A inclusão da criança com paralisia cerebral na educação infantil:

um estudo de caso

Autores

  • Sandra Maria de Araujo Nascimento Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat)

Palavras-chave:

Inclusão, Paralisia cerebral, Prática docente

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar uma análise do processo de inclusão de uma criança com paralisia cerebral na educação infantil. O embasamento teórico deu-se a partir dos seguintes autores: Strieder e Zimmermann Maria Teresa Eglér Mantoan. A metodologia utilizada foi Estudo de Caso, com observação in loco do ambiente escolar e da relação desta criança com seus pares, bem como informações coletadas com a sua mãe para melhor compreender o histórico desta criança. Concluiu-se que a educação inclusiva deve se dar mediante o apoio pedagógico aos docentes, com material e estrutura física adequada, além de capacitação, para que assim, os mesmos possam auxiliar no desenvolvimento do aluno que necessita de atenção especial.

 

Biografia do Autor

Sandra Maria de Araujo Nascimento, Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat)

Graduanda em Pedagogia pela Universidade de Mato Grosso (UNEMAT), Faculdade de Ciências Humanas e Linguagem (FACHLIN), Câmpus de Sinop. Sinop, Mato Grosso, Brasil.

Referências

BRASIL. Lei nº 13.146 de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 6 julho 2015. Disponível em: <https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2015/lei-13146-6-julho-2015-781174-normaatualizada-pl.pdf>. Acesso em: 07 de junho de 2022.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei nº 8.069/90. Brasília, DF; Congresso Nacional, 1990.

CAMARGO, Silvio. Manual de ajuda para pais de crianças com Paralisia Cerebral.- Com a colaboração de Berenice Souza. Ed. Pensamento. 9ª Ed , São Paulo, 1999.

DURCE, K. et al. A atuação da fisioterapia na inclusão de crianças deficientes físicas em escolas regulares: uma revisão de literatura. Revista o Mundo da Saúde, Săo Paulo, v.30, n.1, p.156-159, 2006. Disponível em: < http://www.saocamilo-sp.br/pdf/mundo_saude/34/atuacao_fisioterapia.pdf>. Acesso em: Acesso em: 07 de junho de 2022

LEWGOY, Alzira Mª. B; ARRUDA, Maria P. Novas tecnologias na prática profissional do professor universitário: a experimentação do diário digital. In: Revista Texto & Contextos. EDIPUCRS. Porto Alegre: 2004.

MANTOAN, Maria Teresa Eglér. O direito de ser, sendo diferente, na escola. Direito da Educação, Brasília, n. 26, p. 36-44, jul./set. 2004.

MARTINS, Lúcia de A. R. (2003). A inclusão escolar do portador da síndrome de Down: o que pensam os educadores? Natal-RN: Editora da UFRN.

MELO, F. R. L. V.; MARTINS, L. A. R. Acolhendo e atuando com alunos que apresentam paralisia cerebral na classe regular: a organizaçăo da escola. Revista Brasileira de Educaçăo Especial, Marília, v.13, n.1, p.111-130, 2007. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/rbee/a/v8LqWjky4kZ5tZ74vyNkLVG/abstract/?lang=pt>. Acesso em Acesso em 14/02/2022.

MINAYO, Maria de Souza (org.). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8 ed. São Paulo: Hucitec, 2001.

MONTEIRO, Carlos Bandeira de Mello. Paralisia cerebral: teoria e prática. São Paulo: Plêiade, 2015.

Rotta, Newra Tellechea. Paralisia cerebral, novas perspectivas terapêuticas J. pediatr. (Rio J.) ; 78(supl.1): S48-S54, jul. 2002. Disponível em: <https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-318843> Acessado em 07 de junho de 2022

ROSENBAUM, P. et al. A report: the definition and classification of cerebral palsy april 2006. Developmental Medicine and Child Neurology, [S.l.], v. 49, n. 2, p. 8-14, 2007.

STRIEDER, R.; ZIMMERMANN, R. L. G. A inclusão escolar e os desafios da aprendizagem. Disponível em: < https://app.utp.br/cadernosdepesquisa/pdfs/cad_pesq10/10_a_inclusao_cp10.pdf>. Acesso em: 13 jan. 2021

Downloads

Publicado

30/06/2022