A ESCREVIVÊNCIA DE ESPACIALIDADES: A ESCRITA DO CORPO NEGRO EM ESPAÇOS ALTERNATIVOS DA PERIFERIA DE BELÉM-PA

Autores

  • Gisele Joicy da Silva Guimarães Universidade Federal do Pará - UFPA

DOI:

https://doi.org/10.30681/rln.v16i44.11126

Palavras-chave:

escrevivência, espacialidades, espaços alternativos, corpo negro

Resumo

Este ensaio ampara-se na técnica da escrevivência, ato revolucionário e libertador da escrita que nasce da experiência de vida de mulheres negras. Pretende-se abordar as espacialidades produzidas pelo corpo negro, analisadas pela apropriação de espaços por indivíduos que representam a diversidade dos movimentos sociais, políticos e espaciais. Para exemplificar tais espaços alternativos, utilizamos a periferia da Grande Belém (Pará, Amazônia, Brasil). Aliada à técnica de escrevivência, procede-se levantamento bibliográfico (exploratório), que indica a necessidade de um enegrecimento das leituras para os estudos urbanos, com vistas a provocar a desejada ruptura epistemológica para a criação de novos pensamentos ou paradigmas científicos.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Gisele Joicy da Silva Guimarães, Universidade Federal do Pará - UFPA

    Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal do Pará (UFPA), Mestra e Doutoranda em Arquitetura e Urbanismo pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (PPGAU) da UFPA. Atualmente, participa da Linha de Pesquisa CAPES do Programa CAPES-EPIDEMIAS, um Programa Estratégico Emergencial de Prevenção e Combate a Surtos, Endemias, Epidemias e Pandemias do Edital de Seleção Emergencial IV CAPES - Impactos da Pandemia; pesquisadora do Projeto de Extensão CNPQ no grupo de pesquisa Direitos Humanos, Infâncias e Diversidade na Amazônia , da Universidade Federal do Pará, Campus Universitário do Marajó/Breves (GEDIDHAM). Atuante em pesquisas na área de arquitetura e urbanismo com ênfase em relações étnico-raciais, territórios negros e lugares negros, redes negras, morfologias espaciais afrodiaspóricas, racismo e cidade, Arquiteturas e Cidades Afrodiaspóricas, Arquiteturas de Grupos Étnico-Raciais, mulheres negras, arquitetas negras, cidades e Pandemia da COVID-19. Representante da Rede Amazônia Negra Pará (Belém) e membra da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN).

Referências

ANANINDEUA-PA. Inauguração do Espaço Radical no Curuçambá. Ananindeua: Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude – 17/09/2022; às 22h13. Disponível em: <https://www.ananindeua.pa.gov.br/selj/galeria/503>. Acesso em 22 de fev. 2023.

CARNEIRO, Sueli. Dispositivo de racialidade: a construção do outro como não-ser como fundamento do ser. 1.ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2023.

CHOAY, Françoise. O urbanismo – utopias e realidades: uma antologia. São Paulo: Perspectiva, 2002.

CUNHA JÚNIOR, Henrique. TV ADUFRJ. Urbanismo africano: 6000 anos construindo cidades. Disciplina da Universidade Federal do Ceará. Youtube, 05 de fevereiro de 2019. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=tr2Zp843b-M>. Acesso em: 27 abr. 2023.

DUARTE, Constância Lima; NUNES, Isabella Rosado (Org.). Escrevivência: a escrita de nós: reflexões sobre a obra de Conceição Evaristo. 1. ed. Rio de Janeiro: Mina Comunicação e Arte, 2020.

GLOBO. Belém 400 anos. In: Fotos: veja imagens históricas dos 400 anos de Belém. 23/11/2015 20h01- Atualizado em 23/11/2015 20h01. Disponível em: <https://g1.globo.com/pa/para/belem-400-anos/fotos/2015/11/fotos-veja-imagens-historicas-dos-400-anos-de-belem.html#F1851915>. Acesso em: 27 abr. 2023.

NASCIMENTO, Bárbara Thomaz L. Errâncias Sensíveis: analisando a Empatia Espacial em contextos urbanos. In: DUARTE, Cristiane Rose; PINHEIRO, Ethel. Metodologias para a análise sensível do lugar. Rio de Janeiro: FAU-UFRJ, 2019.

NOGUEIRA, Isildinha Baptista. Significações do corpo negro. 1998. Tese (Doutorado) – Curso de Psicologia. Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998. Disponível em: https:/ https://negrasoulblog.files.wordpress.com/2016/04/significacoes-do-corpo-negro-isildinha-baptista-nogueira-tese.pdf. Acesso em 11 de jan. de 2023.

RATTS, Alex. Os lugares da gente negra: temas geográficos no pensamento de Beatriz Nascimento e Lélia Gonzalez. In: SANTOS, Renato Emerson dos (Org.). Questões urbanas e racismo. Petrópolis: Dp Et Alii, 2012. p. 216-243. (Coleção Negras e Negros: Pesquisas e Debates).

RODRIGUES, Maria Luiza de Barros. Do ponto à trama: Cosmopolítica Afro-Brasileira dos Territórios a partir do Município de Cariacica-ES. Dissertação (Mestrado em Geografia). Espírito Santo: Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Humanas e Naturais, 2019. Disponível em: < https://sappg.ufes.br/tese_drupal//tese_13623_DISSERTA%C7%C3O%20MARIA%20LUIZA%20DE%20BARROS%20-%20PPGG-UFES.pdf>. Acesso em 30 de abr. 2023.

ROLNIK, Raquel; SANTOS, Renato Emerson dos; FERNANDES, Ana. In: ENANPARQ (Encontro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Refazer, Restaurar e Revisar, VII, 2022. Três lentes sobre a colonialidade do pensamento urbano e as desigualdades urbanas. Evento Online. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=I3Xp9fI4Yss>. Acesso em 26 de set. 2022.

SILVA, Sulamita Rosa. Escrevivências no universo acadêmico: relatos, memórias e narrativas autobiográficas. São Paulo: Minicurso Online, 8 out. 2022.

Downloads

Publicado

21/08/2023

Edição

Seção

Dossiê Temático 2023/1 "As escrevivências de Conceição Evaristo: as mulheres negras no centro das narrativas"

Como Citar

A ESCREVIVÊNCIA DE ESPACIALIDADES: A ESCRITA DO CORPO NEGRO EM ESPAÇOS ALTERNATIVOS DA PERIFERIA DE BELÉM-PA. (2023). Revista De Letras Norte@mentos, 16(44). https://doi.org/10.30681/rln.v16i44.11126

Artigos Semelhantes

1-10 de 65

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.