AS MULHERES NOS RELATOS DOS VIAJANTES ESTRANGEIROS NO SÉCULO XIX NA PROVÍNCIA DE MATO GROSSO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/21787476.2021.35.195212

Palavras-chave:

viajantes, mulheres, Mato Grosso

Resumo

Trata-se de um estudo que procura destacar a construção dos discursos objetivados sobre as mulheres do século XIX na província de Mato Grosso. Elas foram personagens com significativa relevância na história, que permaneceram no anonimato e ganharam destaque nas narrativas, refletindo o olhar eurocêntrico dos colonizadores e legitimando suas expressões, que revelou uma visão estereotipada das brasileiras. Em relação à metodologia, optou-se pela pesquisa documental. Para tanto, os pequenos fragmentos narrativos dos trajetos e das viagens de Francis Castelnau e de Hercule Florence são indícios que subsidiam a proposta deste texto, que contam, ainda, com a formação sociocultural, a ideologia dos viajantes e os interesses das viagens, que devem ser considerados para escapar das obviedades e dos conceitos generalizantes. Dessa forma, os relatos dos viajantes são memórias de grande significado para as produções acadêmicas e podem ser utilizados como suporte didático na sala de aula, porém é necessário analisar o contexto social e histórico.

 

Biografia do Autor

Maria das Graças Campos, UERJ,RJ

Doutora em Políticas Públicas e Formação Humana-UERJ. Pesquisadora integrante do      grupo LER: Laboratório Educação e República- UERJ/ Rio de Janeiro, Brasil. 

Marlene Gonçalves, UNICAMP,SP

Doutora em   Educação pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. Professora do Curso de Pedagogia /UFMT em Cuiabá, Mato Grosso, Brasil.   

Maria de Lourdes F. Castrillon, UFMT-MT

Mestre em História pela – UFMT. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea –ECCO - UFMT/  Mato Grosso, Brasil. 

Referências

BRAUDEL, Fernand. História e Ciências Sociais. Lisboa: Editorial Presença, 1986.

CASTELNAU, Francis. Expedição às regiões centrais da América do Sul.Tomo I e II,São Paulo.Companhia Editora nacional de São Paulo.1949

CASTELNAU, Francis. Expedição às regiões centrais da América do Sul. Belo Horizonte / Rio de Janeiro: Itatiaia, 2000.

CASTRO, Maria Inês M. & GALETTI, Lylia S.G. Histórico dos usos da biodiversidade em Mato Grosso. In: Castro, Carlos F.A. (org.). Diagnóstico do setor florestal em Mato Grosso. Brasília, 1994.

CERTAU. Michel. A escrita da História. tradução de Maria de Lourdes Menezes ; revisão técnica [de] Arno Vogel. – Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.

CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Lisboa: Difel, 1999.

CORREIA. Janaina Santos. Uma contribuição para a escrita da História das mulheres afrodescendentes no Brasil. Revista Feminismos, v. 1, n. 3, set.-dez./2018. Disponível em: www.feminismos.neim.ufba.br. Acesso em: 9 abr. 2018.

FLORENCE, Antoine Hercule Romuald. Viagem fluvial do Tietê ao Amazonas de 1825 a 1829. Brasília: Edições do Senado Federal, 2002.

FLORENCE, Antoine Hercule Romuald. Viagem fluvial do Tietê ao Amazonas de 1825 a 1829. Brasília: Edições do Senado Federal, 1997.

FREYRE, Gilberto. Casa-Grande & Senzala. 41. ed. Rio de Janeiro: Record, 2000.

FREYRE, Gilberto. Casa-Grande & Senzala. 41. ed. Rio de Janeiro: Record, 2000.

GASPAR, Lúcia. Viajantes (relatos sobre o Brasil, século XVI a XIX). Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: http:// http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/. Acesso em: 10 nov. 2018.

GASPAR, Lúcia. Viajantes (relatos sobre o Brasil, século XVI a XIX). Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/index.php?option=com_content&view=article&id=131&Itemid=1 Acesso em: 6 ago. 2009.

GONÇALVES, Marlene. A mestra sempre viva: mulher e educação em Vila Bela. Cuiabá: Instituto de Educação, 1995. 164p. Disponível em: http://eh.net/XIIICongress/cd/papers/ 60JochimsReichel320; https://www.geledes.org.br/wp-content/uploads/2014/04. Acesso em: fev. 2019.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. 3ª ed. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1994.

LEONCY, Christiane. Mulheres na EJA: questões de identidade e gênero. (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2013.

MARTINS. Dulcinéia Silva. No silêncio dos arquivos: relatos de viajantes que percorreram Mato Grosso (1808-1864). Cuiabá: EdUFMT, 2014.

MATTOS, Ilmar Rohloff. O tempo Saquarema. São Paulo: Editora Hucitec,1998.

MUNANGA, Kabengele. Uma abordagem conceitual das noções de raça, racismo, identidade etnia. Disponível em: https://www.geledes.org.br/wp-content/uploads/2014/04/. Acesso em: 12 fev. 2019.

REICHEL. Heloisa Jochims. Os relatos dos Viajantes como fonte para o estudo de história. Programa de Pós-Graduação em História da UNISINOS – RS, 2008.

RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

SAFFIOTI, Heleieth. A Mulher na Sociedade de Classes. Mito e realidade. 3ª Ed., São Paulo: Expressão Popular, 2013.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O Espetáculo das Raças – cientistas e instituições no Brasil – 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

STAMATTO, Maria Inês Sucupira. Um olhar na história: a mulher na escola (Brasil: 1549 – 1910). Programa de Pós-Graduação em Educação – UFRN. Disponível em:

http://sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe2/pdfs/Tema5/0539. Acesso em: jul. 2018.

Downloads

Publicado

28/08/2021

Como Citar

Campos, M. das G., Gonçalves, M., & F. Castrillon, M. de L. (2021). AS MULHERES NOS RELATOS DOS VIAJANTES ESTRANGEIROS NO SÉCULO XIX NA PROVÍNCIA DE MATO GROSSO. Revista Da Faculdade De Educação, 35(1), 195–212. https://doi.org/10.30681/21787476.2021.35.195212

Edição

Seção

ARTIGO