A interpretação das coisas do mundo: a compreensão da ciência a partir da arte

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/21787476.2022.38.7588

Palavras-chave:

paradigmas de conhecimentos, sociologia do conhecimento científico, comunidade de pesquisa

Resumo

O artigo é uma reflexão sobre a possibilidade da compreensão da ciência a partir de uma obra de arte, mais especificamente o filme: Ponto de Mutação. Coloca em evidência a diversidade de formas de interpretação das coisas do mundo como a economia, a política, a ciência e a tecnologia. Com base na sociologia do conhecimento e da ciência demonstra-se a variabilidade de concepções sobre o processo de construção do conhecimento científico na organização da comunidade de pesquisa e de atores sociais como gestores públicos, movimentos sociais e empresas. As demonstrações e os argumentos perpassam pelos interesses, atitudes e paradigmas de conhecimentos científicos e tecnológicos, desde a superação da concepção das ciências neutras à compreensão das ciências como construções sociais imbricadas de valores pessoais e sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Laudemir Luiz Zart, Universidade do Estado de Mato Grosso

Filho de pai e mãe camponeses. Estudei no seminário. Entrei na Unemat no concurso de 1990. Sou Professor Adjunto X da Universidade do Estado de Mato Grosso Carlos Alberto Reys Maldonado - Campus Universitário Jane Vanini de Cáceres e integro o Núcleo UNITRABALHO da UNEMAT e a Incubadora de Empreendimentos Econômicos Solidários e Sustentáveis (INCUBEESS). Participo como pesquisador do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Formação e Docência (GFORDOC). Sou professor do Mestrado de Educação na linha de pesquisa: Educação e Diversidade.

Referências

BLOOR, David. Conocimiento e imaginario social. Trad. Emmánuel Lizcano y Rubén Blanco. Barcelona, Espanha: Gedisa Editorial, 2003.

CAPRA, Fritjof. O Ponto de Mutação: a ciência, a sociedade e a cultura emergente. Trad. Álvaro Cabral. São Paulo: Editora Cultrix, 2007.

HESSEN, Boris. Las raíces socioecómicas de la mecánica de Newton. La Habana, Cuba: Editorial Academia, 1985.

KUHN, Thomas. A revolução das estruturas científicas. Trad. Beatriz Vianna Boeira e Nelson Boeira. São Paulo: Editora Perspectiva, 1988.

LATOUR, Bruno e WOOLGAR Steve. A vida de laboratório: a produção dos fatos científicos. Trad. Ângela Ramalho Vianna. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1997.

MERTON, K. Robert. A Ciência e a Estrutura Social da Democracia. In MERTON, Robert K. Sociologia, teoria e estrutura. Trad. Miguel Maillet. São Paulo, Editora Mestre Jou, 1970.

VELHO, Léia. Indicadores Científicos: aspectos teóricos y metodológicos. In Eduardo Martinez (org.). Interrelaciones entre la ciencia, la tecnologia e el desarollo. Caracas, Venezuela: Nueva Sociedad, 1994, pp. 307-348.

VESSURI, Hebe. Perspectivas recientes em el estudio social de la ciencia. interciencia, Vol. 16, ano 2, 1992, pp.60 – 68.

Downloads

Publicado

2023-04-17

Como Citar

ZART, Laudemir Luiz. A interpretação das coisas do mundo: a compreensão da ciência a partir da arte. Revista da Faculdade de Educação, [S. l.], v. 38, n. 2, p. 75–88, 2023. DOI: 10.30681/21787476.2022.38.7588. Disponível em: https://periodicos.unemat.br/index.php/ppgedu/article/view/10928. Acesso em: 5 mar. 2024.

Edição

Seção

ARTIGO