DA EMANCIPAÇÃO E DA AUTONOMIA:

EMBATES ATUAIS EM TORNO DA RAZÃO E DA PULSÃO

Autores

Resumo

Neste artigo problematizamos a proposta da emancipação e a concepção da autonomia nas suas proximidades e distanciamentos com as teorias do marxismo e da psicanálise. Mesmo considerando as contradições e divergências entre essas teorias, defendemos que o entrelace entre elas possibilita trabalhar, entre outros aspectos, com concepções sobre a subjetividade ancoradas na consciência e no inconsciente, o que pode viabilizar estratégias pedagógicas passíveis de estimularem a autonomia dos sujeitos e, porventura, estimularem a proposta da emancipação social. Apresentamos autores contemporâneos que estabelecem o diálogo entre essas perspectivas teóricas no terreno político e, também, no processo de formação humana, a saber: Marcuse, Castoriadis e pensadores da Escola de Frankfurt. Um foco especial é dado às condições que o processo de Educação deve oferecer para uma formação que possa manter a proposta da emancipação. Concluímos que não será exclusivamente a consciência cognitiva e racional, nem exclusivamente o inconsciente e a pulsão, que possibilitarão a transformação social, mas o trabalho constante e contínuo junto à essas duas instâncias subjetivas.

Biografia do Autor

Diana Carvalho de Carvalho, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1982), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1992), doutorado em Educação: História, Política e Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2000) e pós-doutorado em Educação pela Universidade Federal de São Paulo (2014). Professora titular da Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Metodologia do Ensino, credenciada no Programa de Pós-Graduação em Educação, na linha de pesquisa Educação e Infância. Foi coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFSC no período de dezembro de 2003 a maio de 2006; coordenadora do Núcleo de Publicações do Centro de Ciências da Educação da UFSC gestão 2015 a 2017 e Coordenadora do Sub-projeto do curso de Licenciatura em Psicologia do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência da UFSC (PIBID/Psicologia UFSC) no período de agosto de 2010 a fevereiro de 2018. Eleita coordenadora do Grupo de Trabalho de Psicologia da Educação (GT-20) da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Educação (ANPED), gestões 2013/2015 e 2016/2017. Atualmente compõe a equipe editorial da Revista Perspectiva (revista do Centro de Ciências da Educação da UFSC). Coordena o Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Infância, Educação e Escola (GEPIEE), cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq desde 2001, sediado na UFSC. Atua nos seguintes temas de pesquisa: educação, infância, psicologia da educação e formação de professores para os anos iniciais da escolarização.

Mériti de Souza, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Graduação em Formação de Psicólogo pela Unesp - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1984). Mestrado em Educação pela Unicamp - Universidade Estadual de Campinas (1989). Doutorado em Psicologia (Psicologia Clínica) pela PUC - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1997). Pós Doutorado em Psicologia no CES - Centro de Estudos Sociais - da Universidade de Coimbra, com bolsa da Capes (2005). Pós Doutorado em Educação na Unesp (2012-2013). Foi professora e pesquisadora na Graduação em Psicologia e no Programa de Pós-Graduação em Psicologia na Unesp - Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho - de 1985 a 2005. Atualmente é professora permanente no Programa de Pós-Graduação em Psicologia na UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina -, exercendo atividades de ensino e pesquisa. Membro do Grupo de Pesquisa Margens - modos de vida, família e relações de gênero - na UFSC. Membro do Grupo de Pesquisa LAPCIP - Laboratório de Psicanálise, processos criativos e interações políticas - na UFSC. Coordenadora do GT da Anpepp - Processos de subjetivação, clinica ampliada e sofrimento psiquico - de 2009 a 2013. Membro da Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental - de 2004 a 2016. Diretora do Laboratório de Psicopatologia Fundamental da Unesp de Assis - de 1999 a 2005. Tem experiência na área de psicologia, epistemologia, psicanálise, educação, atuando principalmente nos seguintes temas: processos de subjetivação, inconsciente, diferença; violências e sofrimento psiquico; produção e transmissão do conhecimento: modernidade e pós-estruturalismo; pesquisa e metodologia em psicologia, psicanálise e educação.

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ADORNO, Theodor. Educação e emancipação. São Paulo: Paz e terra, 1995.

CAMBI, Franco. História da Pedagogia. São Paulo: Editora da UNESP, 1999.

CASTORIADIS, Cornelius. A Instituição imaginária da sociedade. São Paulo: Paz e Terra, 1982.

CASTORIADIS, Cornelius. Sujeito e verdade no mundo social-histórico: seminários 1986-1987: a criação humana I. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

CHARLOT, Bernardi. A mistificação pedagógica: realidades sociais e processos ideológicos na teoria da educação. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1983.

FREUD, Sigmund. O estranho. In: FREUD, S. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (vol. 17). Rio de Janeiro: Imago, 1919/1977, p. 273-318.

______. Inibição, sintoma e angústia. In: S. Freud, Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (vol. 20). Rio de Janeiro: Imago, 1926/1977, p. 95-201.

______. Mal-estar na civilização. In: S. Freud, Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (vol. 21). Rio de Janeiro: Imago, 1930/ 1977, p. 75-171.

KANT, Immanuel. Fundamentação da metafísica dos costumes. Lisboa: Edições 70, 2002.

MARCUSE, Herbert. Eros e Civilização. Rio de Janeiro: Zahar, 1969.

MARCUSE, Herbert. A ideologia da sociedade industrial: O homem unidimensional. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.

MARX, Karl. Para a crítica da economia política. São Paulo: Nova Cultural, 1859/ 2000. (Os pensadores).

MARX, Karl.; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. São Paulo: Editora Boitempo, 1845-1846/2007.

MARX, Karl.; ENGELS, Friedrich. Introdução à crítica da filosofia do direito de Hegel. Lusosofia Press, 1843/2008. Disponível em: http://www.lusosofia.net/textos/marx_karl_para_a_critica_da_filosofia_do_direito_de_hegel.p df.

POLITIZE – acesso em 07 de agosto de 2020. https://www.politize.com.br/desigualdade-social/

PUCCI, Bruno. Teoria Crítica e Educação. In: PUCCI, Bruno. (org.) Teoria Crítica e Educação: a questão da formação cultural na Escola de Frankfurt. Petrópolis, RJ: Vozes; São Carlos, SP: EDUFISCAR, 1994.

Downloads

Publicado

08/08/2022

Como Citar

Carvalho de Carvalho, D., & de Souza, M. (2022). DA EMANCIPAÇÃO E DA AUTONOMIA: : EMBATES ATUAIS EM TORNO DA RAZÃO E DA PULSÃO. Revista Educação, Cultura E Sociedade, 12(1). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/recs/article/view/6364