FREIRE E A UNIVERSIDADE:

diálogo, radicalidade e ação política

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/reps.v14i3.11517

Palavras-chave:

Educação, Escola, Paulo Freire, Universidade

Resumo

O presente estudo se propõe ir ao encontro do legado freiriano para compreender as necessidades cotidianas, especialmente da universidade, tendo em vista que a educação é um dos meios que os homens lançam mão para satisfazerem suas necessidades, considerando que é uma das estruturas sociais de transferência de saber de uma geração à outra. Metodologicamente, existem três caminhos a serem percorridos: 1. Trazer para o texto o olhar de Paulo Freire para a universidade; 2. Percorrer as contribuições educacionais de Freire que dizem respeito ao tema; 3. Analisar o pensamento de Freire, a universidade e o nosso futuro. O cenário do pensamento de Freire em relação à universidade almeja ser uma forma de influência no mundo de forma consciente e dialógica, buscando aproximações teóricas, vislumbrando resultados a serem alcançados que reflitam as experiências e as práxis freirianas. O objetivo é identificar fazeres, dizeres e agires da teoria de Freire que sirvam de referência para a pedagogia universitária contemporânea produzidas como trilhas, bifurcações e categorias de análise de seu pensamento. Os resultados indicam que o futuro é denso e tenso de conflitividade, indicador da relevância dos não ditos, bem além dos escritos. As conclusões são verbalizações do ato político que é educar, tingido de sofrimento, afeto à liberdade, desafios vários em que medo, amorosidade, solidariedade, dores e delícias do ato de educar se encontram e/ou se desencontram.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Odorico Ferreira Cardoso Neto, Universidade Federal de Mato Grosso - Câmpus Universitário do Araguaia (UFMT/CUA)

Possui estágio pós-doutoral na UNB (2015), doutorado em Educação pela Universidade Federal de Goiás (2006), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (2002), graduação em Direito pela Universidade Federal de Mato Grosso (1998), graduação em Letras pela Universidade Federal de Mato Grosso (1992), graduação em Filosofia pelo Instituto Filosófico de Apucarana (1986), experiência na área de Educação, com ênfase em Política Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, democracia, democratização, Plano Nacional de Educação (PNE) e gestão.

Referências

ARROYO, M. Currículo e a pedagogia de Paulo Freire. In. RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Educação. Caderno pedagógico 2: Semana Pedagógica Paulo Freire. Porto Alegre: Corag, 2001, p. 42-54.

BEISIEGEL, C. de R. Educação popular e ensino superior em Paulo Freire. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 44, p.13, 2018.

BRANDÃO, C. R.; SILVA, P. N.; ROMANO, P. Centenário de Paulo Freire: aportes para se pensar a educação superior na atualidade –Entrevista especial com o professor Carlos Rodrigues Brandão. Revista Docência do Ensino Superior, Belo Horizonte, v. 11, e035140, p. 1-15, 2021.

BRASIL. Lei nº 12.612, de 13 de abril de 2012. Declara o educador Paulo Freire Patrono da Educação Brasileira. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12612.htm . Acesso em: jun. 2021.

CNTE. CNTE apresenta propostas de alteração na lei do piso do magistério em reunião com o MEC. Disponível em: CNTE apresenta propostas de alteração na lei do piso do magistério em reunião com o MEC - CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação. Acesso em: out. 2023.

FREIRE, P. O compromisso popular da universidade. In: UNIVERSIDADE e compromisso popular. Campinas: Puccamp, 1986.

FREIRE, P. Pedagogia da Esperança: um encontro com a Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro / São Paulo: Paz e Terra, 2014.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança: um reencontro com a Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

FREIRE, P. Pedagogia da tolerância. São Paulo: Unesp, 2004.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

FREIRE, P. Pedagogia dos sonhos possíveis. São Paulo: Editora da UNESP, 2001a.

NOGARO, A.; JUNG, H. S. Há lugar para a teoria de Paulo Freire na pedagogia universitária contemporânea? Revista Docência do Ensino Superior, Belo Horizonte, v. 11, e034884, p. 1-17, 2021. DOI: https://doi.org/10.35699/2237-5864.2021.34884.

PARTIDO DOS TRABALHADORES – PT. Confira as universidades e institutos federais criados pelo PT. Disponível em: https://pt.org.br/confira-as-universidades-e-institutos-federais-criados-pelo-pt/. Acesso em: 21 abr. 2022.

QUADROS, Vasconcelos. Em Mato Grosso, quem manda nas eleições é o agronegócio, 16/08/2022. Disponível em: https://apublica.org/2022/08/em-mato-grosso-quem-manda-nas-eleicoes-e-o-agro/ . Acesso em: 26 out. 2023.

RORATO, G. Z. Expansão do ensino superior federal, atores territoriais e emergência de novas escalas de poder e gestão: A Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS). Tese (Doutorado em Planejamento Urbano) Programa de Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regional da UFRGS. Porto Alegre, 2016.

ROSA, J. G. Grande sertão: Veredas. São Paulo: NOVA AGUILAR 1994.

SEVERINO, A. J. Filosofia e escola: valiosa parceria. In: MENDONÇA, Samuel; GALLO, Sílvio (org.). A escola: problema filosófico. São Paulo: Parábola, 2020, p. 29-37.

SULEAR. In: STRECK, D. R.; RENDÍN, E.; ZITKOSKI, J. J. (org.). Dicionário Paulo Freire. 2. ed. em português, rev. e ampl. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010 p. 385-387.

Downloads

Publicado

19-12-2023

Como Citar

Cardoso Neto, O. F. (2023). FREIRE E A UNIVERSIDADE: : diálogo, radicalidade e ação política. Eventos Pedagógicos, 14(3), 775–791. https://doi.org/10.30681/reps.v14i3.11517