O NEOINSTITUCIONALISMO NA CIÊNCIA POLÍTICA: uma revisão da literatura

Autores

  • Renata Bueno Contrera Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso

Palavras-chave:

Neoinstitucionalismo. Neoinstitucionalismo histórico. Desenvolvimento institucional.

Resumo

A teoria neoinstitucional tem sido objeto de um amplo debate no interior das ciências sociais contemporâneas, especialmente no campo da sociologia e da ciência política. O objetivo deste artigo é fazer uma revisão de alguns pressupostos que estruturam as teorias neoinstitucionalistas, especialmente no interior da ciência política contemporânea. A metodologia empregada na produção deste artigo utilizou uma revisão sistemática da literatura sobre o neoinstitucionalismo na ciência política, procurando concentrar a atenção nos textos fundadores desta teoria. As teorias neoinstitucionais apresentam um conjunto coerente de técnicas e conceitos que podem auxiliar o pesquisador interessado na investigação de fenômenos políticos, seja em estudos focados na dinâmica dos legislativos; no comportamento eleitoral; nas políticas públicas e no desenvolvimento das instituições governamentais. Neste caso, a vertente histórica da teoria proporciona uma visão de longo prazo do desenvolvimento institucional, das mudanças, transformações e permanências, inferindo também prováveis cursos de ação no futuro.

Biografia do Autor

Renata Bueno Contrera, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso

Mestre em Sociologia pela Universidade Federal de Mato Grosso

Referências

ABRUCIO, Fernando; LOUREIRO, Rita. Burocracia e Ordem Democrática: desafios contemporâneos e experiência brasileira. In: PIRES, Valdemir; LOTTA, Gabriela; OLIVEIRA, Vitor (orgs.). Burocracia e Políticas Públicas no Brasil: interseções analíticas. Brasília: IPEA, 2018. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/8560/1/Burocracia.pdf. Acesso em: 21 dez. 2019.

BERNARDI, Bruno Boti. O conceito de dependência da trajetória (path dependence): definições e controvérsias teóricas. Perspectivas, São Paulo, v. 41, p. 137-167, jan./jun. 2012.

De CÉSARIS, Luis Enrique Urtubey. Reconceitualizando o institucionalismo histórico: path dependence, agência e mudança institucional. 2009. 147 f. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

ESTEVINHO, Telmo Antonio Dinelli. (Re) Atando políticas: Sociedade, Estado e Cinema no Brasil. 2014. 231 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais – Política) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2014.

FREY, Klaus. Políticas públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática da análise de políticas públicas no Brasil. Planejamento e Políticas Públicas, n. 21, jun. 2000, p 211-259.

HALL, Peter Andrew; TAYLOR, Rosemary C. R. As três versões do neo-institucionalismo. Lua Nova, São Paulo, n. 58, p. 193-223, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-64452003000100010&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 10 set. 2018.

IMMERGUT, Ellen M. O núcleo teórico do novo institucionalismo. In: SARAIVA, Enrique; FERRAREZI, Elisabete. Políticas Públicas. Coletânea, Vol. 1. Brasília: Escola Nacional de Administração Pública, 2007.

MARCH, James G.; OLSEN, Johan P. Neoinstitucionalismo: fatores organizacionais na vida política. Revista de Sociologia e Política, v. 16, n. 31, p. 121-142, 2008.

MARCH, James G.; OLSEN, Johan P. Elaborating the “New Institutionalism”. The Oxford Handbook of Political Science, 2011, 19 p.

OPEP mergulha o mundo na crise do petróleo nos anos 70, causando recessão. Acervo O Globo, 2013. Disponível em:

https://acervo.oglobo.globo.com/fatos-historicos/opep-mergulha-mundo-na-crise-do-petroleo-nos-anos-70-causando-recessao-10230571%23ixzz5tUg5EuCw. Acesso em: 05 jul 2019.

STEINMO, Sven. Taxation and democracy: Swedish, British and American approaches to financing the modern State. New Haven, CT: Yale University Press, 1993.

STEINMO, Sven. Institutionalism. International Encyclopedia of the Social and Behavioral Sciences, v. 11. Oxford: Elsevier, 2001.

STEINMO, Sven. What is Historical Institutionalism? In: PORTA, D. Della; KEATING, M. (eds.). Approaches in the social science. Cambridge: Cambridge Univ. Press, 2008.

STEINMO, Sven; THELEN, Kathleen; LONGSTRETH, Frank. Structuring politics: historical institutionalism in comparative analysis. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.

VICHI, Bruno de Souza. A República de Weimar e a Constituição: lições de limitações. Revista Brasileira de Direito Constitucional, n. 3, jan./jun. 2004, p. 541-564. Disponível em: http://www.esdc.com.br/mwg-internal/de5fs23hu73ds/progress?id=XcZhRgmFcYe_2ci0O5WoqQUtKlHD8LEf3FnW3eKnoVU,&dl. Acesso em: 22 ago. 2019.

Downloads

Publicado

10/09/2021

Como Citar

Bueno Contrera, R. (2021). O NEOINSTITUCIONALISMO NA CIÊNCIA POLÍTICA: uma revisão da literatura. Revista De Ciência Política, Direito E Politicas Públicas - POLITI(K)CON, 2(1), 27–37. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/politikcon/article/view/5352