LÍRICA E TESTEMUNHO EM CARLOS MARIGHELLA

Autores

  • Jefferson Silva do Rêgo Mestre em estudos linguísticos pelo Programa de Letras e Linguística da Universidade Federal de Goiás. Técnico em Assuntos Educacionais do IFG - Campus Formosa.

DOI:

https://doi.org/10.30681/rln.v16i42.10814

Palavras-chave:

Lírica; Testemunho; Carlos Marighella; Ditadura.

Resumo

Mediante a análise de dois poemas de Carlos Marighella, quais sejam, “O país de uma nota só” e “A prece dos escravos”, abordaremos como a perspectiva do testemunho pode enriquecer a compreensão da ditadura civil-militar brasileira (1964-1985). Quanto ao suporte teórico-metodológico, além das reflexões de Marcio Seligmann-Silva (2005), tomaremos como referência contribuições de Theodor Adorno (1998 e 2003) e Antonio Candido (2004).  Mostraremos que a poesia lírica, em vez de ser exclusivamente zona de escape para emoções subjetivas, apresenta também um forte componente social, sendo capaz de ponderar sobre dilemas históricos; logo, sua estrutura não é imune ao testemunho.

 

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Jefferson Silva do Rêgo, Mestre em estudos linguísticos pelo Programa de Letras e Linguística da Universidade Federal de Goiás. Técnico em Assuntos Educacionais do IFG - Campus Formosa.
    Possui graduação em Letras/Português (2007) pela UFG, especialização em Educação Integral (2011) pela UFG e mestrado em Letras e Linguística (2016) também pela UFG.
    Trabalha no IF Goiano como Técnico em Assuntos Educacionais. Tem experiência na área de Letras e Educação, com ênfase em Historiografia-Linguística
    e em Educação Profissional e Tecnológica.

Referências

ADORNO, Theodor. Crítica cultural e sociedade. In: ADORNO, Theodor. Prismas-crítica cultural e sociedade. São Paulo: Ática, 1998.

ADORNO, Theodor. Palestra sobre lírica e sociedade. In: ADORNO, Theodor. Notas de literatura I. Trad. Jorge Almeida. São Paulo: Duas cidades, 2003.

BARNET, Miguel. Biografía de un cimarrón. Buenos Aires: Centro editor de América Latina, 1977.

CANDIDO, Antonio. O estudo analítico do poema. São Paulo: Associação Editorial Humanitas, 2004.

FRIEDRICH, Hugo. Estrutura da lírica moderna. Tradução de M. M. Curioni e D. F. da Silva. São Paulo: Duas Cidades, 1978.

GABEIRA, Fernando. O que é isso, companheiro? Rio de Janeiro: Codecri, 1981.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. O rastro e a cicatriz: metáforas da memória. In: GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar escrever esquecer. São Paulo: Ed. 34, p. 107-118, 2006.

HUYSSEN, Andreas. Seduzidos pela memória. Arquitetura, monumento, mídia. 1. ed. Rio de Janeiro: Aeroplano Editora. 2000.

JUTGLA, Cristiano A. da S. A poesia de resistência à ditadura militar: um estudo de suas configurações. Fólio – Revista de Letras Vitória da Conquista. v. 5, n. 1 p. 27-47 jan./jun. 2013.

KEHL, Maria Rita. Tortura e sintoma social. In: TELES, Edson; SAFATLE, Vladimir (orgs.). O que resta da ditadura. São Paulo: Boitempo, 2010, p. 123-132.

MAGALHÃES, Mário. Marighella: o guerrilheiro que incendiou o mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

MARCO, Valéria de. A literatura de testemunho e a violência de estado. Lua Nova - revista de cultura e política. Nº 62. São Paulo, 2004. p. 45-62. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-64452004000200004

MARIGHELLA, Carlos. Rondó da Liberdade: poemas. São Paulo: Editora Brasiliense, 1994.

MARIGHELLA, Carlos. Por que resisti à prisão. 2. ed. Rio de Janeiro: Edições Contemporâneas.1994.

MARIGHELLA, Carlos. Manual do guerrilheiro urbano. Clube de Autores, 2010.

NETO, Paulo Bungart. Entre a Luta Armada e a Poesia Libertária: O engajamento radical de Marighella. Revista Eletrônica Literatura e Autoritarismo: Dossiê nº 18 – jan. 2007. (Disponível: http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/LA/index)

PAZ, Octavio. O Arco e a Lira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982.

PAULA, Marcelo Ferraz de. Intruso, incômodo, urgente: lugares do testemunho no ensino de literatura. Via Atlântica, São Paulo - SP, n. 28, 121-142, dez/2015a. DOI: https://doi.org/10.11606/va.v0i28.98658

PAULA, Marcelo Ferraz de. Produção poética em anos de chumbo: políticas da memória e direitos humanos na lírica brasileira recente. In. FERREIRA, Fernanda Busanello. Ciências & Letras, v. 56, p. 192-203, 2015b.

PAULA, Marcelo Ferraz de. Desconsiderações sobre o testemunho na poesia lírica: uma proposta de diálogo. XIV Congresso Internacional da ABRALIC, Belém/PA, 2015c.

PILATI, Alexandre. Poesia na sala de aula: subsídios para pensar o lugar e a função da literatura em ambientes de ensino. Campinas, SP: Pontes Editores, 2017.

SALGUEIRO, Wilberth. Trauma e resistência na poesia de testemunho do Brasil contemporâneo. In: Revista Moara. Edição 44, jul - dez 2015. DOI: https://doi.org/10.18542/moara.v1i44.3432

SELIGMANN-SILVA, Márcio. 2001. Literatura e Trauma: um novo paradigma. In: Rivista di Studi Portoghesi e Brasiliani III (2001), Pisa e Roma, pp. 103-118. In: O local da diferença. Ensaios sobre memória, arte, literatura e tradução, São Paulo: Editora 34, 2005, pp. 63-80.

SIMON, Iumna Maria. Considerações sobre a poesia brasileira em fim de século. Novos Estudos Cebrap, São Paulo, 1999, n. 55, p. 27-36, 1999.

Downloads

Publicado

22/06/2023

Edição

Seção

Artigos Estudos Literários

Como Citar

LÍRICA E TESTEMUNHO EM CARLOS MARIGHELLA. (2023). Revista De Letras Norte@mentos, 16(42). https://doi.org/10.30681/rln.v16i42.10814

Artigos Semelhantes

1-10 de 41

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.