A escrita da história e seus despropósitos: uma experiência de pesquisa com Michel de Certeau e Manoel de Barros

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/21787476.2023.E392311

Palavras-chave:

História da Educação, Michel de Certeau, Manoel de Barros

Resumo

Este trabalho tem como objetivo apresentar uma experiência de pesquisa sobre o cotidiano escolar de uma instituição educativa, na qual teve como principal referencial teórico Michel de Certeau, unido à poesia de Manoel de Barros. Para tanto, a experiência da pesquisa volta-se para destacar as artes de fazer, desde a iniciativa da construção da escola pela própria comunidade, como também no que se refere à dinâmica criadora, inventiva e astuciosa daqueles que participaram do seu cotidiano escolar. A metodologia está ancorada em uma pesquisa qualitativa, de cunho histórico e como recursos utilizou-se de testemunhos orais e documentos históricos sobre a educação da cidade de Sinop-MT. Trata-se de uma proposta de escrita da história que se assume como uma versão inacabada, repleta de despropósitos, como diria Manoel de Barros. Contudo, versa sobre a composição de uma história a contrapelo, a partir de olhares de um fazer ciência com arte e poesia, convidando o leitor a olhar para um passado, em que cada um, à sua maneira, exercia como ninguém suas artes de se fazer sujeito, cada qual com a singularidade que lhe era própria.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Josiane Brolo, Universidade Federal de Rondônia - UNIR

Doutora em Educação (2019) e Mestre em Educação (2012) pela Universidade Federal de Mato Grosso- PPGE/UFMT/Cuiabá. Realizou o Estágio Doutoral em Educação na Loyola University em Chicago, Estados Unidos (2017-2018), pelo Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE-CAPES). É graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT/Sinop e Graduada em Artes Visuais (Licenciatura). É professora da Universidade Federal de Rondônia - UNIR/ Campus de Vilhena, lotada no Departamento Acadêmico de Ciências da Educação, no curso de Pedagogia, Professora permanente do Programa de Pós-graduação em Educação Escolar - Mestrado e Doutorado Profissional - PPGEEProf/UNIR e professora colaboradora do Programa de Mestrado Acadêmico em Ensino de Ciências da Natureza - PGECN/UNIR. É Líder do Grupo de Pesquisa Infancionática, com dedicação às pesquisas sobre as culturas infantis e Linguagens das crianças; os processos de escutas sensíveis e as narrativas infantis; relações crianças, natureza e os espaços escolares.

Referências

ALBUQUERQUE Jr., Durval Muniz de. A invenção do Nordeste e outras artes. São Paulo: Cortez, 1999.

BARROS, Manoel. O menino que carregava água na peneira. Exercícios de ser criança. Rio de Janeiro: Salamandra, 1999.

BARROS, Manoel. Escova. In: Memórias Inventadas: A infância. São Paulo: Planeta, 2003.

BARROS, Manoel. Manoel de Barros por Pedro Paulo Rangel e Manoel de Barros. Poesia Falada. Vol. 08. 2004.

BARROS, Manoel. A Borra. In: Ensaios fotográficos. Rio de Janeiro: Record, 2005.

BARROS, Manoel. Poesia completa. São Paulo: Leya, 2010.

BENJAMIN, Walter. Magia e Técnica, arte e política: Ensaios sobre Literatura e História da Cultura. V. 1. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. 3 ed. São Paulo: Brasiliense, 1987. (Obras Escolhidas).

BITTAR, Marisa; BITTAR, Mariluce. História da Educação no Brasil: a escola pública no processo de democratização da sociedade. Acta Scientiarum. Education, v. 34, n. 02, p. 157-168, 2012.

CERTEAU, Michel de. A Escrita da História. Tradução Maria de Lourdes Menezes, Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1982.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. 4 ed. Petrópolis: Vozes, 1998, v.1.

COSTA, Shara Jane. Manoel de Barros: Entre a Memória e o Esquecimento. Canoa Quebrada, Ceará: UFC, 2008. Disponível em: http://www.overmundo.com.br/banco/manoel-de-barros-entre-a-memoria-e-o-esquecimento Acesso em: 18 fev. 2015.

GOBBO, Anízia Mendes. Anízia Mendes Gobbo: depoimento. [14 jan. 2012] Entrevistadora: Josiane Brolo, Sinop 2012. Gravação digital (2h 06seg). Entrevista concedida para a pesquisa sobre a História da Educação em Sinop, Mato Grosso.

GUERRA, Terezinha Vandresen Pissinati. Terezinha Vandresen Pissinati Guerra: depoimento. [25 jan. 2012] Entrevistadora: Josiane Brolo, Sinop 2012. Gravação digital (1h 26min). Entrevista concedida para a pesquisa sobre a História da Educação em Sinop, Mato Grosso.

GONÇALVES, Irlen Antonio. Cultura escolar: práticas e produção dos grupos escolares em Minas Gerais (1891 1918). Tese de Doutorado (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação, UFMG, Belo Horizonte, 2004.

JOANONI NETO, V. Amazônia na década de 1970. A fronteira sob o olhar do migrante. Revista Eletrônica Da ANPHLAC, (16), 186–206, 2014. https://doi.org/10.46752/anphlac.16.2014.1595

OLIVEIRA, João Mariano de. A Esperança vem na frente: contribuição ao estudo da pequena produção em Mato Grosso, o caso de Sinop. São Paulo: USP, 1983. 144 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo.

PERIPOLLI. Odimar João . Amaciando a terra - O projeto casulo: um estudo sobre a política educacional dos projetos de colonização do Norte de Mato Grosso. Porto Alegre: UFRGS, 2002. 182 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Relação entre história e literatura e representação das identidades urbanas no Brasil (Séculos XIX e XX). Revista Anos 90, Porto Alegre, n° 4, dezembro de 1995.

PRADO, Patrícia Martins Alves do. História e literatura: um diálogo possível. Territorial caderno eletrônico de textos, maio, 2012. Disponível em: http://www.cadernoterritorial.com/news/historia-e-literatura-um-dialogo-possivel-patricia- martins-alves-do-prado/ Acesso em 17∕02∕2015.

ROHDEN, J. B. A reinvenção da escola: histórias, memórias e práticas e educativas no período colonizatório de Sinop-MT (1973-1979). Cuiabá: EdUFMT, 2016.

SANTOS, Josivaldo Constantino dos. A cultura do medo no cotidiano da escola: Afetos, acolhimentos, violências, sofrimentos, como manifestações de um querer-viver societal. Tese de Doutorado (Doutorado em Educação). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

SIQUEIRA, Elizabeth Madureira. Mato Grosso: território em constante movimento. Posfácio. In: ROHDEN, Josiane Brolo. A reinvenção da escola: história, memórias e práticas educativas no período colonizatório de Sinop - MT (1973-1979). EdUFMT: Cuiabá, 2016.

SOUZA, José Edimar de. Memórias da trajetória docente em classes multisseriadas: A Professora Élia Maria Thiesen (1958/1984). Revista da Faculdade de Educação, [S. l.], v. 17, n. 1, p. 29–44, 2019. Disponível em: https://periodicos.unemat.br/index.php/ppgedu/article/view/4019. Acesso em: 14 out. 2023.

VIDAL, Diana Gonçalves. Culturas Escolares: estudo sobre práticas de leitura e escrita na escola pública primária (Brasil e França, final do século XIX. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

Downloads

Publicado

2023-10-26

Como Citar

BROLO, Josiane. A escrita da história e seus despropósitos: uma experiência de pesquisa com Michel de Certeau e Manoel de Barros. Revista da Faculdade de Educação, [S. l.], v. 39, n. 1, p. e392311, 2023. DOI: 10.30681/21787476.2023.E392311. Disponível em: https://periodicos.unemat.br/index.php/ppgedu/article/view/11807. Acesso em: 4 mar. 2024.