v. 9 n. 1 (2022): DOSSIÊ TEMÁTICO: DIMENSÕES DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES IMPACTADAS PELA ATUAL ORDEM DEMOCRÁTICA

DIMENSÕES DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES IMPACTADAS PELA ATUAL ORDEM DEMOCRÁTICA

Ângela Rita Christofolo de Mello

 

O Programa de Pós-graduação em Educação (PPGEdu) da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), campus de Cáceres, oferta no curso de Mestrado em Educação, disciplinas consideradas obrigatórias e tópicos especiais. A disciplina Formação de Professores: concepções e práticas é uma das que compõem os tópicos especiais. Esta disciplina tem como objetivo, trabalhar as especificidades da formação inicial e continuada de professores, requeridas na hodiernidade. Desta feita, aborda conhecimentos teóricos, metodológicos e práticos com vistas a permitir ao mestre em Educação atuar no contexto educacional da Educação Básico e/ou Superior.  De acordo com a sua ementa, incluem-se nas discussões: 

 "[...] questões da relação teoria-prática, ensino-pesquisa, formação inicial e continuada. Enfatiza os paradigmas presentes nos cursos de formação de professores, compreendendo os pressupostos que os sustentam na constituição do docente e da sua profissionalização, bem como as possibilidades de sua reconstrução crítica. Estuda os processos de elaboração, proposição e efetivação de políticas relacionadas à educação em geral e à formação de professores em sua relação com a sociedade e os movimentos organizados". (Disponível em: http://portal.unemat.br/index.php?pg=site&i=educacao &m=disciplinas-subjects-asignaturas. Acesso em: 11 maio 2022). 

 Observamos então, que a sua intencionalidade se associa à construção dos conhecimentos necessários para a atuação docente. Com isso, defendemos a importância desta disciplina para todos àqueles que são ou que serão professores.  Compreendemos que a identidade profissional do professor é gradativamente construída e reconstruída. À medida que o professor inicia a sua atuação e se insere no processo de formação continuada e de qualificação profissional, amplia os conhecimentos que lhe possibilitam adotar uma postura reflexiva. Por sua vez, essa postura, aos poucos, vai desalienando-o das amarras ideológicas que geralmente estão presentes nos currículos escolares e, de certa forma, lhe induzirá para uma atuação pouco mais autônoma em sala de aula.  

Assim, ao trabalharmos esta disciplina, debatemos conceitos e concepções que esperamos, contribuam para a construção do perfil do educador do século XXI, que necessariamente exige dinamismo e disposição para pesquisar e refletir com vistas a uma insistente práxis docente transformadora.  

Enquanto professora permanente do PPGEdu da UNEMAT, Câmpus de Cáceres/MT, trabalhamos a disciplina Formação de Professores: concepções e práticas no segundo semestre dos anos de 2019, 2020 e 2021, com o objetivo de possibilitar aos mestrandos em educação, aprofundamento teórico, conceitual e metodológico inerentes ao exercício da docência, com destaque a necessidade da formação continuada e da postura prático-reflexiva e autônoma em defesa de uma educação pesquisadora e transformadora.  Para tanto, pontuamos os objetivos específicos de: estudar   a   conjuntura educacional com vistas a compreender os pressupostos que poderão constituir a identidade docente, bem como a  relação  teoria-prática  na  perspectiva  de  compreender  a  necessidade  da  fundamentação teórica como condição para sustentar a atuação docente ou a prática pedagógica autônoma; reconhecer a necessidade de adotar em sua atuação docente postura crítico-reflexiva   que   articule   o processo   de   aprendizagem   à   pesquisa. 

Desta feita, a oferta da disciplina de sessenta horas aulas geralmente é dividida em três unidades de vinte horas. Na Unidade I: A formação inicial e continuada de professores e a constituição do conhecimento docente debatemos vários artigos e teve como referências básicas:  Garcia (1999); Giroux(1997); Imbernón  (2001); Nóvoa  (1995);  e Tardiff (2002). Na Unidade II, cujo tema estudado foi A prática da reflexibilidade, balizada em autores como: Alarcão (2005 e 2007); Pimenta (2005); Schön (1983); e Zeichner (1993), além de artigos que fundamentaram as discussões. Na Unidade III com o tema A autonomia pedagógica, a partir das referências básicas de Contreras (2002) e Freire (2011, 2010, 2014), discutimos vários artigos que versaram sobre o tema em questão.  

Desse modo, a metodologia adotada constituiu-se de estudos de livros com as referências básicas e artigos publicados em revistas que elucidaram debates voltadas à formação inicial e continuada de professores em uma perspectiva identitária, reflexiva, crítica e autônoma. Em defesa de uma práxis docente transformadora, emancipadora e libertadora. Com aulas expositivas, interativas e dialogadas, seminários com equipes de apresentadores e debatedores, exibições de filmes e vídeos, rodas de conversas, trabalho em equipes com leituras, fichamentos e planejamentos de apresentações e debates, avaliação oral e escrita que incluiu a co-avaliação e autoavaliação das atividades trabalhadas no decorrer da disciplina.  Como trabalho final, acordamos a elaboração de artigos individuais e em coautorias com orientadores ou professores que trabalharam outras disciplinas ou com colegas de turma, com temas relacionados à educação. 

Neste sentido, compuseram este dossiê seis textos, destes, quatro foram escritos em coautorias com orientadora, professora de outra disciplina e colegas de turma. Dois são resultados de trabalhos individuais. Assim, publicizamos um dossiê com diferentes combinações autorais e com temas interdisciplinares, relacionados à educação e as implicações que ela sofre diante da atual ordem econômica, que afetam a formação inicial e continuada de professores e impactam na qualidade social da educação ofertada, principalmente nas instituições públicas.  

 

ISSN: 2359-0041

INDEXADORES:

Latindex: http://www.latindex.unam.mx/buscador/ficRev.html?opcion=2&folio=22078

Diadorim: http://diadorim.ibict.br/handle/1/1131

https://sumarios.org/revista/relva

Publicado: 29/07/2022

Edição completa