MEMÓRIAS E VOZES SILENCIADAS: LEITURAS SOBRE ESCRAVIZAÇÃO, RACISMO E MARGINALIZAÇÃO EM BECOS DA MEMÓRIA, DE CONCEIÇÃO EVARISTO

Autores

  • Thaís Melo Gomes Ramalho Universidade Federal do Acre

DOI:

https://doi.org/10.30681/rln.v16i44.11077

Palavras-chave:

escravização, identidade, memória

Resumo

O artigo tem por finalidade a análise da memória no romance Becos da Memória, da escritora Conceição Evaristo, tendo como foco a memória como elemento constitutivo da narrativa negra apresentada pela escritora supracitada. A obra apresenta em seu enredo uma história narrada a partir de lembranças que intercalam o tempo vivido da protagonista. Seu contexto histórico representa os descendentes de povos escravizados, que mesmo após a abolição sofreram para ganhar um espaço na sociedade devido a herança da escravidão no país. Legado esse que faz com que Evaristo lute pela representatividade negra dentro da literatura brasileira.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Thaís Melo Gomes Ramalho, Universidade Federal do Acre

    Professora de Língua Portuguesa e Literatura na rede estadual de ensino (Educação básica) - SEE/AC. Graduação em Letras - Língua Portuguesa - Universidade Federal do Acre (2012). Especialista em Língua Portuguesa - Universidade Federal do Acre (2016). Mestre em Ensino de Humanidades e Linguagens - Universidade Federal do Acre (2020).

Referências

ALMEIDA, Silvio. Luiz. de. Racismo estrutural. São Paulo: Sueli Carneiro: Jandaíra, 2021.

EVARISTO, Conceição. Becos da memória. 3. ed. Rio de Janeiro: Pallas, 2017.

FERREIRA, Yvonélio. Neri. O silêncio incessante em narrativas de Luiz Vilela. 1. ed. Curitiba: Appris, 2018.

GILROY, Paul. O Atlântico negro: modernidade e dupla consciência. Tradução: Cid Knipel Moreira. 2. ed. São Paulo: Editora 34. Rio de Janeiro: Universidade Candido Mendes, Centros de Estudos Afro-Asiáticos, 2012.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Edições Vértice, 1990.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Tradução de Jess Oliveira. 1. ed. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

LE BRETON, David. Do silêncio. Lisboa: Instituto Piaget, 1997.

MOSQUERA, Sergio Antônio. La trata negreira y la esclavización: uma perspectiva histórico-psicológica. Apidama ediciones. Bogotá, marzo de 2017.

NASCIMENTO, Abdias. do. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra S/A, 1978.

ORLANDI, Eni. Puccinelli. As formas do silêncio no movimento dos sentidos. 6. ed. Campinas, São Paulo: Editora da Unicamp, 2007. E-book.

PYNSKY, Jaime. A escravidão no Brasil. 21. ed. – São Paulo: Contexto, 2010.

POLLAK, Michael. Memória e identidade social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 5. n. 10, 1992.

RIBEIRO, Djamila. Quem tem medo do feminismo negro? 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

Downloads

Publicado

21/08/2023

Edição

Seção

Dossiê Temático 2023/1 "As escrevivências de Conceição Evaristo: as mulheres negras no centro das narrativas"

Como Citar

MEMÓRIAS E VOZES SILENCIADAS: LEITURAS SOBRE ESCRAVIZAÇÃO, RACISMO E MARGINALIZAÇÃO EM BECOS DA MEMÓRIA, DE CONCEIÇÃO EVARISTO. (2023). Revista De Letras Norte@mentos, 16(44). https://doi.org/10.30681/rln.v16i44.11077

Artigos Semelhantes

1-10 de 102

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.