirtual.com.br/artigos/o-conceito-de-desviono-pensamento-sociologico-de-becker-e-sua-contribuicao-para-uma-releitura-critica-da-culpabilidade-na-teoria-finalista-de-hans-welzel> . Acesso em: 22/08/2013.

SINASE. Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo/ Secretaria Especial dos Direitos Humanos – Brasília-DF: CONANDA, 2006.

TIELLET, M. H. S. MANZINI, L. C. Vamos construir juntos nosso Código de Conduta. Projeto de Extensão. Cáceres: Unemat, 2004.

UNESCO. Alcançar os excluídos da educação básica: crianças e jovens fora da escola no Brasil. In: Série Debates ED, Nº. 03 – abril de 2012.

VARGAS. Guilherme Angerames Rodrigues. Autogestão e construção da norma em grupos sociais escolares. Disponível em: <http://www.athenaseducacional.com.br/fapan/revista/index.php?option=com_content&view=article&id=71:autogestao-e-construcao-da-norma-em-grupos-sociais-escolares&catid=34> . Acesso em: 20 out., 2013. Y

IN, Robert K. Estudo de caso – planejamento e métodos. 2. ed., Porto Alegre: Bookman, 2001.

Downloads

Publicado

2019-09-27

Como Citar

Vargas, G. A. R., & Tiellet, M. do H. S. (2019). AUTOGESTÃO COMO FORMA DE RESOLUÇÃO DOS CONFLITOS E DOS ATOS DE VIOLÊNCIA: UM ESTUDO DE CASO. Revista Da Faculdade De Educação, 24(2), 135–153. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ppgedu/article/view/3956

Edição

Seção

ARTIGO