A A ESCREVIVÊNCIA EVARISTIANA NA OBRA PONCIÁ VICÊNCIO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/rln.v16i44.11103

Palavras-chave:

escrevivência, contemporaneidade, representatividade, Conceição Evaristo

Resumo

Este trabalho tem como corpus a obra Ponciá Vicêncio (2017) da escritora Conceição Evaristo. Em sua obra, a escritora utiliza-se da sua “escrevivência” para tratar de temas relativos à vida e a representatividade de sua classe, enquanto mulher, negra e escritora, fazendo alusão a suas lutas que também representam a de outras mulheres. Sendo assim, para confirmar e reafirmar os pensamentos expressos neste trabalho utilizaremos os seguintes referenciais teóricos: Hooks (2014), Spivak (2010), Perrot (2007), Dalcastagnnè (2012), a própria autora, Conceição Evaristo (2009), e entre outros aportes, a fim de tratar dos impasses desta ciência, em especial dos marginalizados no campo literário.

 

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Michelle Thalyta Cavalcante Alves, Universidade Estadual da Paraíba

    Doutoranda pelo programa de Pós-graduação em Literatura e Interculturalidade (PPGLI), na linha de pesquisa Literatura, Memória e Estudos Culturais, pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Possui Graduação em Letras/Português pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB); Especialização em Metodologias do ensino da Língua Portuguesa e Literatura na Educação Básica pela Universidade Norte do Paraná (Unopar); Especialização em Educação Especial e Inclusiva pela Universidade Norte do Paraná (Unopar); Mestrado em Literatura e Interculturalidade (PPGLI), na linha de pesquisa Literatura, Memória e Estudos Culturais, pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB); É membro do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar de Estudos Literários Lusófanos (GIELLus - CNPq); Tem interesse nos estudos sobre: Literatura Portuguesa e Comparada, Literatura de autoria feminina; Estudos de gênero, Emancipação feminina, dentre outros.

  • Erica Dayana Monteiro Cavalcante , Universidade Estadual da Paraíba

    Possui graduação em Letras Língua Portuguesa pela Universidade Estadual da Paraíba (2018). Pós-graduada em Língua Portuguesa e Literatura pela Faculdade Venda Nova do Imigrante (FAVENI) - 2020, é mestra em Literatura e Interculturalidade também pela Universidade Estadual da Paraíba (Início; 2020 - Término em 2022).

Referências

ALMEIDA, Marisangela Lins de. Em legítima defesa: a escrita feminina negra como enfrentamento e transgressão. Revista Teias, v. 21, n. 62, p. 38-49, 2020.

ALVES, Branca Moreira; PITANGUY, Jaqueline. O que é feminismo? São Paulo: Abril Cultural. Brasiliense, 1991.

DAVIS, Angela. Mulheres, raça e classe. Tradução: Hecci Regina Candiani. 1. ed. São Paulo: Boitempo, 2016.

DALCASTAGNÈ, Regina. Literatura brasileira contemporânea: um território contestado. Vinhedo: Editora Horizonte/ Rio de Janeiro: Editora da UERJ, 2012.

EVARISTO, Conceição. Literatura negra: uma poética de nossa afro-brasilidade. Scripta, v. 13, n. 25, p. 17-31, 2009.

EVARISTO, Conceição. Ponciá Vicêncio. Rio de Janeiro: Pallas, 2017.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: Lamparina, 2015.

hooks, Bell. Não sou eu uma mulher? Mulheres negras e feminismo. 1. ed. Tradução livre para a Plataforma Gueto, 2014.

hooks, Bell. Intelectuais negras. Estudos feministas, v. 3, p. 464-478, 1995.

PERROT, Michelle. Os excluídos da história: operários, mulheres e prisioneiros. 1. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2017.

SPIVAK, Gayatry. Pode o subalterno falar? Tradução: Sandra Regina Goulart Almeida. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

Downloads

Publicado

21/08/2023

Edição

Seção

Dossiê Temático 2023/1 "As escrevivências de Conceição Evaristo: as mulheres negras no centro das narrativas"

Como Citar

A A ESCREVIVÊNCIA EVARISTIANA NA OBRA PONCIÁ VICÊNCIO. (2023). Revista De Letras Norte@mentos, 16(44). https://doi.org/10.30681/rln.v16i44.11103

Artigos Semelhantes

1-10 de 64

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.