A PROPOSTA DO INSTITUTO AYRTON SENNA PARA EDUCAR NO SÉCULO 21 OU UMA VELHA PROPOSTA COM NOVA ROUPAGEM

Autores

  • Maria Raquel Caetano

Palavras-chave:

público-privado, gestão, Instituto Ayrton Senna

Resumo

As estratégias de gestão privada na educação, no Brasil, viabilizam e aprofundam a reprodução do capital através da educação e seus reflexos na gestão da educação e da escola. Analisaremos, neste artigo, como ocorre a concepção gerencial mercantil da gestão da educação e da escola pública na proposta de um programa intitulado Educar no Século 21, de um instituto privado. Essa forma peculiar de relação entre o público e o privado, através de parcerias ou outras formas de gestão, operam através da instalação de uma série de ferramentas de mercado no próprio funcionamento da política pública e da escola. Apresentaremos como uma instituição privada modifica seu foco de atuação, buscando atuar nas redes de ensino público no Brasil, com a lógica de um programa privado que altera o conteúdo da educação.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Referências

BALL, S.; YOUDELL. D. Hidden Privatisation in Public Education. Institute of Education, University of London, Bruxelas, 2008. Disponível em: . Acesso em: 30 jan. 2015.

CAETANO, Maria Raquel. Relações entre o público e o privado: a gestão pedagógica da educação no Programa Circuito Campeão do Instituto Ayrton Senna (2007-2010). Tese (Doutorado). UFRGS. Faculdade de Educação, PPGEDU. Porto Alegre, RS, 2013.

________. Gestão da Educação no contexto da privatização do público:o caso do Programa Jovem de Futuro do Instituto Unibanco. In: XXVII Simpósio Brasileiro de Política e Administração da Educação: Anais [Recurso Eletrônico], 2015, Olinda-PE. 2015.

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria geral da Administração: uma abrangente da moderna administração das organizações. 7. ed., Rio de Janeiro: ELSEVIER, 2003 – 3ª Reimpressão. DELORS, Jacques (Org.). Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo: Cortez, Brasília, DF: MEC: UNESCO, 1998.

DUARTE, Newton. Vigotski e o “aprender a aprender”: críticas às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana.Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2001.

FÉLIX, A. L. Gestão Democrática da escola: bases epistemológicas, políticas e pedagógicas.2004.Disponível em: <http://29reuniao.anped.org.br/trabalhos/ trabalho/GT05-2114--Int.pdf> . Acesso em: 1 jul. 2015.

FREITAS, Luiz Carlos de. Crítica da organização do trabalho pedagógico e da didática. Campinas: Papirus, 1995.

________. Os reformadores empresariais da educação: da desmoralização do magistério à destruição do sistema público de educação. Educ. Soc. [online]. 2012, vol.33, n.119, pp. 379-404.

________. Senna ou o autismo científico (socioemocional). São Paulo, 25/06/2015.Disponível em: <http://avaliacaoeducacional.com/> . Acesso em: 2 jul. 2015

FRIGOTTO, Gaudêncio. A Produtividade da Escola Improdutiva. São Paulo: Cortez, 1984.

INSTITUTO AYRTON SENNA. Proposta inovadora para ensino médio engaja aluno e desenvolve competências para o século 21.Disponível em: . Acesso em:1 jul. 2015.

________. Relatório Anual de Resultados 2014. Disponível em: <http://www.institutoayrtonsenna.org.br/wp-content/uploads/2015/07/Instituto-Ayrton-Senna -Relatorio-Anual-de-Resultados-2014.pdf.> . Acesso em:1 jul.2015.

HARVEY, David. A condição pós-moderna: Uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. 11. ed. São Paulo: Loyola, 2004.

LAVAL, Christian. A escola está no centro das novas lutas de classe. L’Humanité, 28/Set./2011. Entrevista a Sergio Granja. Disponível em http://laurocampos. org.br/2011/09/christian-laval-qa-escola-esta-no-centro-das-novas-lutas-de-classeq/.Acessoem: 15 jul. 2015.

LIB NEO, José C. Democratização da Escola Pública - a Pedagogia Crítico Social dos Conteúdos. 15. ed., São Paulo: Loyola, 2000.

________. Pedagogia e pedagogos, para quê? 6. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

MÉSZÁROS, István. Crise estrutural necessita de mudança estrutural. Conferência de Abertura do II Encontro de São Lazaro. Salvador, 2011.

________. Para Além do Capital. São Paulo: Boitempo, 2002.

PARO, Vitor. Escritos sobre educação. São Paulo: Xamã, 2001.

PERONI, V.M.V.(Org). A privatização do público: implicações para a democratização da educação. In: Redefinições das fronteiras entre o público e o privado: implicações para a democratização da educação. Brasília: Líber Livros, 2013.

________. Reforma do Estado e a tensão entre o público e o privado. SIMPE, Porto Alegre, p. 11-33, 2007.

SAVIANI, D. Escola e democracia. Campinas: Autores Associados, 1984.

________. História das idéias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2010.

________. Marxismo e pedagogia. In: Encontro Brasileiro de Educação e Marxismo (EBEM), III, Salvador (BA), 2007.

________. Pedagogia histórico crítica: primeiras aproximações. São Paulo: Cortez Autores Associados, 1997; 2005.

________. O legado educacional do século XX no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2008.

SMOLKA, A. L. B. (et. al.). O problema da avaliação das habilidades socioemocionais como política pública: explicitando controvérsias e argumentos. Educ. Soc. [online]. 2015, vol.36, n.130.

THOMPSON, E. P.A miséria da teoria ou um planetário de erros. Rio de Janeiro: Zahar editores, 1981.

VEIGA, I.P. A. Projeto político-pedagógico da escola. Uma construção possível. 23. ed. Campinas: Papirus, 1998.

________. Projeto político-pedagógico da escola: uma construção coletiva In: VEIGA, Ilma Passos A. (Org.). Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. Campinas: SP. Papirus, 2004.

Downloads

Publicado

2019-09-27

Edição

Seção

ARTIGO

Como Citar

A PROPOSTA DO INSTITUTO AYRTON SENNA PARA EDUCAR NO SÉCULO 21 OU UMA VELHA PROPOSTA COM NOVA ROUPAGEM. Revista da Faculdade de Educação, [S. l.], v. 24, n. 2, p. 113–133, 2019. Disponível em: https://periodicos.unemat.br/index.php/ppgedu/article/view/3955.. Acesso em: 24 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

1-10 de 77

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.