O SEMINÁRIO DAS LICENCIATURAS DO CURSO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS-UFU: REVELANDO PROCESSOS NA CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE DOCENTE

Visualizações: 6

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/relva.v9i2.10682

Palavras-chave:

Prática como Componente Curricular, Formação Inicial de Professores, Saberes Docentes, Curricularização da Prática

Resumo

O presente relato tem como objetivo descrever as experiências vivenciadas por alunos do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da Universidade Federal de Uberlândia, campus Umuarama (Uberlândia-MG), ao participarem de um seminário institucional no período letivo de 2020/2, trazendo a este reflexões a partir de disciplinas cursadas previamente e a ele relacionadas, voltadas à curricularização da prática. As atividades realizadas no contexto do seminário possibilitaram a valorização dos componentes curriculares práticos como espaços de formação da identidade docente, capazes de possibilitar aos futuros professores a construção de saberes-fazeres, além de abrirem espaços de diálogos sobre formação e construção da identidade docente. O evento fomentou também a reflexão sobre a escola e os espaços não escolares, problematizou contextos com o objetivo de realização da leitura crítica das realidades em que esses estudantes estiveram imersos, possibilitou a criação, a formação e o compartilhamento de saberes e afetos. Por outro lado, revelou a necessidade de envolvimento das comunidades escolares como protagonistas na realização do evento, bem como de docentes de componentes curriculares específicos do Curso de Ciências Biológicas, além do intercâmbio entre as produções de diferentes licenciaturas da mesma universidade. O evento se constituiu, assim, num espaço-tempo amplo e potente de debates sobre a formação de professores e de luta pela valorização da educação. Portanto, este trabalho revela práticas e desafios na construção da identidade docente na formação inicial de professores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARROYO, M. Ofício de Mestre: imagens e auto-imagens. Petrópolis, RJ, Vozes, 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução CNE/CP n. 1/2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília, DF: MEC, 2002b. Disponível em: http:// http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_02.pdf . Acesso em: 21 set. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução CNE/CP nº 2/2002. Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da educação básica em nível superior. Brasília, DF: MEC, 2002b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/. Acesso em: 21 set. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEA 1.301, de 6 de novembro de 2001. Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Ciências Biológicas, Bacharelado e Licenciatura. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/009.pdf. Acesso em: 21 set. 2022.

CARVALHO, A. J. O. V. Estágio supervisionado e narrativas (Auto) biográficas: experiências de formação docente. 2008. Dissertação (Mestrado em Educação e Contemporaneidade) - Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2008. Disponível em: http://www.cdi.uneb.br/site/wp-content/uploads/2016/01/0903151616.pdf. Acesso em: 21 set. 2022.

CARVALHO, A. M. P.; GIL-PÉREZ, D. Formação de professores de ciências: tendências e inovações. 10. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2011.

CARVALHO, D. F. Cajón: estratégia interventiva para compartilhamento de emoções em sala de aula. Textos FCC, São Paulo, v. 55, p. 41–76, 2018. Disponível em: https://publicacoes.fcc.org.br/textosfcc/article/view/6156. Acesso em: 30 ago. 2022.

DE SOUZA NETO, S.; SILVA, V. P. Prática como Componente Curricular: questões e reflexões. Revista Diálogo Educacional, [s.l.], v. 14, n. 43, p. 889-909, 2014. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/1891/189132834013.pdf. Acesso em: 30 ago. 2022. DOI: https://doi.org/10.7213/dialogo.educ.14.043.AO03

FERREIRA, L. G.; FERRAZ, R. D. Por trás das lentes: o estágio como campo de formação e construção da identidade profissional docente. Revista Hipótese, [s.l.], v. 7, p. 303-320, 2021. Disponível em: https://revistahipotese.emnuvens.com.br/revista/ article/view/52. Acesso em: 30 ago. 2022. DOI: https://doi.org/10.47519/eiaerh.v7.2021.ID52

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários a prática educativa. 43. ed. São Paulo: Paz e terra, 2011.

GUIDO, L. F. E.; CARVALHO, D. F. Biologias atravessadas por sensibilidades e inquietações da contemporaneidade. Educação em Foco, [s.l.], v. 21, n. 1, p. 125-139, 2016. DOI: https://doi.org/10.22195/2447-5246v21n120162946

IZA, D. F. V.; et. al. Identidade docente: as várias faces da constituição do ser professor. Revista Eletrônica de Educação, [s.l.], v. 8, n. 2, p. 273-292, 2014. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/978. Acesso em: 20 ago. 2022. DOI: https://doi.org/10.14244/198271999978

MARÇAL-JUNIOR, O. et al. Projeto político pedagógico do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas. Uberlândia, 2018. Disponível em: http://www.inbio.ufu.br/ system/ files/conteudo/ ppc_licenciatura_2018.pdf. Acesso em: 20 ago. 2022.

NÓVOA, A. (coord.) Profissão professor. Porto: Porto Editora, 1995.

NÓVOA, A. (org.). Vida de Professores. 2. ed. Porto: Porto Editora, 2000. 214 p.

PERRENOUD, P. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: saberes da docência e identidade do professor. Revista da Faculdade de Educação da USP, São Paulo, v. 22, n. 2, p. 72-89, jul./dez. 1996. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rfe/article/view/33579. Acesso em: 22 set. 2022.

PIMENTA, S. G. Qualificação do ensino público e formação de professores. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 11, n. 1, p. 56–69, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8644056. Acesso em: 22 set. 2022.

SERRAZINA, M. L. M. Conhecimento matemático para ensinar: papel da planificação e da reflexão na formação de professores. Revista Eletrônica de Educação, [s.l.], v. 6, n. 1, p. 266-283, maio 2012. Disponível em: http://dx.doi.org/10.14244/19827199355. Acesso em: 21 set. 2022. DOI: https://doi.org/10.14244/19827199355

SILVA, R. M. G.; SCHNETZLER, R. P. Estágios curriculares supervisionados de ensino: partilhando experiências formativas. Florianópolis: EntreVer, [s.l.], v. 1, p. 116-136, 2011. Disponível em: http://stat.entrever.incubadora.ufsc.br/index.php/EntreVer/article/view/1204. Acesso em: 20 ago. 2022.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2004.

TARDIF, M.; LESSARD, C. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Trad. de João Batista Kreuch. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

Downloads

Publicado

2022-12-31

Como Citar

PEREIRA, F. A. (2022). O SEMINÁRIO DAS LICENCIATURAS DO CURSO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS-UFU: REVELANDO PROCESSOS NA CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE DOCENTE . Revista De Educação Do Vale Do Arinos - RELVA, 9(2), 62–77. https://doi.org/10.30681/relva.v9i2.10682