PROVAS DE CIÊNCIAS DA NATUREZA DA UNICAMP CONTRIBUEM PARA MUDANÇAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS? UMA ANÁLISE DO VESTIBULAR 2019

Autores

Palavras-chave:

ensino CTS, letramento científico, vestibular

Resumo

Embora as pesquisas sobre ensino de ciências focadas nas relações entre ciência, tecnologia e sociedade já estejam bastante consolidadas e tenham contribuído para concepções de ensino voltadas para a cidadania e a tomada de decisão, sabe-se que o ensino nas escolas básicas é fortemente pautado pelo que cobram os exames de acesso ao ensino superior, como o Enem e os vestibulares. O objetivo deste artigo é analisar o quanto as provas de ciências da natureza do vestibular da Unicamp incorporam os pressupostos do ensino CTS que aparecem nos currículos de ciências da natureza e, consequentemente, sua influência em mudanças no ensino de ciências. Trata-se de uma análise qualitativa do vestibular 2019 sob a ótica da relação entre letramento científico e ensino CTS estabelecida por pesquisadores do ensino de ciências. O resultado da análise mostra que, em geral, o que é cobrado nessas provas não envolve participação ativa em tomada de decisão.

Biografia do Autor

Rodrigo Bastos Cunha, Unicamp,SP

Doutor em Linguística Aplicada, pesquisador e docente do Programa de Pós-graduação em Divulgação Científica e Cultural da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, Brasil,

Referências

AIKENHEAD, G. What is STS Science Teaching? In: SOLOMON, J; AIKENHEAD, G. (Org.). STS education: international perspectives on reform. New York: Teachers College Press, 1994.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio. Brasília (DF): MEC/SEF, 2000.

COMVEST – Comissão Permanente para os Vestibulares. Prova comentada de ciências biológicas, vestibular Unicamp 2019 1ª fase, Campinas, 2019a. 20 páginas. Disponível em https://www2.comvest.unicamp.br/vestibulares-anteriores/. Acesso em: 09/03/2020.

COMVEST – Comissão Permanente para os Vestibulares. Prova comentada de química, vestibular Unicamp 2019 1ª fase, Campinas, 2019b. 21 páginas. Disponível em https://www2.comvest.unicamp.br/vestibulares-anteriores/. Acesso em: 09/03/2020.

COMVEST – Comissão Permanente para os Vestibulares. Prova comentada de física, vestibular Unicamp 2019 1ª fase, Campinas, 2019c. 16 páginas. Disponível em https://www2.comvest.unicamp.br/vestibulares-anteriores/. Acesso em: 09/03/2020.

CUNHA, Rodrigo Bastos. A centralidade da linguagem nos trabalhos sobre letramento científico. In: Anais da 71ª Reunião Anual da SBPC. UFMS, Campo Grande, 2019.

GOMES, Rafaela Sampaio; MACEDO, Simone da Hora. Cálculo estequiométrico: o terror das aulas de Química. Vértices, v. 9, n.1/3, jan./dez. 2007, p. 149-160.

HENRY, Maria Aparecida Coelho de Arruda. Diagnóstico e tratamento da doença do refluxo gastroesofágico. Arquivo Brasileiro de Cirurgia Digestiva, v. 27, n.3, 2014, p. 210-215.

HURD, Paul. Science literacy: Its meaning for American schools. Educational Leadership, v. 16, n. 1, October 1958, p.13-16 (continua na página 52).

INSTITUTO ABRAMUNDO. ILC – Indicador de Letramento Científico: Sumário executivo de resultados, 2014. Disponível em http://iblc.org.br/. Acesso em: 13/03/2020.

MOETO, Cecília Borges; PEREIRA, Isabela Lopes; MENEZES, Paulo Henrique Dias. A influência dos processos seletivos das universidades sobre os currículos de física da escola básica: estudo comparativo entre questões de física do ENEM e de um programa de ingresso em universidade pública. In: Atas do XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (ENPEC). UFSC, Florianópolis, 2017.

ROBERTS, Douglas. Scientific literacy. Towards a balance for setting goals for school science programs. Ottawa, ON, Canada: Minister of Supply and Services, 1983.

ROBERTS, Douglas. Scientific Literacy/Science Literacy. In: ABELL, S. K.; LEDERMAN, N. G. (Org.). Handbook of Research on Science Education. New York: Routledge, 2007.

RODRIGUES, Clarissa. Abordagem CTS e Possibilidades de Letramento Científico no Projeto Água em Foco: Tipos Textuais e Linguagem Científica. 2010. 99f. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós-graduação em Educação da Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte: UFMG, 2010.

RODRIGUES, Victor Augusto Bianchetti; QUADROS, Ana Luiza. O ensino de ciências a partir de temas com relevância social contribui para o desenvolvimento do letramento científico dos estudantes? Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 19, n. 1, 2019, p. 1-25.

SANTOS, Wildson Luiz Pereira dos. Aspectos sócio-científicos em aulas de química. 2002. 336f. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-graduação em Educação da Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte: UFMG, 2002.

SCHNETZLER, Roseli Pacheco; SANTOS, Wildson Luiz Pereira dos. Educação em química: compromisso com a cidadania. Ijuí: Ed. Unijui, 1997.

SCHIEDECK, Gustavo. A minhocultura na agricultura familiar – Estratégia de apoio para a transição agroecológica. In: ANJOS, J. L. dos; AQUINO, A. M. de; SCHIEDECK, G. (Org.). Minhocultura e vermicompostagem: interface com sistemas de produção, meio ambiente e agricultura de base familiar. Brasília: Embrapa, 2015.

SCHIEDECK, Gustavo; SCHWENGBER, José Ernani; CARDOSO, Joel Henrique; GONÇALVES, Márcio de Medeiros; SCHIAVON, Greice de Almeida. Aspectos culturais associados às minhocas no Brasil. Acta Zoológica Mexicana, v. 26, número especial 2, 2010, p. 19-33.

SOUSA, Bárbara Lethicya Silva; BEZERRA, Cícero Wellington Brito; SILVA, Jackson Ronie; CATANHEDE, Severina Coelho da Silva; CATANHEDE, Leonardo Baltazar. Cenário das publicações CTS/CTSA no ensino de química: revisão bibliográfica de publicações no portal de periódicos da CAPES/CAFÉ. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 11, nov. 2019, p. 27267-27283.

Downloads

Publicado

30/08/2021

Como Citar

Cunha, R. B. (2021). PROVAS DE CIÊNCIAS DA NATUREZA DA UNICAMP CONTRIBUEM PARA MUDANÇAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS? UMA ANÁLISE DO VESTIBULAR 2019. Revista Da Faculdade De Educação, 35(1), 91–111. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ppgedu/article/view/5782

Edição

Seção

ARTIGO