AS ESTRUTURAS DE FAZENDA MODELO: ENTRE POÉTICAS E POLÍTICAS

Autores

  • Thainá Aparecida Ramos de Oliveira
  • Agnaldo Rodrigues da Silva

DOI:

https://doi.org/10.30681/real.v7i01.174

Resumo

O presente trabalho discutirá a produção inaugural de Chico Buarque no cenário literário, cujo enredo constrói a representação do Brasil da década de 1970, quando se vivia uma intensa censura promovida pela ditadura militar. Trata-se de Fazenda Modelo: novela pecuária, produzida em 1974. Objetiva-se compreender os elementos estruturais desta narrativa, uma vez que trata-se de uma obra que apresenta diversos artifícios inovadores no que tange ao aspecto físico do texto. Para o presente estudo, elegemos três artifícios fulcrais na estrutura da novela buarquiana, que são eles: os aspectos pré-textuais, os elementos dialógicos e intertextuais; a figura do narrador. Teoricamente, nos pautaremos nos estudos de Genette; para definir o nível narrativo; Bakhtin (1998) (2011) para compreender o tempo, espaço e o dialogismo; também recorreremos aos estudos de Nunes (2010) sobre o tempo. No decorrer do estudo, traremos outros críticos e teóricos para dialogar com nossa pesquisa.

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

BAKHTIN, Mikhail. Questão de literatura e estética: a teoria do romance. Varios tradutores. 4º ed. São Paulo: Editora Unesp- Hucitec, 1998

BÍBLIA SAGRADA. Tradução dos originais mediante a versão dos Monges de Maredsous (Bélgica) pelo Centro Bíblico. Revista pelo Frei João José Pedreira de Castro e pela equipe auxiliar da Editora. 90ª ed. São Paulo: Editora Ave Maria, 1993.

BOSI, Alfredo. Literatura e resistência. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

BUARQUE, Chico. Fazenda Modelo: novela pecuária. 5ªedição. São Paulo: Editora Civilização Brasileira, 1975.

CARVALHO, Gilberto de. Chico Buarque: análise poético-musical. 2.ed. Rio de Janeiro: Codecri, 1982.

FERREIRA, Olavo Leonel. História do Brasil. São Paulo, ed. Ática, 1995.

GANCHO, Cândida Vilares. Como analisar narrativas. São Paulo, Ática, 2004. (Série Princípios)

GENETTE, Gerard. Discurso da narrativa. Tradução de Fernando Cabral Martins. Lisboa: Vega, s/d.

LUKÁCS, Georg. A teoria do romance. 2ª ed. São Paulo: Editora 34, 2009.

MENEZES, Adélia Bezerra de. Desenho mágico: poesia e política em Chico Buarque. São Paulo: Ed. Hucitec, 2002.

NUNES, Benedito. O tempo na literatura. In: Ensaios Filosóficos. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010

PINTO, Manoel da Costa. Lirismo e resistência de Chico Buarque. In: Revista Cult nº 69. Disponível em: http://revistacult.uol.com.br/home/2010/03/lirismo-e-resistencia-de-chico-buarque/

RIDENTI, Marcelo. Cultura e política: os anos 1960-1970 e sua herança. In: FERREIRA, Jorge & DELGADO, Lucília de Almeida Neves (orgs.). O Brasil republicano. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, (v. 2: O tempo do nacional-estatismo: do início da década de 1930 ao apogeu do Estado Novo), p. 133-166.

RIDENTI, Marcelo. Visões do Paraíso Perdido: sociedade e política em Chico Buarque, a partir de uma leitura de Benjamim. In: ______. Em Busca do Povo Brasileiro. Rio de Janeiro: Record, 2000.

SARTRE, Jean Paul. Que é literatura. São Paulo: ÁTICA, 1969.

SILVA, Vitória Regina Xavier. O estético em Fazenda Modelo: novela pecuária, de Chico Buarque. 31 de Agosto de 2009. Dissertação. Universidade Federal do Mato Grosso do Sul.

Downloads

Publicado

01/08/2014

Como Citar

Oliveira, T. A. R. de, & Silva, A. R. da. (2014). AS ESTRUTURAS DE FAZENDA MODELO: ENTRE POÉTICAS E POLÍTICAS. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 7(01), 97–112. https://doi.org/10.30681/real.v7i01.174