A leitura bíblica na educação brasileira: formação crítica e laicidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/21787476.2023.E392313

Palavras-chave:

Neoconservadorismo, Leitura Bíblica, Formação crítica, Laicidade

Resumo

RESUMO: Presencia-se, nos últimos anos, o recrudescimento do conservadorismo no Brasil. Essa frente passou a adotar novas formas de atuação política a fim de materializar-se em toda sociedade. Mediante essa problemática, discute-se, neste trabalho, essa ofensiva na área de educação a partir de Legislações municipais que impuseram a Leitura Bíblica nas escolas públicas. Para tanto, o trabalho foi desenvolvido com base em pesquisa bibliográfica e documental. Por fim, verificamos que a materialização neoconservadora, representada por premissas de caráter fundamentalista-religioso, ameaça o Estado e a educação laica prevista nos aparatos legais, bem como o real sentido da escola como lugar de encontro da pluralidade e de formação crítica.

 

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Juan Marco da Silva Viana, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul UFMS, Campus de Aquidauana

    Possui graduação em Geografia/Licenciatura (2021) e Mestrado em Geografia (2023) pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS-CPAq). Foi bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) pelo Programa de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) entre 2017 e 2019, pelo Programa de Residência Pedagógica de 2020 a 2021, e como aluno de Mestrado (2021-2023). Atualmente é professor de Geografia na escola Fatorial Curso Preparatório (2023). Como pesquisador, atua principalmente nos seguintes temas: Ensino de Geografia, Políticas Públicas Educacionais e Políticas Neoliberais

Referências

AQUIDAUANA, 2019. Lei n.º 2.653/2019. Disponível em: <https://bit.ly/3iWgOqk>. Acesso em: 20 jul. 2021.

AZEVEDO, M. C.; LIMA, M. A. A. Fake news e pós-verdade na construção do Neoconservadorismo no Brasil pós-2013 e os efeitos nas eleições de 2018. Letrônica, v. 13, n. 2, abr-jun, 2020, p. 1-14.

BARROCO, M. L. S. Não passarão! Ofensiva neoconservadora e Serviço Social. Serviço Social & Sociedade, n. 124, out-dez, 2015, p. 623-636.

BLANCARTE, R. J. La laicidad mexicana: retos y perspectivas. 2000. Disponível em: <https://bit.ly/3xcUm1d>. Acesso em: 18 jul. 2021.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: <https://bit.ly/3ypBCNv>. Acesso em: 10 jul. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n.º

394/96. Disponível em: <https://bit.ly/3i7MQAe>. Acesso em: 23 jul. 2021.

CAMPINA GRANDE, 2019. Lei n.º 7.280/2019. Disponível em: <https://bit.ly/3BPopiV>. Acesso em: 30 jun. 2021.

CAMPINA GRANDE, 2022. AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE Nº 0805997-05.2021.8.15.0000. Disponível em: <https://www.conjur.com.br/dl/lei-leitura-biblia.pdf>. Acesso em: 27 out. 2023.

CANDAU, V. M. Multiculturalismo e educação: desafios para a prática pedagógica. In: MOREIRA, A. F.; CANDAU, V. M. (orgs.). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógica. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2008. p. 13-38.

CUNHA, L. A. A Educação Brasileira na Primeira Onda Laica: do Império à República. 1. ed. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2017.

DARDOT, P.; LAVAL, C. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

FISCHMANN, R. Estado laico, educação, tolerância e cidadania: para uma análise da concordata Brasil-Santa Sé. 1. ed. São Paulo: Factash Editora, 2012.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança. 13. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2006.

GAWRYSZEWSKI, B.; MOTTA, V. A ofensiva conservadora-liberal na educação: elementos para uma análise da conjuntura contemporânea. Revista Trabalho Necessário, v. 15, n. 26, jun. 2018, p. 6-29.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Brasileiro de 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2012.

LAVAL, C. A escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque ao ensino público. São Paulo: Boitempo, 2019.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

PALÚ, J.; PETRY, O. J. Neoliberalismo, globalização e neoconservadorismo: cenários e ofensivas contra a educação básica pública brasileira. Práxis Educativa, v. 15, jun. 2020, p. 1-21.

RAMALHO, L. S. Diversidade cultural na escola. Rev. Diversidade e Educação, v.3, n.6, p. 29-36, jul-dez, 2015, p. 29-36.

SOUZA, J. M. A. Tendências ideológicas do conservadorismo. Recife: Ed. UFPE, 2020.

TERESINA, 2021. Lei n.º 5.563/2021. Disponível em: <https://bit.ly/3zNkzVH>. Acesso em: 28 jun. 2021.

XANGRI-LÁ, 2020. Lei n.º 2.166/2020. Disponível em: <https://bit.ly/3zPIRya>. Acesso em: 28 jun. 2021.

Downloads

Publicado

2023-11-09

Como Citar

A leitura bíblica na educação brasileira: formação crítica e laicidade. Revista da Faculdade de Educação, [S. l.], v. 39, n. 1, p. e392313, 2023. DOI: 10.30681/21787476.2023.E392313. Disponível em: https://periodicos.unemat.br/index.php/ppgedu/article/view/11835.. Acesso em: 16 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

1-10 de 174

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.