A FRAGMENTAÇÃO DA VIDA EM CERIMÔNIAS DO SERTÃO, DE RICARDO GUILHERME DICKE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/rln.v16i42.10893

Palavras-chave:

Cerimônias do Sertão, Frutuoso Celidônio, identidade, pós-modernidade

Resumo

Este artigo analisa o personagem Frutuoso Celidônio, do romance Cerimônias do Sertão, de Ricardo Gilherme Dicke (2011) no que tange à fragmentação dos pensamentos e comportamentos do protagonista, considerando o tempo pós-moderno na narrativa com suas implicações e rupturas que a sociedade pós-moderna provoca no sujeito. Como aporte teórico, recorre-se a Hall (2006) norteamentos acerca da construção da identidade na pós-modernidade ou modernidade tardia. Utiliza das contribuições de Bauman (2005) para compreender as angústias do personagem no mundo pós-moderno e em Antonio Candido reflexões sobre o personagem (1974). O trabalho permite associar o comportamento do sujeito às mudanças da sociedade contemporânea.

 

 

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Antonio Aparecido Mantovani, UNEMAT

    Possui graduação em Letras pela Universidade Paranaense de Umuarama (1987), especialização pela Pontifícia Universidade Católica de Belo Horizonte em Literatura Brasileira, mestrado (2002) e doutorado (2010) em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente também compõe o corpo docente do PROFLETRAS - Mestrado Profissional em Letras - Unidade do Campus Universitário de Sinop e do PPGLetras, Mestrado Acadêmico em Língua e Literatura.

  • Adriana Lins Precioso, UNEMAT

    Pós-Doutorado em Literatura e Práticas Sociais pela Universidade de Brasília (UnB) em 2018, com a pesquisa intitulada: "Poesia e Pintura do Mato Grosso contemporâneo: representações do índio e do negro na arte de Pedro Casaldáliga e Cerezo Barredo". Doutora pela Unesp - Ibilce - Campus de São José do Rio Preto-SP, na área de Teoria da Literatura e Mestre pela mesma instituição. Professora e vice-coordenadora do Programa de Pós- Graduação em Letras - PPGLETRAS e professora do Mestrado Profissional em Letras - PROFLETRAS da UNEMAT-Campus de Sinop.

  • Mônica Aparecida Teixeira da Fonseca, UNEMAT

    Possui graduação em LETRAS pela Universidade do Estado de Mato Grosso (2014). Especialização em Língua Portuguesa e Literatura Brasileira. Mestranda do Programa de Pós Graduação em Letras - UNEMAT - Sinop (PPGLETRAS - UNEMAT). Professora efetiva da rede municipal de ensino em Itaúba - MT.

Referências

BAUMAN, Zygmunt. Ética pós-moderna. Tradução de João Rezende Costa. São Paulo: Paulus, 1997.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade: uma entrevista a Benedetto Vecchi. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

BRAIT, Beth. A personagem. São Paulo: Ática, 1985.

CANDIDO, Antonio. A personagem do romance. In: CANDIDO, Antonio, ROSENFELD, Anatol et al. A personagem de ficção. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1974.

DICKE, Ricardo Guilherme. Cerimônias do sertão. Carlini e Caniato: Cuiabá, 2011.

DICKE, Ricardo Guilherme. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileira. São Paulo: Itaú Cultural, 2022. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa443302/ricardo-guilherme-dicke. Acesso em: 25 de outubro de 2022. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7

ECO, Umberto. História da beleza. Tradução de Eliana Aguiar. Rio de Janeiro: Record, 2004.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva, Guacira Lopez Louro. 11. ed. Rio de Janeiro: DPeA, 2006.

MACHADO, Madalena Aparecida. A angústia da busca pós-moderna na obra Cerimônias do Sertão de Ricardo Dicke. Anais do XIV Congresso Internacional da ABRALIC: Fluxos e correntes: trânsitos e traduções literárias. 2015, Belém – Pará (UFPA). Disponível em: https://abralic.org.br/anais/arquivos/2015_1456102882.pdf. Acesso em: 21 de abril de 2023.

SOUZA, Shirlene Rohr de. A estética de Dicke: entre o sublime e o grotesco. Garça: FAEF, 2021.

Downloads

Publicado

22/06/2023

Edição

Seção

Artigos Estudos Literários

Como Citar

A FRAGMENTAÇÃO DA VIDA EM CERIMÔNIAS DO SERTÃO, DE RICARDO GUILHERME DICKE. (2023). Revista De Letras Norte@mentos, 16(42). https://doi.org/10.30681/rln.v16i42.10893

Artigos Semelhantes

1-10 de 120

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.