DESAFIOS DA FORMAÇÃO SUPERIOR INDÍGENA NA AMAZÔNIA BRASILEIRA: REFLEXÕES A PARTIR DE UMA ETNOGRAFIA DO TIPO ESCOLAR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/21787476.2020.34.8199

Resumo

O objetivo central deste texto é problematizar os desafios da formação de professores indígenas na Universidade Federal de Rondônia a partir do pressuposto conceitual da interculturalidade. Analisa a partir de um fragmento etnográfico escolar as representações de docentes indígenas sobre identidades em sua relação com a produção de materiais didáticos. Em termos metodológicos, o estudo foi construído a partir de uma Etnografia do tipo escolar (ANDRÉ, 2005). O estudo mostrou a necessidade de produzir materiais didáticos diferenciados para os povos indígenas, de modo a operar uma matriz de conhecimento intercultural nas escolas das aldeias, assegurando as identidades e saberes indígenas em diálogo com os conhecimentos de matrizes coloniais.

Biografia do Autor

Genivaldo Frois Scaramuzza, Universidade Federal de Rondônia – UNIR, Ji-Paraná-RO, Brasil.

Doutor em Educação, Professor da Universidade Federal de Rondônia – UNIR, Ji-Paraná-RO, Brasil.

Maria Isabel Alonso Alves, Universidade Federal do Amazonas – UFAM, Humaitá -AM, Brasil.

Doutora em Educação, Professora da Universidade Federal do Amazonas – UFAM, Humaitá -AM, Brasil.

Simone Alves Scaramuzza Simone Alves Scaramuzza Simone Alves Scaramuzza, Supervisora Escolar – SEMED/JP, Ji-Paraná – RO, Brasil.

Mestre em Educação, Supervisora Escolar – SEMED/JP, Ji-Paraná – RO, Brasil. 

Referências

AGULERA URQUIZA, Antônio Hilário; NASCIMENTO, Adir Casaro. O desafio da interculturalidade na formação de professores indígenas. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, V.4, n. 01, p.44-60, Jan/Jun. 2010.

ANDRADE, Sandra dos Santos. A entrevista narrativa ressignificada nas pesquisas educacionais. In: MEYER, Dagmar Estermann.; PARAÍSO, Marlucy Alves. Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. Belo Horizonte: Mazza edições, 2012.

ANDRÈ, Marli Eliza D.A de. Etnografia na prática escolar. 12. Ed. Campinas: Papirus, 2005.

BATALLA, Guillermo Bonfil. La teoria delcontrol cultural em el estúdio de processos étnicos. Anuário Antropológico/86 (Editora Universidade de Brasilia/Tempo Brasileiro) 1988: 13-53.

BERGAMASCHI, Maria Aparecida. Educação Escolar Indígena: um modo próprio de recriar a escola nas aldeias Guarani. Cad. Cedes, Campinas, vol. 27, n. 72, p. 197- 213, maio/ago. 2007.

BERNARDINO-COSTA, Joaze; GROSFOGUEL, Ramón. Decolonialidade e perspectiva negra. Revista Sociedade e Estado – Volume 31 Número 1 Janeiro/Abril 2016.

BERNATES, Anita Guazzelli; GUARESCHI, Neuza. Estratégias de Produção de Si e Biotecnologias. Psicologia em Estudos, Maringá, v. 12, n. 1, p. 151-159, Jan/Abri. 2007.

BESSA FREIRE, José Ribamar. A canoa do tempo, tradição oral e memória indígena. In: Salomão, Jayme (Org): América: Descoberta ou Invenção. 4º Colóquio UERJ. Rio de Janeiro, Imago, 1992.

BHABHA, Homi, K. O Local da Cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2013.

BUJES, Maria Isabel Edelweiss. Descaminhos. In: COSTA, Marisa Vorraber (Org.). Caminhos Investigativos II: outros modos de pensar e fazer pesquisa em educação. Rio de Janeito: lamparina, 2007.

BRASIL. Ministério da Educação – MEC. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB 1996 Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm Acessado em: 24 de dezembro de 2020.

BRASIL. Ministério da Educação – MEC. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para as escolas indígenas. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. - Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação – MEC Conselho Nacional de Educação Básica– CEB/CNE. Parecer CNE Nº 14/99. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/marco-2012-pdf/10204-13-parecer-cne-ceb-14-99-diretrizes-curriculares-nacionais-da-educacao-escolar-indigena/file Acessado em: 30 de dezembro de 2020.

CASTRO GÓMEZ, Santiago. Decolonizar la universidad. La hybris del punto cero y el diálogo de saberes. In: CASTRO GÓMEZ, Santiago y GROSFOGUEL, Ramón. El giro decolonial: Reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Colombia: Siglo del Hombre Editores, 2007.

CORTESÃO, Luiza; STOER, Sthephen R. A interface da educação intercultural e a gestão da diversidade na sala de aula. IN: GARCIA, Regina Leite; MOREIRA, Antonio Flávio. Currículo na contemporaneidade. São Paulo: Cortez, 2003, p. 189-208.

CUSICANQUI, Silvia Rivera. Violencias (re) encubiertas em Bolivia. La Paz: Piedra rota, 2010.

GROSFOGUEL, Ramón. Descolonizando los universalismos occidentales: el pluri-versalismo transmoderno decolonial desde Aimé Césaire hasta los zapatistas. In: CASTRO GÓMEZ, Santiago y GROSFOGUEL, Ramón. El giro decolonial: Reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Colombia: Siglo del Hombre Editores, 2007.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: editora UFMG, 2011.

HENRIQUES, Ricardo; et al. Educação Escolar Indígena: Diversidade sociocultural indígena ressignificando a escola. Cadernos SECAD, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Brasília – DF, 2007.

KLEIN, Carin; DAMICO, José. O uso da etnografia pós-moderna para a investigação de políticas públicas de inclusão social. In: MEYER, Dagmar Estermann; PARAÍSO, Marlucy Alves. Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. Belo Horizonte: Mazza edições, 2012.

LANDER, Edgardo. Ciências Sociais: saberes coloniais e eurocêntricos. In: LANDER, Edgardo (org). Colonialidade do Saber, Eurocentrismo de Ciências Sociais: perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: Clasco, 2005.

ORAES, Lúcia Ruas Chelotti de; BUYTENDORP, Adriana Aparecida Burato Marques. O currículo multicultural e as práticas expressas nos materiais didáticos. Diálogos Educ R. Campo Grande, Ms, v. 2, n. 2, p. 32-43, Nov, 2011.

MOREIRA, Antonio Flávio; SILVA, Tomaz Tadeu da. Sociologia e Teoria Crítica do Currículo: uma introdução. In: MOREIRA, Antonio Flávio; SILVA, Tomaz Tadeu da. Currículo, Cultura e Sociedade. São Paulo: Cortez, 2005.

NEVES, Josélia Gomes. Universidade e Povos Indígenas: A possibilidade do diálogo intercultural na floresta. AMARAL, Nair Gurgel do. Multiculturalismo na Amazônia: O singular e o plural em reflexão e ações. Curitiba: Editora CRV, 2009.

QUIJANO, Anibal. Notas sobre a questão da identidade e nação no Peru. Revista Estudos Avançados. 6 (16), 1992.

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER,

Edgardo. Colonialidade do saber, eurocentrismo e ciências sociais: perspectivas latino

americanas. Buenos Aires: Clacso, 2005.

REIS, Maurício de Novais; ANDRADE, Marcilea Freitas Ferraz de. O pensamento decolonial: análise, desafios e perspectivas. Revista Espaço Acadêmico, n. 22, 2018. In: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/41070 . Acessado em: Fevereiro de 2018.

SACRISTÁN, José Gimeno. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: Artmed, 1998.

SECCHI, Darci. Autonomia e Protagonismo Indígenas nas Políticas Públicas. Cadernos de Educação Escolar Indígenas – PROESI. (Org) JANUARIO, Elias et all. Barra do Bugres: UNEMAT, v.5, n. 01, 2007.

SILVA, EvellynLedur da; GIORDANI, Estela MAris. Aprendizagens de Professores e Alunos com Materiais Didáticos nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Anais do IX Congresso Nacional de Educação – EDUCERE, PUCPR, 2009.

SILVA, Tomaz Tadeu da. A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 12. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

VEIGA- NETO, Alfredo. Michel Foucault e os Estudos Culturais. In: COSTA, Marisa Vorraber. Estudos Culturais em Educação. Porto Alegre: UFRGS, 2004.

WEBER, Ingrid. Um copo de cultura: os HimiKuin (Kaxinawá) do rio Humaitá e a escola. Rio Branco: Edufac, 2005.

Downloads

Publicado

2021-01-11

Como Citar

Scaramuzza, G. F., Alves, M. I. A., & Simone Alves Scaramuzza, S. A. S. S. A. S. (2021). DESAFIOS DA FORMAÇÃO SUPERIOR INDÍGENA NA AMAZÔNIA BRASILEIRA: REFLEXÕES A PARTIR DE UMA ETNOGRAFIA DO TIPO ESCOLAR. Revista Da Faculdade De Educação, 34(2), 81–99. https://doi.org/10.30681/21787476.2020.34.8199

Edição

Seção

ARTIGO