QUANDO OS ESTUDANTES VÃO À ESCOLA DA EJA: DIFICULDADES ENCONTRADAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/21787476.2021.35.153174

Palavras-chave:

Escola da EJA, Estudantes, Dificuldades

Resumo

: Este estudo originou-se a partir de uma pesquisa realizada para analisar os principais problemas que o público da Educação de Jovens e Adultos - EJA encontram e impactam na sua permanência nos espaços educacionais quando decidem ingressar nesta modalidade de ensino. Trazemos como problema: quais são os problemas encontrados pelos estudantes da EJA quando se dirigem a escola? O objetivo principal desta investigação foi analisar os principais problemas que surgem quando os estudantes da EJA buscam a escola. Por meio de uma abordagem qualitativa e de uma análise autobiográfica procuramos entender a trajetória dos estudantes do curso de Segurança do Trabalho do PROEJA que acontece no Instituto Federal de Educação (IFBA), Campus Santo Amaro. Os resultados apresentados foram os seguintes: observamos os professores sem a formação necessária para trabalhar com a EJA; os estudantes relatam que a EJA ofertada na instituição de ensino técnico federal é diferente da oferta que receberam no ensino municipal ou estadual; o sentido social da modalidade não é tratado em sala de aula.

 

Biografia do Autor

Ana Paula Santos Vasconcelos, UNEB. Salvador – Bahia

Mestranda do programa de Mestrado Profissional de Educação de Jovens e Adultos – MPEJA da Universidade Estadual da Bahia – UNEB. Salvador – Bahia – Brasil 

Antônio Amorim, UNEB. Salvador – Bahia

Doutorado pela Universidade de Barcelona da Espanha (UB). Professor Titular Pleno do Departamento de Educação do Campus I, da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Salvador – Bahia – Brasil 

Maria da Conceição Alves Ferreira

Doutora em Educação pela Universidade do Estado da Bahia. Professora adjunta da UNEB, atuando no Programa de Mestrado Profissional em Educação de Jovens e Adultos – MPEJA. Salvador – Bahia – Brasil 

Referências

CHARLOT, Bernard, (2000). Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Porto Alegre: Artemed.

FERRAROTI. F. Sobre a autonomia do método biográfico. In: NÓVOA, António; FINGER, M. (Orgs). O método (auto) biográfico e a formação. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 56. ed. Ver. E atual. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

HADDAD. S., DI PIERRO. M. C. A EJA na agenda nacional de políticas educacionais: expectativas e frustrações da primeira década do terceiro milênio. Cad. Cedes, Campinas, v. 35, n. 96, p. 197-217, maio-ago., 2015

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. PNAD Contínua 2017: número de jovens que não estudam nem trabalham ou se qualificam cresce 5,9% em um ano – São Paulo. Rio de Janeiro, 2017(estatísticas sociais)

MACHADO, Maria Margarida. A educação de jovens e adultos após 20 vinte anos da Lei nº 9.394, de 1996. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 10, n. 19, p. 429-451, jul./dez. 2016. Disponível em: http://www.esforce.org.br/

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 2013.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento. 11 ed. São Paulo: Hucitec, 2008.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. Rio de Janeiro: Vozes, 2016. (Série Manuais Acadêmicos). 95p.

NÓVOA, A.; FINGER, M. (Org.). O método (auto) biográfico e a formação. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

PAIVA, Jane. Aprendizados ao longo da vida: sujeitos, políticas e processos. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2019. 228p.

PASSEGGI, Maria da Conceição. Narrar é humano! Autobiografar é um processo civilizatório. In: PASSEGGI, Maria da Conceição; SILVA, V. B. (Orgs.). Invenções de vidas, compreensão de itinerários e alternativas de formação. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

SANTOS, Boaventura de Souza. O fim do império cognitivo: a afirmação das epistemologias do Sul. BH: Autêntica Editora, 2019. 478p.

SUESS, R; LEITE, C. Paulo Freire e humanismo em educação: contribuições a partir de uma perspectiva geográfica. Geosaberes, Fortaleza, v. 8, n. 16, p. 94-105, set./dez. 2017.

Downloads

Publicado

28/08/2021

Como Citar

Vasconcelos, A. P. S., Amorim, A., & Ferreira, M. da C. A. (2021). QUANDO OS ESTUDANTES VÃO À ESCOLA DA EJA: DIFICULDADES ENCONTRADAS. Revista Da Faculdade De Educação, 35(1), 153–174. https://doi.org/10.30681/21787476.2021.35.153174

Edição

Seção

ARTIGO