MANDATO COLETIVO E REPRESENTAÇÃO POLÍTICA: perfil das candidaturas nas capitais nas eleições municipais de 2020

Autores

  • Alexsandro Teixeira Ribeiro Doutorando em Sociologia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), é mestre em Jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), na linha de pesquisa em processos jornalísticos, é bacharel em Comunicação Social (Jornalismo) pelo Centro Universitário Uninter e Especialista em Docência em EaD pela Uninter e em Comunicação Empresarial e Institucional pela Faculdade de Administração, Ciências Contábeis, Educação e Letras (Facel). Atualmente é professor nos cursos de Jornalismo, Publicidade e Propaganda e em Marketing Digital do Centro Universitário Uninter, além de jornalista e integrante da agência Livre.jor, que é a primeira atividade de acompanhamento sistemático de dados públicos relacionados ao Paraná (www.livre.jor.br

Palavras-chave:

representatividade, mandato coletivo, eleições municipais, capitais

Resumo

O presente trabalho busca mapear e analisar o perfil das candidaturas coletivas e compartilhadas das capitais do país nas eleições municipais de 2020. Com base em referencial sobre representatividade política, crise do regime democrático representativo e sobre representatividade de minorias e grupos em situação de vulnerabilidade social, buscou-se discutir o papel das candidaturas coletivas como forma de inclusão política, bem como estruturas de deliberação e revitalização da esfera pública. Os dados coletados na base do TSE apontam para um perfil de maioria feminina e negra dentre as candidaturas coletivas, quadro que diverge do cenário nacional de candidaturas ao legislativo municipal.

Referências

CAMPOS, Luiz Augusto; MACHADO, Carlos. O que afasta pretos e pardos da representação política? Uma análise a partir das eleições legislativas de 2014. Revista de Sociologia e Política, [S.l.], v. 25, n. 61, p. 125-142, mar. 2017. ISSN 1678-9873. Disponível em: <https://revistas.ufpr.br/rsp/article/view/51468>. Acesso em: 10 de janeiro de 2021.

FERNANDES, Antônio Alves Tôrres. Onde estão elas? A efetividade da cota de gênero nas eleições para vereador(a) de 2000 a 2016 no Brasil. [S.l.]: Ca?mara dos Deputados, 2018. 109–122 p. 11 v. Disponível em: . Acesso em: 16 de janeiro de 2021.

MACIEL, Ana Paula Brito; ALARCOM, Anderson de Oliveira, GIMENES, Éder Rodrigo. Partidos políticos e espectro ideológico: parlamentares, especialistas, esquerda e direita no Brasil. Revista Eletrônica de Ciência Política, vol. 8, n. 3, 2017. ISSN 2236-451X

PITKIN, Hanna Fenichel. The concept of representation. Berkeley: University of California, 1967.

SECCHI, Leonardo; Cavalheiro, Ricardo Alves. Delegated representation in the 21st Century: the experimentation of shared mandates. In T02P10 - Bias and Representation in Policy Making. International Conference on Public Policy 3, 27-30 de junho de 2017. p. 143. Anais. Cingapura. 2017.

SECCHI, Leonardo., coord. Mandatos coletivos e compartilhados: desafios e possibilidades para a representação legislativa no século XXI. São Paulo: Raps, 2019. Disponível em: <https://www.raps.org.br/2020/wp-content/uploads/2019/11/mandatos_v5.pdf>. Acesso em: 08 dez. 2020.

SILVA, Willian Quadros. Mandatos coletivos e compartilhados: experimentações de inovações democráticas no poder legislativo do Brasil. 2019. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

YOUNG, Iris Marion. Representação política, identidade e minorias. Lua Nova [online]. 2006, n.67, pp.139-

Downloads

Publicado

10/09/2021

Como Citar

Ribeiro, A. T. (2021). MANDATO COLETIVO E REPRESENTAÇÃO POLÍTICA: perfil das candidaturas nas capitais nas eleições municipais de 2020. Revista De Ciência Política, Direito E Politicas Públicas - POLITI(K)CON, 2(1), 12–26. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/politikcon/article/view/5670